Dioceses É tempo de cuidar JMP

Oração e mão estendida: Dia Mundial dos Pobres é marcado por ação diocesana em Campo Limpo

‘Estende a tua mão ao pobre’, assim o Papa Francisco intitula e começa a sua mensagem para o IV Dial Mundial dos Pobres, instituído por ele e celebrada em toda a Igreja antecedendo a Festa de Cristo Rei.

No encerramento do Ano Santo da Misericórdia, em 20 de novembro de 2016, o Papa Francisco instituiu na Igreja Católica – o Dia Mundial dos Pobres –  tendo em vista que, a “fé sem obras é morta” (Tg 2,17), e há muitas situações de pobreza material e espiritual na sociedade, que precisam ser alcançadas, concretamente, com o exercício da misericórdia.

Para celebrar a data e se unir a Igreja Mundial, a Diocese de Campo Limpo, através de uma comissão, com representantes que já fazem um trabalho de promoção da dignidade da vida humana, promoveu no último sábado (21), uma ação diocesana de fraternidade e solidariedade com os pobres, que sempre mencionados na bíblia, não têm, um dia de ‘comemoração’, mas de chamada de atenção para as diversas situações de vulnerabilidade das quais estão expostos diariamente.

Mais de 190 voluntários, entre comunidades católicas (Voz dos Pobres, Ruah Adonai, Missão Pieltretina, Dai-me Almas, Madeiro da Cruz) pastorais, movimentos, e grupos independentes, inclusive não católicos, se reuniram no Centro Pastoral Diocesano para em grupos, e com as devidas precauções, para evitar o contágio pelo novo coronavírus, fizeram a distribuição da tonelada de alimentos não perecíveis, kits de higiene e limpeza, 650 marmitex, roupas, brinquedos e atenção.

Na praça, localizada há 800 metros da Catedral Diocesana, centro do bairro Campo Limpo, zona Sul e São Paulo, uma tenda de orações foi montada e voluntários se revezaram para conversas e acolhimento de quem se aproximava: “Vi esta movimentação e quis parar para rezar, desconhecia a mensagem do Papa e este dia dedicado aos pobres, com esta iniciativa, que eu espero, aconteça outras vezes, podemos refletir sobre o que de fato é prestar uma ajuda que seja solidária”, testemunhou Maria Conceição, 58 anos, que passava pelo local.

Esta primeira iniciativa de forma diocesana deu tão certo que não ficou nos arredores do local de encontro. Segundo a secretária da Pastoral Diocesana, Sheyla Oliveira, todas as nove foranias foram atingidas de alguma maneira. “Com a quantidade de pessoas, carros e doações, podemos atender mais de duas mil pessoas ao longo do dia, visitamos inclusive bairros fora da diocese. A solidariedade de fato não tem limites, o empenho foi tão grande que conseguimos inclusive ajudar um irmão em situação de rua com um tratamento para drogas em uma casa de acolhimento, é o que está escrito na mensagem do Papa para este dia mundial dos Pobres: Manter o olhar voltado para o pobre é difícil, mas tão necessário para imprimir a justa direção à nossa vida pessoal e social.”

Leia a notícia na íntegra.

Da Redação do Regional Sul 1, com informações da Diocese de Campo Limpo

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.