Notícias

Texto-Base da CF-2014 é oficialmente apresentado em São Paulo

O Texto-Base da Campanha da Fraternidade 2014 que tem como tema Fraternidade e Tráfico Humano e o lema É para liberdade que Cristo nos libertou (Gl 5, 1), foi apresentado na tarde desta quinta-feira (13), na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), pelo Regional Sul 1 da CNBB (São Paulo) .

O lançamento contou com as presenças especiais do bispo emérito de São Miguel Paulista (SP) e bispo referencial da CF junto ao Regional Sul 1, dom Fernando Legal, do bispo Auxiliar de São Paulo e secretário geral do Regional Sul 1 da CNBB, dom Tarcísio Scaramussa, do coordenador estadual da CF, padre Antonio Carlos Frizzo e do secretário da CF, Toninho Evangelista,  da dra. Tania Teixeira Laky de Sousa e dos deputados estaduais Marco Aurélio (PT)  e padre Afonso Lobato (PV), entre outras autoridades religiosas e políticas.

A solenidade de abertura aconteceu no auditório Teotônio Vilela. Na abertura, houve exibição de um vídeo institucional da Campanha e em seguida a execução do Hino da CF-2014.

Na sequencia, houve  uma breve saudação do deputado estadual Padre Afonso Lobato (PV). Segundo padre Lobato, o objetivo, é sensibilizar os demais parlamentares para o combate ao tráfico de pessoas, foco da campanha desse ano, cujo tema é “Fraternidade e Tráfico Humano” e o lema, baseado na Carta de São Paulo aos Gálatas, aponta “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5, 1). “A Casa já tem a Comissão de Direitos Humanos que atua em questões relacionadas a este tema, mas acho que os deputados podem se envolver mais e usar a sua força política para acabar com essa verdadeira afronta à dignidade humana”, afirmou. Durante o ato ele propôs  a criação de delegacias especializadas nesse tipo de crime. “Já existem as delegacias de pessoas desaparecidas, mas seria preciso algo mais específico”, descreveu o deputado.  Por fim falou a respeito da CPI sobre o trabalho escravo em SP.

O Membro da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, Marco Aurélio parabenizou a CNBB pela escolha do tema deste ano. Para o deputado, “o tráfico humano é um assunto que merece a devida atenção para que as autoridades e órgãos competentes possam criar políticas de combate a esse tipo de crime”, cobrou.

A Dra. Tania Teixeira Laky de Sousa, autora do livro “Tráfico de Mulheres: Nova Face de uma Velha Escravidão”, proferiu a Palestra “Tráfico de Pessoas”. Com a sua explanação, a Dra. Tania quis mostrar que, assim como em relação a outros desafios sociais, ninguém está isento de combater o tráfico humano. Para realizar com eficácia este compromisso é necessário ter presente os direitos das vítimas de tráfico.

Em entrevista ao Regional Sul 1, a Dra. Tania alertou sobre a ‘feminização das migrações’, “apesar de a experiência migratória ter estado, muitas vezes, associada ao masculino, a participação de mulheres nesse fenômeno aumentou ao ponto de ser incontornável abordar o tema sem considerar a perspectiva analítica de gênero. As mulheres representam quase metade da população que migra, em termos globais, chegando a superar a metade do fluxo migratório no ano 2000 nos países desenvolvidos. Segundo o informe da Organização Internacional de Trabalho (OIT), de 1996, a ‘feminização das migrações’  é um dos fenômenos sociais e econômicos mais impactantes dos últimos tempos. Um aspecto que caracteriza as migrações contemporâneas é assim chamada feminização”.

Através dos dados das Nações Unidas a Dra. Tania mostrou também que os números de mulheres que migram aumentou nas últimas décadas, alcançando 49,6% do total, em 2005. “O que torna, então, a migração no feminino tema de relevante preocupação e instigação para acesos debates? Um desses apelos refere-se, precisamente, à associação de significados entre migração feminina e perigo sexual: essa conexão de termos desperta a sensação de que a migração de mulheres constitui-se eminentemente negativa, que inquina e contagia diversos planos da ordem social, política, econômica e, mesmo, de segurança pública”, explanou.

Dando início aos discursos, o secretário-geral do Regional Sul 1 da CNBB, dom Tarcísio Scaramusa,  falou sobre a importância do lançamento, com enfoque na Mensagem do Papa Francisco para a CF-2014, divulgada pela Secretaria de Estado do Vaticano.  Na mensagem, o papa repudia veementemente a prática do tráfico humano:  “durante os próximos quarenta dias, procuraremos conscientizar-nos mais e mais da misericórdia infinita que Deus usou para conosco e logo nos pediu para fazê-la transbordar para os outros, sobretudo aqueles que mais sofrem: ‘Estás livre! Vai e ajuda os teus irmãos a serem livres!’. Neste sentido, visando mobilizar os cristãos e pessoas de boa vontade da sociedade brasileira para uma chaga social qual é o tráfico de seres humanos, os nossos irmãos bispos do Brasil lhes propõem este ano o tema ‘Fraternidade e Tráfico Humano’. Não é possível ficar impassível, sabendo que existem seres humanos tratados como mercadoria!”.

Já o bispo referencial da CF junto ao Regional, Dom Fernando Legal falou um pouco da natureza e histórico da campanha que já é realizada há mais de 50 anos no Brasil. A cada edição, o objetivo é propor reflexões pertinentes à sociedade. Ela começa no dia 5 de março e termina no dia 13 de abril.

Foi uma sessão que iniciou um debate intenso e, ao mesmo tempo, incitou aos presentes uma grande preocupação sobre o assunto:  o combate ao Tráfico Humano.

cf_capa_reduzida
Da direita para esquerda: Dom Tarcísio Scaramussa, Dra. Tania, Dom Fernando Legal e os Deputados estaduais: Marco Aurélio e Pe. Lobato
cf_reduzida
Mais de 70 pessoas compareceram ao lançamento do texto-base

De São Paulo, Renato Papis, MTb, 61012/SP. Com informações do site do deputado estadual do Padre Afonso Lobato (PV).  Créditos das Fotos da fan page da ALESP e do Edson Goncalves P. O. Silva.

 

 

 

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.