Artigos

O que é de Deus renasce e cresce

“Este pobre grita e o Senhor o escuta”, do Salmo 34, é o lema da Semana da Solidariedade, da Igreja Católica no Brasil, que culmina com a Jornada Mundial dos Pobres, deste 18 de novembro, criada pelo Papa Francisco. Por meio dessa Semana, a Igreja promove mais intensamente ações solidárias em prol da superação da pobreza. Essas ações podem ser pequenas diante de realidades tão desafiadoras, mas são significativas e promissoras.

Árvores frondosas nascem de pequenas sementes. Aliás, o grão de mostarda é um exemplo utilizado por Jesus para falar sobre o potencial de seu Reino (cf. Mc 4,30-32). Nós mesmos nascemos de gametas observáveis somente por microscópio. Nas sementes e nos gametas estão as potencialidades da vida. Em condições favoráveis se desenvolvem. Suas energias e as sinergias dos seres que geram são reveladoras da existência de Deus.

Somos um pouco cegos para enxergá-lo. No entanto, é fácil vê-lo ao aproximamos os olhos da realidade que está ao nosso alcance, ou seja, nossa história permeada de alegrias e dramaticidades, marcada por tempos de paz e de turbulências. Aí está Ele. Nós o vemos em meio dos pobres, dos enfermos, dos marginalizados e até dos injustamente condenados, enfrentando complicações com autoridades. Seu nome? Filho de Deus, Jesus Cristo.

Aí está Ele, falando de um certo Reino, o seu Reino; convidando todos a entrarem nessa realidade totalmente nova. Só alguns acreditam, deixam seus interesses exclusivamente particulares, o seguem e o anunciam com convicção e sem medo. Os poderosos de sua época, na Palestina, pretensamente donos da lei, desconfiaram que seu Reino de Justiça viesse substituir a sociedade tão “certinha” que eles haviam criado para justificar seus privilégios.

Eliminaram-no? Engano. O autor da vida não morre e jamais abandona o propósito de efetivar seu Reino. Ele continua presente nos que estão sendo impedidos de viver conforme a dignidade que Ele nos deu, e naqueles que os amam. Aí está Ele, presente na história do povo sofrido que não perde a fé e a esperança, manifestando-se nos que defendem a vida, lutam pelo bem comum e constroem uma sociedade de relações fraternas e justas.

Entre seus seguidores há muitos jovens generosos, dedicados aos que têm rostos abatidos por falta de oportunidades. Poucos lhes dão igual importância. A Semana da Solidariedade une os que os amam, lhes dão atenção e lhes estendem as mãos, implicando-lhes em ações socioeducativas, ajudando-lhes a recuperar a autoestima e a consciência de sua dignidade, e reivindicar reconhecimento, direitos e espaço de participação.

Por sua fé e suas ações, a semente do Reino de Deus germina, essa “árvore” cresce. Não faltam podadores. Estão de plantão. Se tentam cortá-la, fazem-na brotar com mais vigor. Consola-nos saber que a primavera e o céu no tempo certo irrompem. Não custa esperar. É preciso resistir e lutar com mais amor, sabedoria e coragem. Afinal, o falso que se impõe, mais cedo ou mais tarde perece, e o que é realmente de Deus, renasce e cresce.

Dom Reginaldo Andrietta, Bispo Diocesano de Jales

Jales, 13 de novembro de 2018.

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.