Notícias

“Que a CNBB possa estar mais a serviço dos regionais”, diz dom Leonardo Steiner aos secretários executivos

Dom Leonardo
O evento teve a presença do bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner

Secretários executivos dos 18 regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) participaram,  em Campo Grande (MS), da primeira reunião de 2016. De 18 a 22 de julho, o encontro foi marcado por momentos de convivência e partilha da caminhada. Também foram abordadas questões administrativas. O evento  teve a presença do bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner, Foi coordenado pelo subsecretário adjunto de Pastoral da entidade, padre Antônio Luiz Catelan Ferreira.

 .
Na ocasião, dom Leonardo falou sobre questões administrativas, a missão dos secretários executivos e sobre a importância do encontro. “É muito significativo esse diálogo para que haja na evangelização uma dinâmica comum. Que a CNBB possa estar, como matriz, mais a serviço dos regionais, possa ajudá-los na sua dinâmica e possa ouvi-los mais. Ao mesmo tempo, também é um momento importante para nós nos ajudarmos mutuamente na organização”, explicou dom Leonardo.
 .
Para o bispo, toda a proposta do encontro deve facilitar a dinamização da evangelização. “A questão fundamental é sempre a evangelização. A CNBB e a Igreja existem para evangelizar. É claro que para evangelizar ela precisa se organizar, necessita de uma dinâmica que passa muito pelos regionais da CNBB. Não é um secretariado geral que comanda a Igreja no Brasil. A partir das dioceses, a partir dos regionais que nós podemos ajudar e dinamizar a evangelização, isso para a CNBB é o mais importante”, acrescentou.
 .
A CNBB forma um organismo com 19 filiais, sendo os 18 regionais e as Edições CNBB. O encontro dos secretários executivos buscou a consonância em questões administrativas e pastorais dentro dessa estrutura.
 .
Ainda, na reunião, cinco coordenadores diocesanos de Pastoral apresentaram as atividades desenvolvidas nas dioceses do regional Oeste 1 da CNBB, que compreende o estado do Mato Grosso do Sul. Eles falaram sobre a realidade atual da região, variedade de ministérios e serviços,  desafios das distâncias,  evangelização dos povos indígenas, conflitos de terra e escassez de vocacionados.
 .
Realidade indígena
 .
Como parte da programação do encontro, os secretários executivos conheceram a realidade indígena, no município de Miranda, diocese de Jardim (MS). De acordo com o secretário executivo do regional Oeste 1, irmão Silvio da Silva, a região “vive um momento muito delicado”.
 .
O grupo esteve em algumas aldeias dos indígenas Terena. Somente na diocese de Jardim há mais de dez mil índios. Os Terena são numerosos em todo o Mato Grosso do Sul.
Na quarta-feira, dia 20, os secretários executivos, acompanhados do padre Antônio Catelan Ferreira e do bispo de Jardim, dom João Gilberto de Moura, foram acolhidos na Aldeia Babaçu – Comunidade Nossa Senhora Imaculada Conceição, por caciques, pajés e lideranças de doze aldeias. Cerca de sessenta pessoas estiveram presentes.
 .
Secretarios-Executivos1-600Segundo o secretário executivo do regional Sul 2 da CNBB (Paraná), padre Mário Spak, os caciques reuniram-se previamente entre eles para preparar a exposição e três deles ressaltaram alguns pontos que mais lhes são sensíveis no momento, como o esforço que estão realizando nas aldeias para o resgate e preservação da cultura indígena;  a consolidação da identidade indígena por meio das línguas maternas, danças e ritos; a luta para garantir que as leis institucionais de demarcação de terras sejam cumpridas. Com relação à Igreja, os índios pediram maior presença católica, muito apreciada por eles. As lideranças indígenas solicitaram que, na medida do possível, os padres façam visitas às casas para conhecer a realidade e mergulhar mais na cultura indígena. Ainda foi lembrada a precariedade do atendimento à saúde e o problema que eles têm enfrentado com bebida e  droga nas comunidades. Depois da exposição dos caciques, os secretários puderam falar e estabeleceu-se um diálogo para conhecimento recíproco entre a Igreja e a realidade indígena.
 .
Ao final do encontro, dom João Gilberto de Moura classificou o dia vivido como histórico. “Somos a Igreja viva, a Igreja comunhão. Houve liberdade para exposição das reflexões. Muito do que foi dito nesta tarde ajudará a melhorar o nosso trabalho na diocese de Jardim, no regional Oeste 1 e também na Igreja do Brasil, devido à presença dos secretários executivos”, disse. Segundo dom João, este foi o maior encontro realizado entre a Igreja e os Povos Terena.
 .
Irmão Silvio da Silva, que pertence à Congregação dos Pobres Servos da Divina Providência, agradeceu a oportunidade que regional Oeste 1 teve de receber, “na simplicidade e pobreza“, o encontro dos secretários executivos. O religioso ressaltou o momento em que a Igreja “vive e revive, a cada instante, a história de todos os fiéis católicos do Mato Grosso do Sul”, com a partilha de experiências e a visita às realidades, recordando a luta por dignidade dos povos indígenas do regional, “que vivem atualmente a pior tragédia da intolerância e a diabólica estratégia da discriminação e o ignominioso jeito de estratificar as pessoas pela sua origem”.
 .
 Do Regional Sul 1 da CNBB, participou o padre João Carlos Deschamps.
 .
A próxima reunião está prevista para os dias 8 e 9 de novembro, em Brasília (DF). Em 2017, a primeira reunião será no Rio de Janeiro (RJ), sede do regional Leste 1 da CNBB.
 .
Assessoria de Imprensa da CNBB com a colaboração e fotos do padre Mário Spaki
.
Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.