“Prefiro uma Igreja acidentada, ferida, enlameada por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar às próprias seguranças”. Os indicativos oferecidos pelo Papa Francisco na Exortação Apostólica Evangelii Gaudium (2013) figuraram como inspirações para a 26ª edição da Assembleia de Pastoral da Diocese de São José do Rio Preto. O encontro realizado no sábado, 22 de junho, reuniu cerca de 300 lideranças das 72 paróquias dispostas no Noroeste do Estado de São Paulo.

“Igreja em saída” foi o tema da exposição do padre jesuíta Carlos Alberto Contieri, SJ. O religioso, que orientou dois painéis do encontro diocesano, iniciou as exposições recordando o Pentecostes. “O Espírito Santo foi dado para incentivar o ‘sair’. Foi um sopro de propulsão”, ilustrou o presbítero. A realidade socioeconômica da Diocese e o olhar pastoral lançado sob a mesma (exposições conduzidas pelos padres Alexandre Ferreira dos Santos e Fábio Dungue, com a participação do seminarista Jhon Maike Lauriano) igualmente subsidiaram Contieri. “Uma Igreja em saída é uma Igreja orante, que tem a Palavra de Deus no centro da sua vida”, completou o jesuíta.

Incentivo
A Assembleia da Diocese de São José do Rio Preto marcou, igualmente, a entrega do Centro de Pastoral dedicado a São José. O bispo, Dom Antonio Emidio Vilar, sdb, proferiu a bênção inaugural do prédio localizado em frente à residência episcopal e Cúria. O espaço favorecerá a realização de encontros, formações e treinamentos. A conquista se insere nas comemorações pelos 95 anos de criação da Igreja Particular dedicada ao Imaculado Coração da Bem-Aventurada Virgem Maria e na caminhada rumo ao Centenário. “Que bonito inaugurar esse espaço não com um ato formal, mas com uma Assembleia”, sublinhou Contieri.

Dinâmica Sinodal
O coordenador de pastoral, Pe. Luiz Caputo, destacou que a Diocese de São José do Rio Preto efetivará, nas Paróquias e Foranias, o método de “conversa no Espírito” para as etapas que serão realizadas após a Assembleia. “Agora, em cada instância, serão organizados encontros para que todo o Povo de Deus ofereça indicativos para a construção do nosso plano diocesano de pastoral”, disse o presbítero. A conclusão do processo se dará após a segunda sessão do Sínodo sobre a Sinodalidade e a realização da Assembleia Geral da CNBB (que deverá indicar novas Diretrizes Gerais para a evangelização no Brasil).

Testemunho
Em saída, a Diocese de São José do Rio Preto vive o “Projeto Igrejas Irmãs” em comunhão com a Igreja Particular de Cruzeiro do Sul, no Acre. Dia 4 de julho, às 19h30, na Catedral de São José será feito o envio de religiosas, padres e diácono para Região Amazônica. Dom Flávio Giovenale, sdb, e padres acrianos se farão presentes para acompanhar o gesto. Entre os enviados estarão os membros do Instituto Missionário Coração Imaculado de Maria, de José Bonifácio, que, além da atuação na Região Norte, já estão estabelecidos na Diocese de Barra do Garças, no Mato Grosso, em colaboração com semelhante projeto do Regional Sul 1 da CNBB.

Após período de missão no Acre, a secretária de pastoral da Diocese de São José do Rio Preto, Ir. Rosângela Aparecida Fontoura, ofereceu seu testemunho acerca do tempo vivido; com especial destaque para a interação com Catequistas. “Vivi essa experiência muito grande de pessoas que se esforçam demais para estarem atualizadas e para responder àquilo que a Igreja precisa hoje. Me sensibilizou muito”, partilhou a religiosa.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb, também elencou diversos momentos que reforçam a disposição da Igreja Particular de São José do Rio Preto em colocar-se em saída. Um desses momentos acontece entre os dias 27 e 30 de junho: o VI Congresso Missionário Estadual de Seminaristas do Regional Sul 1 da CNBB será sediado na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, em Mirassol. Cerca de 100 pessoas já estão inscritas para o encontro que, pela primeira vez, acontecerá na Região de São José do Rio Preto.

Como último gesto da Assembleia de Pastoral, Dom Vilar promoveu o envio missionário dos Vigários Forâneos. Velas destacando a preparação para o Jubileu 2025 foram encaminhadas às Paróquias para servir de indicativo da vivência do Ano da Oração. Que “a graça do Jubileu reavive em nós, Peregrinos de Esperança, o desejo dos bens celestes e derrame sobre o mundo inteiro a alegria e a paz do nosso Redentor”, rezaram os diocesanos.

TEXTO | FOTOS
André Botelho
Pascom / Assessoria de Imprensa
Diocese de São José do Rio Preto