Notícias

Dom Moacir abre Porta Santa na Catedral de Ribeirão Preto

arquidiocese_rp_cnbb

No Terceiro Domingo do Advento, 13 de dezembro, em sintonia com a abertura das Portas Santas em todas as Catedrais e Santuários do mundo, a Arquidiocese de Ribeirão Preto realizou a Celebração da Abertura da Porta Santa da Misericórdia da Catedral Metropolitana de São Sebastião, em Ribeirão Preto (SP), precedida por uma peregrinação da paróquia São José até a Catedral.

Às 15 horas, reunidos na paróquia São José: o arcebispo dom Moacir Silva; o bispo emérito de Guaxupé (MG), dom José Geraldo de Oliveira Valle, CSS; padres; diáconos; religiosos e religiosas; seminaristas e ao menos 1,5 mil fiéis provenientes das paróquias da arquidiocese, participaram do Rito de Abertura da Porta da Misericórdia presidido pelo arcebispo dom Moacir Silva que contou com as seguintes partes: canto do Hino Jubilar (“Misericordes sicut Pater”), breve exortação sobre o Ano Santo, cântico do Salmo 103, Proclamação do Evangelho (Lucas 15, 1-7) e leitura do trecho da Bula de promulgação do Jubileu Extraordinários da Misericórida ‘Misericordiae Vultus’ (n. 1-3). Em seguida, deu-se início a procissão em direção à Catedral Metropolitana de São Sebastião. Na chegada à Catedral, nas escadarias, o arcebispo, antes da abertura da Porta Santa, proferiu o rito e abriu a Porta Santa, dando continuidade à procissão de entrada até o altar e ao rito da celebração eucarística.

Na Arquidiocese de Ribeirão Preto a única Porta da Misericórdia será a da Catedral, e as paróquias, pastorais, movimentos e serviços poderão se organizar ao longo do Ano Santo para realizar a peregrinação até a Catedral.

Na homilia, dom Moacir destacou o sentido da abertura da Porta Santa e da comunhão com o papa Francisco e a Igreja no mundo inteiro. “Neste terceiro Domingo do Advento, também chamado domingo da Alegria, com alegria, e em comunhão com Santo Padre e com todas as Dioceses do mundo, abrimos a Porta Santa da Misericórdia, em nossa igreja Catedral e por ela passamos para esta celebração eucarística. Disse o Papa Francisco: ‘Entrar por aquela Porta significa descobrir a profundidade da misericórdia do Pai que a todos acolhe e vai pessoalmente ao encontro de cada um. É Ele que nos procura, é Ele que nos vem ao encontro. Neste Ano, deveremos crescer na convicção da misericórdia’ (Homilia na Abertura – 08/12/15)”, explicou dom Moacir.

Ao meditar a Palavra de Deus do Evangelho de são Lucas (Lc 3, 10-18), o arcebispo com base na pergunta feita por várias classes perante a pregação de João Batista – “Que devemos fazer?” – refletiu alguns pontos direcionados aos: padres, políticos, pais e professores e jovens. “Escutando a pregação de João Batista caminhamos para o encontro mais pessoal com Jesus Cristo, neste Ano Santo da Misericórdia, um tempo especial de graças para todos e cada um de nós. Que Maria, Mãe da Misericórdia, nos ajude a viver intensamente o Ano Santo da Misericórdia. Amem”, concluiu dom Moacir.

Antes dos ritos finais, o arcebispo apresentou e leu a “Instrução do Arcebispo para a Celebração do Jubileu Extraordinário da Misericórdia na Arquidiocese”, logo depois, entregou aos Vigários Forâneos em exercício o “Círio da Misericórdia”, estes fizeram a entrega a cada paróquia; e o padre Tiago Nigro, FDCC, representante da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) Núcleo Ribeirão Preto, entregou o Círio às congregações religiosas. O “Círio da Misericórdia” deverá ser aceso em todas as celebrações paroquiais até o encerramento do Ano Santo da Misericórdia. As paróquias e congregações religiosas também receberam exemplares da Cartilha do Ano Santo da Misericórdia.

Com colaboração, Pastoral Arquidiocesana de Comunicação

 

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.