Notícias

Festa de Pentecostes celebra o padroeiro de Bauru, da Diocese e da Catedral

Padre Marcos Pavan
Padre Marcos Pavan (ao fundo, quadro que representa o Pentecostes)

Neste domingo, dia 8 de junho, a Festa de Pentecostes celebrou o Divino Espírito Santo, padroeiro da cidade de Bauru, da Diocese e da Catedral, sede das comemorações. Foi celebradas diversas missas. A cerimônia das 10h foi presidida por Dom Caetano Ferrari.

“Como Catedral, igreja sede da Diocese, a vocação é acolher as famílias, as comunidades, enfim, a todos que por aqui passam para rezar. Nosso padroeiro, o Espírito Santo, representa a unidade e reforça essa missão. Assim, a Catedral está sempre à disposição da Diocese e da cidade”, explica o pároco, padre Marcos Eduardo Pavan.

A Catedral do Divino Espírito Santo

Situada na praça Rui Barbosa, quadra 3, no Centro de Bauru.   Solenidade de Pentecostes Trata-se de uma festa móvel, 50 dias após a Páscoa, comemorando a vinda do Espírito Santo sobre os discípulos e Maria reunidos no cenáculo, temerosos com a perseguição do Império Romano. Naquele momento, os discípulos falavam e os povos de todas a línguas entendiam. “A linguagem do Espírito Santo é a do amor e da fé. A missão da Igreja começa em Pentecostes. E nesta data devemos repensar a nossa própria missão como cristãos, de propagarmos nossa fé e irmos ao encontro das pessoas, principalmente das que mais precisam”, explica padre Marcos Pavan.

O padroeiro

No ano em que a Diocese comemora seus 50 anos de criação, a festa de Pentecostes é, mais do que nunca, uma oportunidade de reanimar a fé em seu padroeiro. “O Espírito Santo conduziu a Diocese até aqui e continuará nos iluminando. Ele é dinâmico, move o povo de Deus e impulsiona a Igreja, uma realidade em constante movimento”, motiva o sacerdote. Como 3ª pessoa da Santíssima Trindade, o Divino Espírito Santo é mais que os santos de devoção. Para o padre Marcos, é importante reavivar a devoção ao padroeiro, pois tendo a pomba como símbolo, representa a esperança e a paz. “O Espírito Santo é o que nos santifica. O principal ato devocional é pedir santidade e luz para nossos caminhos, que conduza nossa vida e nos transforme em pessoas sempre melhores”, destaca. “O Pai Criador, Deus, em um ato de amor, envia seu filho Jesus para salvar a humanidade. Depois de sua ressurreição e ascensão ao Céu, Deus permanece em nosso meio através do Espírito Santo”, finaliza.   Curiosidade Por decreto municipal, o dia de Pentecostes, festa do padroeiro de Bauru, é feriado na cidade. Entretanto, como cai sempre em um domingo (50 dias após a Páscoa) e atualmente grande parte das atividades comerciais também ocorrem aos finais de semana, as pessoas que vivem em Bauru nem percebem – e geralmente nem sabem – que é feriado no município.

 

Assessoria de imprensa da Diocese de Bauru

Palavra do Presidente

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.