Notícias

Tudo pela missão!

IMG-20161014-WA0016

Padre Norberto Savietto, missionário da diocese de Jundiaí, SP, faz uma breve reflexão sobre Missão. Após três anos de missão na diocese de Roraima (RR), pelo Projeto Missionário dos Regionais Sul 1 – Norte, padre Norberto regressa à Jundiaí. Confira sua reflexão:

Essa é uma frase que nosso bispo Dom Vicente pronuncia repetidas vezes. Ele o faz com propriedade pois é missionário desde jovem, quando deixou sua terra natal para anunciar o Evangelho aqui no Brasil. E até agora, continua incansável, a serviço das missões, em todos os sentidos.

Lembro aqui, também, um outro bispo muito conhecido entre nós, que já terminou a sua missão aqui na terra: Dom Joaquim Justino Carreira, que sempre falava que deveríamos fazer o que era mais necessário e não aquilo que gostaríamos de fazer, isto é, encarar os desafios mais difíceis, com coragem.

Há vários anos já, numa reunião de conselho, que estava decidindo sobre algumas mudanças de padres, eu disse que os padres mais experientes deveriam ir para os lugares mais desafiadores.

Recordo ainda, uma tia minha, religiosa franciscana, que disse uma coisa que jamais esqueci: “nunca pedi nada e nunca rejeitei nada”, o que quer dizer: vou para onde Deus quiser, onde acharem que eu serei mais útil, onde precisarem mais de mim. E assim viveu a maior parte do tempo de sua vida religiosa em missões pela África, em lugares de muita pobreza e precariedade.

Embora o discurso na Igreja sobre as missões continue o mesmo, na prática há uma tendência muito forte entre as pessoas, sejam religiosos ou leigos, de rejeitar coisas difíceis e se enveredar por caminhos que apresentam menos sofrimento. A sociedade toda está nesse rumo, mas essa mentalidade não poderia contaminar a Igreja.

O nosso pastor e Mestre, Jesus Cristo, que é o centro de toda a nossa espiritualidade, saiu da sua condição divina e veio até nós: “Ele, estando na forma de Deus, não usou do seu direito de ser tratado como um Deus, mas se despojou, tomando a condição de escravo, tornando-se semelhante aos homens” (Fp 2, 6-7b) e continua a mesma carta: “tende os mesmos sentimentos de Jesus” (Fp 2,5).

Que nós todos, como Igreja viva, Igreja peregrina, em saída, Igreja que vai ao encontro dos mais abandonados, pobres e necessitados e pecadores, também redobremos o nosso ardor missionário e procuremos, no que for possível, aceitar as missões novas que vamos receber e que possamos nos desdobrar  ao máximo para que o Reino de Deus seja mais anunciado e instaurado concretamente, nessa sociedade que, a cada dia mais, vai perdendo a noção dos verdadeiros valores.

Que Santa Teresinha e São Francisco Xavier, padroeiros das missões, intercedam por nós e que também com as orações do Papa Francisco, incansável missionário, e do nosso bispo Dom Vicente, cada vez mais nos envolvamos em nossos trabalhos pastorais e façamos TUDO PELAS MISSÕES.

Padre Norberto Savietto da Diocese de Jundiaí vai regressar de uma experiência de três anos na missão em Roraima, enviado pelo Projeto Missionário Norte 1 – Sul 1, mantido pelo Regional Sul 1 da CNBB

 

 

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.