Notícias

Na íntegra o discurso de Dom José Carlos Chacorowski no dia de sua posse como Bispo Diocesano de Caraguatatuba

novo_bispoPublicamos na íntegra, o discurso de Dom José Carlos Chacorowski, Bispo Diocesano de Caraguatatuba, proferido na catedral Divino Espírito Santo, Caraguatatuba (SP), e dirigido as autoridades religiosas e civis e aos fiéis. A celebração aconteceu na manhã do dia 17 de agosto e presidida pelo cardeal Arcebispo Dom Raymundo Damasceno Assis.  Veja abaixo o discurso:

Este momento tem sabor de chegada, mas com o tempero de saída. Como chegada sinto o dever de ser grato a Deus pelo dom da vida e pelas pessoas que colocou no meu caminho como sinal de seu infinito amor. Entre estas pessoas agradeço aos meus pais que guardaram a minha vida e me educaram na fé católica. Agradeço à Congregação da Missão pela formação missionária e as inúmeras oportunidades de crescimento no amor pela Igreja. Agradeço ao Arcebispo Metropolita de São Luis do Maranhão, Dom José Belisário da Silva que foi aquele que em nome do Papa Bento XVI me introduziu na convivência episcopal. Obrigado pela sua paciência franciscana. Creio que o silêncio foi muitas vezes o caminho usado pelo senhor para me passar muitos conselhos. Penso ter compreendido muitos deles que me serão muito úteis. Agradeço ao clero de São Luis do Maranhão pela convivência fraterna. Agradeço a todos que de forma ou outra, fizeram parte de minha história até aqui, deixando um pouco de si e ajudando formar o meu caráter. Por fim também agradeço a Dom Raimundo Damasceno de Assis que hoje me acolhe para fazer parte desta caminhada eclesial da Província de Aparecida. Agradeço ao meu antecessor, Dom Antonio Carlos Altieri. Agradeço a todos os senhores Bispos e sacerdotes presentes e meu agradecimento especial ao clero e à Diocese de Caraguatatuba na pessoa do Pe. Inocêncio Xavier Administrador Diocesano que aguardou com paciência e espírito de oração minha chegada. Obrigado Pe. Xavier pelo cuidado e carinho dedicado à diocese neste tempo.

O tempero com sabor de saída quero dizer de envio; pode ser encontrado nos ensinamentos de Nosso Senhor e da Igreja. O Papa Francisco ao falar aos bispos do Conselho Episcopal Latino Americano – CELAM no Centro de Estudos do Sumaré no dia 28 de julho de 2013, sobre o Documento de Aparecida, lembra que todo o trabalho da Conferência transcorreu em ambiente de oração e momentos litúrgicos. Enquanto os trabalhos se realizavam na cripta do santuário, a música de fundo que os acompanhava era constituída pelos cânticos e as orações dos fiéis. Eu peço ao Senhor a mesma graça de poder realizar minha missão sempre levando em conta esta música de fundo constituída pelo trabalho silencioso do dia a dia e pelas orações e intenções de cada sacerdote, diácono, ministro, religioso (a), seminarista e leigo engajado em cada uma das pastorais e comunidades desta Diocese. Lembremos que não estamos numa empresa material, fomos enviados a anunciar o Reino, que só será possível se alcançar começando por um espírito de fé e oração, assim estaremos guardando o pedido do Papa Francisco na Bula de nomeação para que permaneçamos continuamente unidos. Guardando também a confiança no Amor do Pai que primeiro nos amou e nos escolheu. Assim nos envia cada dia. Peço a Nosso Senhor que a minha alegria seja a alegria que já existe aqui em cada um; que o peso do meu fardo coincida com aquele que Nosso Senhor já confiou a esta diocese; que os meus sonhos passem a ser o sonho de todos por um mundo de fraternidade, de justiça e de paz…

A partir da V Conferência de Aparecida, temos um projeto que é a missão continental. O Papa Francisco lembra que a Missão Continental exige gerar a consciência de uma Igreja que se organiza para servir a todos os batizados e homens de boa vontade. O discípulo de Cristo não é uma pessoa isolada em uma espiritualidade intimista, mas uma pessoa em comunidade para se dar aos outros. Portanto, a Missão Continental implica pertença eclesial.

O Corpo de Cristo que é a Igreja terá sua forma sensível e visível para mim na Diocese de Caraguatatuba. Hoje Ele me enxerta neste tronco, como mais um ramo que deverá dar frutos ao lado dos frutos que já existem aqui desde que os primeiros missionários andaram por estas praias anunciando o Nome de Jesus. Que linda história de fé e vivência cristã deve estar escrita nas areias destas praias, nas matas e seus caminhos. Sobretudo na caminhada discreta e silenciosa de cada família cristã.

Não vim tomar posse da Diocese, como se eu fosse um empresário, não sou dono desta diocese, mas tenho consciência de ser filho do Dono. É normal amar e respeitar aquilo que é do Pai. Peço a todos que me ajudem a administrar as riquezas que Deus escondeu neste campo que é a Diocese de Caraguatatuba. Deus me envia hoje para encontrar a pérola escondida neste campo. Poderíamos dizer, mas Dom Antonio Altieri já encontrou a pérola. Sim encontrou aquela que estava destinada para ele. Tenho certeza que a guardou no coração e a leva consigo com muito carinho. A mim está reservada outra pérola. Peço que rezem sempre por mim. Para que eu saiba usar de todos os instrumentos e métodos mais acertados para encontrar esta pérola. Mesmo que eu tenha que vender outras pérolas que no momento me parecem de valor. Os instrumentos para este trabalho já são conhecidos por todos nós. Começa-se pelos ensinamentos de Nosso Senhor nos Evangelhos. Uma leitura desses evangelhos para o nosso tempo é feita pelos documentos do Concílio Vaticano II. Uma leitura latino americana e caribenha deste Concílio é feita pelos documentos do CELAM, muito particularmente pelo Documento de Aparecida. Uma leitura brasileira deste documento é feita pelo Documento da CNBB apresentando-nos as Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, através de suas cinco linhas de ação para o período 2011-2015.

Tão bem fundamentados, não poderemos perder a boa direção, não desperdiçaremos energias com projetos individuais e egoístas, para isso enfim o Plano Pastoral Diocesano será como as placas de sinalização à beira do caminho nosso de cada dia.

E para garantir o espírito de família de nossa comunidade cristã, jamais nos esqueçamos de estar sempre sob o olhar atento e maternal de nossa querida Mãe a Virgem Imaculada de Aparecida, a Senhora de todas as Graças, hoje lembrada em sua Assunção aos Céus.

Rezem sempre por mim. Que Deus nos abençoe a todos!

Dom José Carlos Chacorowski CM, Bispo Diocesano de Caraguatatuba, SP.

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.