O Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), publicou nesta segunda-feira (19), o artigo do presidente Dom Pedro Luiz Stringhini, intitulado “Sinodalidade e Missão”, cuja íntegra segue abaixo.

SINODALIDADE E MISSÃO

Assembleia da CNBB 2020-2021

A 58ª Assembleia Nacional dos Bispos do Brasil aconteceu de 12 a 16 de abril de 2021, com a participação de quase 400 bispos, por videoconferência, o que demonstra importante aprendizado no manejo das redes sociais. Há que se reconhecer o empenho e a eficiência da presidência e assessoria. Desta forma, a Igreja no Brasil se esforça, por todos os meios, para responder aos desafios de sua missão evangelizadora.
O episcopado brasileiro conta com 475 bispos (166 eméritos e 309 ativos). Com tristeza, registrou-se o número de 36 bispos falecidos desde a assembleia de 2019; diversos deles vítimas da Covid-19. Pela primeira vez, esteve na assembleia o novo Núncio Apostólico, Dom Giambattista Diquattro.
A assembleia é sempre um forte momento de amizade e fraternidade, comunhão e unidade, oração e espiritualidade, aspectos esses que, nessa assembleia, encontraram eco na palavra sinodalidade. Separados pelas grandes distâncias, no imenso território nacional, os bispos esperam com ansiedade por esse encontro anual e o apreciam.
A pauta de assuntos a tratar é extensa, afinal, a Conferência se organiza em doze comissões episcopais de pastoral e cada uma delas apresenta seu relatório.
O tema central trouxe a reflexão sobre a Palavra de Deus na vida da Igreja, com o tema “Casa da Palavra: animação bíblica da vida e da pastoral nas comunidades eclesiais missionárias”, inspirado no prólogo joanino: “E a palavra habitou entre nós” (Jo 1,14).
No início, foram apresentadas as análises de conjuntura social e eclesial. Fez-se a avaliação da Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2021, considerando a repercussão e os ataques que recebeu. Houve também a apresentação da próxima campanha, com o tema: Fraternidade e Educação e o lema “Fala com sabedoria, ensina com autoridade (cf. Pr 31,26).
O CELAM (Conselho Episcopal Latino-americano) realizará, neste ano, a Assembleia eclesial latino-americana, por inspiração e sugestão do Papa Francisco. O próprio presidente do CELAM, Cardeal Dom Héctor Miguel Cabrejos Vidarte, Arcebispo de Trujillo-Peru, conduziu a apresentação, com a colaboração do Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer (primeiro vice-presidente) e outros assessores.
O Congresso Eucarístico Nacional, com o tema “Pão em todas as mesas” e o lema “Repartiam o pão com alegria e não havia necessitados entre eles” (At 2, 45.47), acontecerá em Recife, de 11 a 15 de novembro de 2022. Para 2023, foi aprovado o ano vocacional.
Em 7 de abril de 2020, a CNBB criou o Pacto pela Vida e pelo Brasil, firmado pelas seguintes entidades: Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns (Comissão Arns), Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e Academia Brasileira de Ciências (ABC). O Pacto conclama os cidadãos brasileiros, mulheres e homens de boa-vontade, visto que “o Brasil vive uma grave crise sanitária, econômica, social e política, exigindo de todos, especialmente de governantes e representantes do povo, o exercício de uma cidadania guiada pelos princípios da solidariedade e da dignidade humana”.
A sexta Semana Social Brasileira, sob a condução da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Sócio-transformadora, com o tema Mutirão pela Vida: por Terra, Teto e Trabalho, ecoa as palavras do Papa Francisco: “nenhuma família sem casa, nenhum camponês sem terra, nenhum trabalhador sem direitos, nenhuma pessoa sem a dignidade que o trabalho dá”.
Através da Mensagem ao Povo brasileiro, os bispos sintetizam, com afeto, solidariedade e empatia, os sinceros sentimentos que brotam do coração dos pastores: “expressamos a nossa oração e a nossa solidariedade aos enfermos, às famílias que perderam seus entes queridos e a todos os que mais sofrem as consequências da Covid-19. Na certeza da Ressurreição, trazemos em nossas preces, particularmente, os falecidos. Ao mesmo tempo, manifestamos a nossa profunda gratidão aos profissionais de saúde e a todas as pessoas que têm doado a sua vida em favor dos doentes”.
Sob a intercessão de São José, patrono da Igreja, neste ano a ele dedicado, e de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, a Igreja de Cristo possa ser, na sociedade brasileira, por meio de seus bispos, padres, diáconos, consagradas/os, leigas/os, sinal do Reino de Deus.
 

Dom Pedro Luiz Stringhini
Bispo diocesano de Mogi das Cruzes
Presidente do Regional Sul 1 da CNBB

 
Mogi das Cruzes, 16 de abril de 2021