Notícias

Dom Paulo Mascarenhas Roxo celebra 25 anos de ordenação episcopal

Eduardo (26)O Jubileu de Prata de Episcopado de Dom Paulo Mascarenhas Roxo, Opraem, bispo emérito da Diocese de Mogi das Cruzes (SP), reuniu mais de 900 pessoas que lotaram a catedral Sant’Ana na noite desta quarta-feira, dia 28.

Foi o próprio bispo emérito quem presidiu a celebração eucarística que teve como concelebrantes o bispo diocesano, Dom Pedro Luiz Stringhini; Dom Nelson Westrupp, SCJ, da Diocese de Santo André; Dom Fernando Legal, SDB, bispo emérito de São Miguel Paulista; e dezenas de sacerdotes diocesanos e convidados.

Foram 14 anos a frente da Diocese de Mogi das Cruzes e durante a celebração falou das dificuldades de ser pastor e modelo do rebanho, mas destacou a alegria de estar junto ao povo para caminhar rumo ao Pai, da bondade e do amor de Deus. “A história de um bispo, de uma Igreja, começa no coração de Deus, que tem um imenso e profundo amor e se nesta celebração, celebramos uma vida humana, temos que dar graças e louvar com reconhecimento esse grande amor de Deus, Deus é bom”, enfatizou.

O bispo emérito recordou ainda que uma das grandes satisfações do trabalho episcopal é ordenar os sacerdotes e ainda agradeceu quem esteve presente durante a missa para juntos dar graças a Deus.

A celebração, também, reuniu familiares de Dom Paulo Mascarenhas Roxo, Opraem, seminaristas, religiosos e religiosas, autoridades religiosas e civis da região do Alto Tietê.

Eduardo (32)
A celebração reuniu mais de 900 pessoas
que lotaram a catedral Sant’Ana

Biografia

Dom Paulo Mascarenhas Roxo, Opraem, é mineiro da cidade de São Geraldo e completou 86 anos em 2014 (12/06/1928). É religioso da Ordem Premonstratense (Opraem), professou os votos em 02 de fevereiro de 1952 e foi ordenado sacerdote no mesmo ano, em 20 de agosto, em Pirapora do Bom Jesus/SP, pelo então bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, Dom Paulo Rolim Loureiro (depois nomeado como primeiro bispo da Diocese de Mogi das Cruzes).

Em 07 de dezembro de 1989, foi nomeado bispo para a Diocese de Mogi das Cruzes. A ordenação episcopal aconteceu no dia 28 de janeiro de 1990, em Jaú/SP, tendo como Sagrante Dom Carlo Furno, arcebispo titular de Abari e núncio apostólico no Brasil na época. Escolheu como lema episcopal “Ficai conosco Senhor” (Lc 24,29).

A posse canônica como terceiro bispo da Diocese de Mogi das Cruzes foi realizada no dia 11 de fevereiro de 1990, no Ginásio de Esportes da Universidade Braz Cubas. Como bispo diocesano, Dom Paulo Mascarenhas Roxo, Opraem, foi o responsável, entre as inúmeras atividades, pela organização do primeiro Plano Trienal de Pastoral que tinha como objetivo fortalecer a pastoral de conjunto; a reorganização da divisão das regiões pastorais; a mudança de local do Seminário Diocesano Sagrado Coração de Jesus (que ficava na Rua Ipiranga, onde, atualmente, está a Cúria Diocesana e a Residência Episcopal) para o Centro de Convivência Tabor, e assim, atender a demanda de seminaristas que crescia; e a criação da tradicional Festa do Seminário.

Também, durante o seu episcopado foi lançado o informativo diocesano “A Caminho” e a primeira versão da página na internet da Diocese. E em 1994, a Diocese sediou o Encontro da Juventude da Conferência Episcopal Latino Americana (CELAM) e o Encontro Nacional dos Presbíteros e Diáconos Negros. Em 1999, no dia 26 de dezembro, deu início às comemorações do Ano Jubilar pelo Segundo Milênio da Encarnação de Jesus Cristo, proclamado pelo então Papa João Paulo II (São João Paulo II), e em 27 de julho de 2000, decretou a abertura do 1º Sínodo Diocesano, com o tema “O Espírito fala às Igrejas”, na carta aos fiéis, Dom Paulo Mascarenhas Roxo, Opraem, destacou os momentos pelos quais a Igreja e o país passavam, como a chegada do Novo Milênio, os 500 anos de evangelização no Brasil e o desafio de ser Igreja. Criou quatro novas paróquias: Paróquia Pessoal São Maximiliano Kolbe (Mogi das Cruzes), Paróquia Nossa Senhora das Graças (Itaquaquecetuba), Paróquia Territorial São Maximiliano Kolbe (Mogi das Cruzes) e a Paróquia São Francisco de Assis (Suzano). Trabalhou para que a Diocese tivesse um colégio católico, que aconteceu em 26 de setembro de 2003, com a fundação do Colégio Diocesano Paulo VI.

Em junho de 2003, ao completar 75 anos, e conforme determina o Código de Direito Canônico pediu renúncia para atuar apenas como bispo emérito. E até a nomeação de um novo bispo diocesano, que aconteceu em 04 de agosto de 2004, desempenhou a função de administrador diocesano.

Fonte: “1962 – 2012 Diocese de Mogi das Cruzes – 50 anos de história”, de Delcimar Bessa-Ferreira. Créditos das fotos: Pascom da Paróquia Sant’Ana, créditos: Eduardo e Doralice Santos

 

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.