Artigos

Expectativas de 2014

Já entramos em 2014. Com os dois pés, já pisamos o novo ano, com a vontade de acertamos o passo, e atravessar mais uma etapa de nossa vida.

Para situar nossa vida no tempo e no espaço, aprendemos a compor nossos calendários. As grandes referências são os milênios, que demoram para mudar. Tanto apenas chegamos ao terceiro milênio, inaugurado solenemente no ano 2000. Neste sentido, somos uma geração privilegiada, que viveu a passagem do milênio, coisa rara de acontecer.

Outra referência importante, que ajuda a situar os passos mais amplos da história da humanidade, são os séculos. Depois os anos, os meses, as semanas, e finalmente os dias, um atrás do outro, numa contagem teimosamente persistente.

Usando a medida dos séculos, podemos, por exemplo, fazer uma comparação. Cem anos atrás, no ano de 1914, o mundo se via envolvido, pela primeira vez na história,a numa conflagração de uma guerra mundial. Haveria outra depois.  E ainda continuam guerras localizadas, capazes de experimentar as novas armas que vão surgindo, e que são testadas nestas guerras menores, embora não menos mortíferas.

Tudo isto para divagar um pouco, no portal de entrada de mais um ano, 2014.

Como será este novo ano? Em termos eclesiais, será um tempo precioso para conferir como a Igreja poderá assimilar as generosas propostas de renovação, feitas pelo Papa Francisco. Motivações não vão falar, para sentirmos envolvidos nesta empreitada maiúscula. Aqui no Brasil teremos dois eventos à vista: a copa do mundo, e as eleições. Precisamos colocá-los em nossa agenda, pois nos envolvem como país e como povo. Em todo o caso, o ano de 2013 nos deixou um alerta importante: as surpresas acontecem quando menos as esperamos. Por isto, como diz o Evangelho,“ficai atentos”!

Por Dom Demétrio Valentini, Bispo de Jales

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.