Notícias

Em Itaici, encontro prepara a CF-2015

reduzida

Mais uma vez aconteceu na Vila Kostka, em Itaici (SP), nos dias 24 a 26 de outubro, o Encontro Estadual da Campanha da Fraternidade. O evento, realizado todos os anos, é uma preparação para a CF. Nesta ocasião foi discutida a Campanha de 2015 cujo tema escolhido é Fraternidade: Igreja e Sociedade e o lema “Eu vim para servir” (Mc 10,45).

Estiveram presentes no encontro Dom Fernando Legal, bispo emérito de São Miguel Paulista e responsável pela Campanha da Fraternidade no Regional Sul 1 da CNBB, Padre Antônio Carlos Frizzo, coordenador estadual, e Toninho Evangelista, secretário da CF. Representantes de quase todas as dioceses do Estado também se fizeram presentes, totalizando 161 agentes de pastoral envolvidos com a Campanha da Fraternidade e que agora têm a missão de animar as várias regiões das arquidioceses e dioceses paulistas para que a Campanha continue sendo um momento forte de evangelização no tempo quaresmal e expressão eloquente da Pastoral de Conjunto de toda a Igreja no Brasil.

A Campanha do próximo ano quer lembrar os cinquenta anos do Concílio Vaticano II, de modo particular a Constituição dogmática Gaudium et Spes sobre a Igreja no mundo de hoje. Tem como objetivo geral: “Aprofundar, à luz do Evangelho, o diálogo e a colaboração entre a Igreja e a sociedade, propostos pelo Concílio Ecumênico Vaticano II, como serviço ao povo brasileiro, para a edificação do Reino de Deus”.

O Texto Base se divide em quatro partes. A primeira parte faz um breve histórico das relações da Igreja com a sociedade no Brasil, apresenta a sociedade brasileira atual e seus desafios, fala da índole do serviço que a Igreja deve prestar à sociedade e por fim são analisadas as convergências e divergências do binômio: Igreja e Sociedade.

A segunda parte corresponde “ao julgar” da metodologia Ver, Julgar e Agir e propõe o estudo da relação Igreja e Sociedade à luz da Palavra de Deus, do Magistério da Igreja e da Doutrina Social. Por sua vez a terceira parte introduz o serviço, diálogo e cooperação que a Igreja deve prestar à Sociedade, conduzida por critérios precisos: respeito à dignidade humana, promoção do bem comum e justiça social e concluindo essa parte, o texto sugere como a Campanha da Fraternidade deve ser vivenciada.

Por fim a quarta parte foca a CF em si mesma e, entre outros assuntos, são lembrados seus objetivos permanentes, sua história, os temas dos cinquenta e dois anos de campanha,  a importância do gesto concreto e os fundos de solidariedade.

Nas palavras de Dom Fernando Legal, a Campanha da Fraternidade deste ano deveria se chamar Campanha da Esperança, porque, para além dos desafios que a Igreja tem pela frente, é uma oportunidade de valorizar a presença positiva da Igreja na Sociedade.

Fonte: Jornal O SÃO PAULO.  Com colaboração do padre Manuel da Conceição Quinta. Foto: fan page Toninho Evangelista.

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.