Destaques Do Regional

Presidente do Regional Sul 1 recebe representantes da Comissão Arns de Direitos Humanos

O bispo diocesano de Mogi das Cruzes (SP) e presidente da entidade, Dom Pedro Luiz Stringhini recebeu na manhã desta terça-feira, 02 de julho, representantes da Comissão Arns de Direitos Humanos. Também participaram da reunião Pastorais Sociais e Organismos da Comissão Pastoral para a Ação Social Transformadora do Regional Sul 1 da CNBB, entre outras.

A mesa teve a presença do presidente do Regional Sul 1 da CNBB, Dom Pedro Luiz Stringhini; do Presidente da Comissão Justiça e Paz, Antonio Funari Filho; fundadores da Comissão Arns, doutor Paulo Vanuchi e André Singer e demais membros, o doutor José Carlos Dias; Manuela Carneiro da Cunha e Maria H. Tavares.

O presidente do Regional Sul 1 definiu o encontro com os representantes da Comissão Arns como um grande momento. “Tivemos uma presença bastante significativa de nossas Pastorais Sociais, onde todos puderam dialogar e saímos amplamente satisfeitos, e claro que esta articulação deve continuar”.

Na visão de André Singer, membro fundador da Comissão Arns, o encontro atingiu os objetivos iniciais. “Foi uma reunião excepcional; os presentes – comissão e pastorais – puderam opinar, no sentido de uma troca de experiência, visando em torno de como rearticular as entidades que estão buscando a defesa dos direitos humanos”, comentou.

Representantes das Pastorais Sociais e Organismos da Comissão Pastoral para a Ação Social Transformadora do Regional Sul 1 da CNBB, que participaram da Reunião com a Presidência da entidade e Comissão Arns lançaram um apelo, na defesa dos direitos humanos

Durante a reunião, foram colocadas três propostas, a primeira proposta: lançamento público da Mesa Nacional de Diálogo contra a Violência, em Brasília (DF), Uma segunda proposta será o Dia Nacional contra a violência na semana da Pátria.  Na terceira e última proposta um dia regionalizado contra a Violência em torno de 02 de novembro.

A Comissão Arns voltará a se reunir no próximo dia 10 de julho, às 15h, na Avenida Paulista, 2073, 19º andar, São Paulo, para aprofundar o debate sobre quem deverá ser chamado para construir a Mesa de Diálogo e definir em conjunto um calendário de atividades.

Sobre a Comissão Arns  –  Com apoio de 20 personalidades do mundo político, juristas, acadêmicos, intelectuais, jornalistas e militantes sociais de distintas gerações, a comissão atua na defesa dos direitos humanos.

O objetivo da comissão é dar visibilidade e acolhimento institucional a graves violações da integridade física, da liberdade e da dignidade humana, especialmente as cometidas por agentes do Estado contra pessoas e populações discriminadas, como negros, indígenas, quilombolas, mulheres, jovens, comunidades urbanas ou rurais em situação de extrema pobreza.

Em seu nome, a Comissão destaca a figura de Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns (1921-2016), Arcebispo Emérito de São Paulo. Em 1972, Dom Paulo criou a Comissão Justiça e Paz de São Paulo, uma porta aberta no acolhimento das vítimas da repressão política e policial no país. Ao homenageá-lo, a Comissão reconhece esse exemplo de resistência, resiliência e, sobretudo, de esperança para os brasileiros em tempos difíceis.

 

 

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.