Notícias

Em Sínodo, diocese apresenta números do Grande ABC

sinodo-02Com a presença do bispo diocesano, Dom Pedro Carlos Cipollini e do bispo emérito, Dom Nelson Westrupp, scj, aconteceu na manhã do último sábado (03/12), a primeira Sessão Sinodal da Diocese de Santo André, que tem como tema “O sonho missionário de chegar a todos”. Dom Pedro recepcionou os delegados na porta do Externato Santo Antonio, em São Caetano do Sul, local do encontro que foi aberto com um Momento de Oração.

Em seguida o termo Sínodo foi explanado pelo bispo que explicou estar a Diocese de Santo André vivenciado um momento oportuno para esta realização. “Estou aqui há um ano e cinco meses. E me admiro muito pela vitalidade desta diocese, que propiciou uma importante caminhada de fé. Agora chegou a hora de buscarmos a resposta do Espírito Santo para discernirmos o nosso futuro. O Sínodo nos permitirá esta resposta”.

Dom Pedro falou da importância do Sínodo para a Igreja. “Moises se reunia com os 70 Anciãos, pessoas que o ajudavam a tomar as decisões. Tivemos o primeiro Sínodo da Igreja que ajudou a discernir sobre o que pensavam Pedro e Paulo. É preciso ter em mente que não basta ser maioria, é preciso que haja consenso. É preciso levar em conta o que pensa a outra parte, a nunca oprimir a minoria. É preciso debater e aparar as arestas, sempre”.

O Pastor da Igreja no Grande ABC terminou afirmando que “São João Crisóstomo dizia que Igreja é sinônimo de Sínodo”, e sobre o símbolo de nosso sínodo, ensinou que “a imagem é de uma caravela com uma cruz. Neste barco estamos todos nós diocesanos de Santo André. Estamos viajando juntos rumo a um local que sabemos onde é”.

Padre Joel Nery, que é um dos moderadores do Sínodo, fez uma explanação sobre os itens do Regimento, explicando como será o processo desta caminhada que durará um ano, já que será concluído no dia 15 de novembro de 2017.

 Grande ABC em números

Na segunda parte da Sessão Sinodal os delegados puderam ter o primeiro contato com os números da pesquisa encomendada pela Diocese de Santo André para o Inpes, empresa de pesquisa da Universidade de São Caetano do Sul, a USCS. Com o título de “Subsídios ao Entendimento da Dinâmica Religiosa, Sócio-Econômica e Demográfica da Região do Grande ABC”, este resumo inicial foi apresentado pelos professores, Leandro Prearo, Daniel e Maria do Carmo Romeiro.

Pelo estudo fica claro a forte diferença entre a região atual e a de trinta, quarenta anos. Basta dizer que, enquanto no Brasil tivemos o crescimento de 200% da população, aqui no Grande ABC este número atingiu 439%, resultando evidentemente na reivindicação por mais casas, mais ruas, mas escolas, mais hospitais, mais saneamento básico, etc, etc, etc.

Prearo explanou que “veio muita gente de fora. Onde tinha espaço, foi ocupado, como vemos mais fortemente em Mauá e Diadema. O número grande de empresas trouxe um contingente grande. Nos idos de 1970, 1980, de cada dez trabalhadores, sete atuavam na indústria. Agora as empresas foram embora, e a população enfrenta um grave problema social”.

O técnico também evidenciou que “há 30 anos, de cada 100 famílias, doze eram chefiadas por mulheres. Hoje este número cresceu para 27 em cada 100. O interessante é que se o motivo deste crescimento, no Brasil ser causado pelo desemprego, aqui no Grande ABC, a causa é a morte do marido. A mulher vive mais, e ai temos o índice da viuvez”.

A pesquisa foi estruturada nos dois formatos. Tivemos a Qualitativa e a Quantitativa. Na primeira foram ouvidas por três horas, 67 pessoas divididas em sete grupos, (37 mulheres e 30 homens, já que na população tem mais mulheres do que homens, 51,2% de mulheres e 48,2 de homens). E na Quantitativa foram ouvidas 3.180 pessoas, nas sete cidades.

Os números completos da pesquisa serão entregues em mais dez dias. Mas podemos adiantar um quadro bem interessante como a de que 20% da população não têm a escolaridade do Fundamental, e que 71,7% têm casa própria.

Sobre o Catolicismo encontramos números como a de que em 1960, 90,7% eram católicos, em 2010, caiu para 56,5%. E a contagem atual em 2016, é de 46,8% católicos. 35% vão uma vez por semana na missa, e 16% são católicos praticantes.

No Site da Diocese tem o link que dá acesso ao site do Sínodo, com todas as informações pertinentes.

Com informações Assessoria Diocesana de Comunicação.

 

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.