Sub-Regiões

Sub-região Botucatu promove encontro de formação para os futuros padres

DSCN3377_siteEntre seminaristas e formadores, cerca de 120 pessoas participaram do evento que aconteceu, no último final de semana, em Marília (SP). Para o bispo de Araçatuba, dom Sérgio Krzywy (foto), o momento trabalhou o aspecto base da formação sacerdotal.

A formação conjunta dos futuros padres da Província Eclesiástica de Botucatu, que participam as dioceses de Araçatuba, Assis, Bauru, Botucatu, Lins, Marília e Presidente Prudente, reuniu seus seminaristas, entre os dias 2 e 4 de outubro, para palestras sobre a dimensão humano-afetiva da formação presbiteral.

Com abordagens psicológicas na construção do indivíduo, o curitibano Agostinho Capeletti Busato foi quem assessorou o final de semana voltado para os seminaristas das duas casas provinciais de formação que ficam na cidade de Marília (SP).

Para o bispo diocesano de Araçatuba, dom Sérgio Krzywy, que esteve no encontro, o momento formativo trabalhou a dimensão humano-afetiva que é um aspecto base da formação presbiteral. “Santo Tomás de Aquino diz que a graça supõe a natureza, por isso, a nossa natureza precisa ser bem conhecida para podermos acolher com alegria a graça que vem de Deus e também para vivê-la de modo integral”, ressaltou o bispo no início das atividades do sábado, dia 3.

O evento que teve como objetivo transmitir a importância do conhecimento pessoal e a busca do sentido da vida na compreensão de si a partir da afetividade e sexualidade foi de iniciativa da equipe formativa composta pelos reitores, diretores espirituais e de estudos, e também pela psicóloga do Seminário Provincial Sagrado Coração de Jesus (SPSCJ), onde moram os seminaristas que cursam filosofia, e do Instituto Teológico Rainha dos Apóstolos (Itra), onde residem os estudantes de teologia da Província.

“Todo ser humano tem uma gama de sentimentos, eles existem para o equilíbrio do psiquismo”, explicou o psicólogo na introdução de sua abordagem conduzida, ao longo dos três dias, a partir do pensamento de Karl Hartmann, Max Scheler, Gustav Jung e Viktor Frankl.

Segundo o conferencista, o tema escolhido pela organização é pertinente no processo de assimilação dos futuros sacerdotes e o trabalho de despertar nos seminaristas a responsabilidade de sua própria formação constitui-se como que o diferencial da Província Eclesiástica de Botucatu. “Fiquei surpreso com a realidade daqui, impressionado com o grupo. O trabalho dos formadores tem um fruto visível”, disse Busato.

No encerramento do curso, retomando os versos “quem sabe aonde quer chegar escolhe o caminho certo e o jeito de caminhar”, do poeta amazonense Tiago de Mello, o cônego José Carlos Dias Tóffoli, reitor do Itra, fez uma reflexão sobre o valor do sacrifício pessoal na geração da vida: “a conversão é fundamental no processo formativo, precisamos aprender a morrer para as nossas vontades e assim oferecermos vida para o povo de Deus”, conclui o religioso.

Entre formandos e formadores, cerca de 120 pessoas participaram do encontro que também envolveu os seminaristas do Seminário de Filosofia e Teologia Diocesano Nossa Senhora da Salette de Lins e dos Seminários Propedêuticos de Bauru, Botucatu, Lins, Marília e Presidente Prudente. Dom Luiz Antônio Cipolini, bispo diocesano de Marília, também esteve no evento.

OPINIÃO DOS PARTICIPANTES

O cônego José Carlos Dias Tóffoli acredita que o final de semana formativo ajudou os seminaristas a pensarem num novo sentido comunitário à caminhada vocacional com a consciência de que sozinhos não terão sucesso em nenhum empreendimento. O diretor espiritual do Itra, padre Irineu Castro de Oliveira, assim como os outros formadores, além de avaliar o encontro positivamente, pensa que a questão da responsabilização pelo processo, por parte dos formandos, é indispensável para o êxito da formação.  Segundo reitor do SPSCJ, padre Márcio José Cattache, como os seminaristas são os grandes protagonistas do processo formativo, todo esse esforço “reflete futuramente na qualidade dos presbíteros”.

Para o seminarista de filosofia da diocese de Bauru, Thiago de Freitas Albertini, o encontro constituiu-se como “uma experiência inesquecível aonde podemos aprender um pouco de como nos enxergar e de que, às vezes, culpamos os outros de nossas atitudes, mas que somos nós os próprios responsáveis”, afirmou.

A psicóloga Alessandra Faria Rossi que, há 10 anos atua num trabalho em conjunto nas duas casas de formação, ressaltou que seu exercício de despertar a consciência do ‘eu’ nos seminaristas é o que foi refletido durante o final de semana: “a minha missão é justamente ajudar o vocacionado a se encontrar”. Giovani Fernando Cardoso, seminarista quartanista da diocese de Presidente Prudente que se prepara para a ordenação diaconal, disse que o encontro veio ser, em seu discernimento, um impulso maior para a arte de ser e viver. Para ele, a partir das reflexões de Agostinho Busato “ser o que nós somos é o desafio da humanidade hoje”.

“O povo de Deus espera um padre autêntico que seja capaz de ser aquilo que realmente é”, afirmou o padre Luciano Ruiz Talarico, também diretor espiritual do Itra, ao destacar a importância das palestras no aperfeiçoamento dos formandos, pois para ele, o sacerdote é aquele indivíduo que ajuda as pessoas a viverem bem e, por isso, deve saber trabalhar com maturidade suas próprias humanidades. Semelhante opinião tem também Lenon Rodrigues da Silva, seminarista da diocese de Lins, que julgou a iniciativa provincial como ‘peculiar e pertinente’ aos futuros presbíteros da Igreja.

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.