Sub-Regiões

Reunião da sub-região da Pastoral Carcerária

17190522_10212041289897609_1047072879851014537_n

No dia 04 de março, sábado, aconteceu a reunião do Sub-região de Botucatu da Pastoral Carcerária, em Marília, na paróquia Sagrado Coração de Jesus. O encontro ocorreu das 8h às 13h e contou com a presença do coordenador do sub-regional, Pe. Orlando de Almeida Alves, de Assis e mais 29 pessoas das dioceses: Marília(14), Araçatuba(2), Lins(6), Bauru(4), Ourinhos(2) e Assis(mais uma) e do Coordenador Estadual da Pastoral Carcerária, Deyvid Tadeu Livrini Luiz.

Após a oração inicial e apresentação dos presentes, Deyvid apresentou a realidade de penitenciárias e atendimento da pastoral no estado de São Paulo.

A realidade é alarmante. O Estado de São Paulo, como em todo o Brasil, está com quase todas as unidades prisionais superlotadas. A População Prisional de São Paulo ultrapassa 230 mil pessoas com um déficit de vagas de aproximadamente 90mil pessoas. Entre janeiro e abril de 2016 o estado de São Paulo prendeu 63 mil pessoas, 9,24% a mais que no mesmo período de 2015.

Alguns problemas decorrentes desta superlotação: saúde, segurança, assistência jurídica, etc. Muitas unidades prisionais ainda não contam com a visita de agentes da pastoral carcerária. Um desafio constante.

Quem está preso: 80% da população carcerária paulista é composta por jovens, pobres, negros  ou pardos entre 18 e 29 anos. Cidadãos com baixíssima ou nenhuma escolaridade, ineficaz capacitação profissional e moradores das periferias das grandes e médias cidades.

Pontos consoladores deste quadro complexo: está aumentando o número de agentes da pastoral carcerária e em quase todas as dioceses do estado tem uma coordenação diocesana.

Pata se ter um exemplo concreto, a diocese de Marília contava (dados de 1 de março) com 20.508 detentos, sendo assim a diocese com maior população carcerária do Brasil.

Após algumas partilhas das realidades nos cárceres no sub-regional, Deyvid apresentou a resolução estadual sobre o direito à assistência religiosa dos encarcerados tirando dúvidas dos participantes.

A reunião foi muito proveitosa como partilha, discussão de temas atuais e renovação das forças dos agentes da pastoral carcerária para a missão que nos foi confiada.

Com informações do padre Valdo Bartolomeu de Santana, Assessor Diocesano da Pastoral Carcerária

 

 

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.