Notícias

Dom Osvaldo comemora Jubileu de Ouro

SONY DSC
Dom Osvaldo Giuntini (ao centro), do lado do Bispo Diocesano, dom Luiz Antonio Cipolini

Celebração Eucarística, realizada no último sábado, 07/12, em Adamantina (SP), marcou a comemoração do Jubileu de Ouro da ordenação presbiteral de Dom Osvaldo Giuntini. Na cerimônia, o bispo emérito recebeu uma carta de felicitação do Papa Francisco.

O bispo emérito de Marília, Dom Osvaldo Giuntini, comemorou ontem, dia 8 de dezembro, o Jubileu de Ouro pelos 50 anos de sua ordenação presbiteral. Na noite do sábado, dia 07, a data foi celebrada com uma missa na Paróquia Santo Antônio, em Adamantina (SP). A cerimônia contou com a presença do bispo de Marília, Dom Luiz Antônio Cipolini, do clero diocesano, dos religiosos e religiosas que atuam na diocese e de centenas de fieis que lotaram a Paróquia em agradecimento pelo ministério presbiteral e trabalho pastoral de Dom Osvaldo. No final da celebração, foi entregue ao bispo emérito, uma carta de felicitações pelo Jubileu de Ouro, enviada de Roma pelo Papa Francisco.

BIOGRAFIA

Dom Osvaldo Giuntini, estudou de 1956 a 1963, filosofia e teologia no Seminário Central da Imaculada Conceição, no Ipiranga, e na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção. Foi ordenado sacerdote em 8 de dezembro de 1963. O ministério foi exercido primeiramente em São Paulo, logo depois, foi pároco das cidades de Salto e Itu. Após a criação da Diocese de Jundiaí, Dom Osvaldo foi nomeado pároco da Catedral de Nossa Senhora do Desterro, chanceler do bispado e posteriormente, Vigário Geral da diocese. Em 1975, o Papa Paulo VI concedeu-lhe o título de Monsenhor. Seis anos depois, Dom Osvaldo foi para Roma com o objetivo de fazer um curso de atualização em Direito Matrimonial.

Em 25 de junho de 1982, o então Monsenhor Osvaldo recebeu a nomeação de Bispo Auxiliar da Diocese de Marília e Bispo Titular de Tunnuna. A sagração episcopal ocorreu em Jundiaí, no dia 12 de setembro do mesmo ano. A sagração episcopal foi celebrada por Dom João Bergese. O lema escolhido para o seu episcopado foi Dou-vos a minha vida (Vitam meam do vobis). Dom Osvaldo veio a Marília como bispo auxiliar do então bispo diocesano, Dom Frei Daniel Tomasella, OFMCap.

Dom Osvaldo Giuntini permaneceu por cinco anos como bispo auxiliar. Em 30 de abril de 1987, a pedido de Dom Frei Daniel, Dom Osvaldo foi nomeado bispo coadjutor, com direito à sucessão. Cinco anos depois, em decorrência da renúncia de Dom Frei Daniel, Dom Osvaldo tomou posse como Bispo Diocesano de Marília, em 9 de dezembro de 1992. Dentre os momentos importantes da diocese, durante seu bispado, está a inauguração do novo prédio do Seminário Diocesano São Pio X, em 1º de maio de 1996, e a Revisão Ampla da Pastoral na diocese, a partir da qual surgiram propostas para a Ação Evangelizadora das comunidades, pastorais, movimentos e associações.

Outro momento importante que motivou a diocese e todos os cristãos foi a celebração dos 2.000 anos do nascimento de Jesus Cristo e a comemoração do Jubileu de Ouro da Diocese de Marília.

No dia 8 de maio de 2013, o Papa Francisco aceitou a renúncia de Dom Osvaldo para o governo da Diocese de Marília em conformidade com o cânon 401 § 1º do Código de Direito Canônico, nomeando Dom Luiz Antônio Cipolini para ser seu sucessor, ficando Dom Osvaldo como Bispo Emérito.

Texto do Seminarista Tiago Barbosa e fotos de Daniel Fabri

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.