Notícias

Dom Luiz Gonzaga Fechio visita Diocese de Amparo

site_2

Dom Luiz Gonzaga Fechio, bispo eleito da Diocese de Amparo, visitou pela primeira vez a Catedral Diocesana Nossa Senhora do Amparo. A visita aconteceu na manhã do dia 26 de janeiro. Na oportunidade, fez uma oração na Capela do Santíssimo e conheceu um pouco da história da igreja-mãe da Diocese, aonde tomará posse no próximo dia 19 de março, às 15h. Visitou também as dependências do Centro de Pastoral Nossa Senhora do Amparo, conheceu a Residência Episcopal e o prédio da Cúria Diocesana, conhecendo e conversando com funcionários e alguns fiéis nas ruas do centro da cidade.

Dom Luiz disse da alegria pelas mensagens de carinho, que vem recebendo desde o anúncio de sua nomeação, no último dia 06 de janeiro. “Eu já pude sentir essa acolhida pelas manifestações que recebi, por parte dos padres, por parte também dos fiéis, naquilo que foi postado nas redes sociais, na imprensa. E isso é motivo de alegria, de uma oportunidade de me sentir bem para poder chegar de uma maneira que tenha tranquilidade e com a certeza de que sob a proteção de Nossa Senhora do Amparo, eu poderei fazer um bom trabalho com a colaboração preciosa dos padres e certamente de tantos agentes de pastorais tão importantes nessa Diocese”, observou.

Asitecompanhado por padre Pedro Maia Pastana, administrador diocesano, padre Anderson Frezzato, pároco da paróquia Nossa Senhora do Amparo, padre Carlos Panassolo, pároco da paróquia São Sebastião e pelo diácono Rodolfo Pasini, falou de suas expectativas para o exercício do ministério. Usando a parábola do bom pastor, Dom Luiz ressaltou o desejo de oferecer um bom pastoreio, de ser um bispo/pastor, próximo de suas ovelhas, e destacou ainda que, a beleza da expressão não pode ficar apenas na fala ou em uma declaração, mas sobretudo no testemunho de vida, transmitindo e comunicando essa imagem de bom pastor a exemplo do que o Papa Francisco tem mostrado.

“Essa referência de ser um bispo pastor, está sem dúvida, quando olhamos a figura de Jesus, e também naquilo que o Papa Francisco tem mostrado com tanta beleza, na pessoa dele, no gesto dele, na maneira dele ser, essa proximidade, que nós percebemos que a nossa Igreja precisa ser referência, quanto a acolher e ir ao encontro. Essas duas situações são muito importantes, tanto receber bem aqueles que vêm, quanto ser essa ‘Igreja em saída’, e que precisamos pensar cada vez mais em como realizá-la, como concretizá-la”, afirmou.

O bispo eleito realçou a importância da colaboração de todos para que a Igreja esteja sempre em comunhão e a serviço do Reino de Deus, demonstrando de forma cada vez mais visível e concreta o rosto bondoso, amoroso e misericordioso do Pai, especialmente neste Ano Santo da Misericórdia em que estamos vivendo. “É sempre oportuno lembrar essa comparação, da carta de São Paulo, belíssima como a gente já conhece, do corpo; com a variedade dos seus membros, diferenciados, mas justamente por serem distintos, tão importantes, cada um no lugar onde se encontra para não estar isolado, não estar só, mas fazer unidade, fazer comunhão com os demais”, aconselhou Dom Luiz.

Como terceiro bispo desta diocese, demonstrou gratidão pela confiança nele depositada para este trabalho e disse que todos que fazem parte da jovem Diocese de Amparo devem buscar características inatas do que é jovem, reportando a jovialidade, a alegria, a vontade de algo novo, a criatividade, no sentido de mostrar a Igreja com a cara, com a face de um Jesus que seja aquilo que Ele deseja.

Dom Luiz Gonzaga Fechio agradeceu aos diocesanos pelo carinho e pelas orações e pediu para que continuem a orar, pedindo a interseção da Senhora do Amparo, para que seu ministério seja fecundo, e na condição de bispo, um grande colaborador do Reino de Deus.

“Deixo uma mensagem de gratidão e de convocação, um convite/convocação, diria assim, de que cada um que tiver contato com essas palavras, com essa minha fala, seja desde já uma pessoa que se sinta muito importante, para que independentemente de onde estiver e o que estiver fazendo dentro dessa Igreja: ponha muito amor. Como nosso Papa Francisco enfatiza tão bem, ponha misericórdia, para se sentir responsável de ser Igreja na sua atuação. Devemos ter consciência de que como diocese nós devemos construir esse Reino de Deus nesse território, que sem dúvida alguma é tão amado por Ele, e está sob a proteção de nossa Mãe querida, Senhora do Amparo”, concluiu.

Colaboração Pascom Diocesana de Amparo

 

 

 

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.