Ações Missionárias Destaques

Dois novos missionários para a Missão na Amazônia

Missa de envio do Pe. Rômulo Rodrigues Avagliano, (1º à esq.), celebrada na Festa de Cristo Rei, no dia 24 de novembro, na Catedral Diocesana de Mogi das Cruzes e presidida por Dom Pedro Luiz Stringhini

O Regional Sul 1 envia dois novos missionários para o Projeto Missionário na Amazônia.

O Projeto Missionário do Regional Sul 1 da CNBB passa a contar com dois novos missionários para atuar no Estado do Amazonas, durante os próximos quatro anos. São eles os padres Rômulo Rodrigues Avagliano, da Diocese de Mogi das Cruzes, e Paulo Henrique Oliveira, da Diocese de Limeira.

Pe. Rômulo viaja no próximo dia 21 de dezembro para a Diocese de Coari-AM, para atuar como vigário na catedral Diocesana de Sant’Ana e São Sebastião. Padre Paulo viaja no próximo dia 26 de dezembro para Manaus e, de lá, para a Diocese de São Gabriel da Cachoeira (AM). Irá trabalhar no Município de Barcelos-AM.

Pe. Rômulo já foi missionário na Diocese de Coari e acredita que a nova experiência missionária será muito rica. “É a alegria de servir no dinamismo do Reino de Deus, como colaborador das articulações que intensificam a ação evangelizadora junto ao Povo de Deus, vivenciando a prática do mandamento de Jesus: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei” (Jo 15,12).

Já para o Pe. Paulo Henrique, quando se fala da Missão, vem à mente as palavras do Senhor Jesus Ressuscitado, antes da Ascensão, quando deixou à Igreja nascente este mandato: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16,15).

Breve histórico

Pe. Romulo Rodrigues Avagliano é natural de Taubaté (SP) e pertence ao clero de Mogi das Cruzes. Nos últimos anos, foi pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Ferraz de Vasconcelos, conselheiro espiritual diocesano do Encontro de Casais com Cristo – ECC e coordenador da equipe de elaboração do folheto litúrgico semanal diocesano.

Pe. Romulo: “Espero servir com alegria a missão na Amazônia, junto ao povo de Deus, especialmente, aos mais pobres, em regiões de carências e sofrimentos”

Desde seminarista, nutre o desejo de ser missionário, sobretudo na escolha de estar junto aos mais pobres, em regiões de carências e sofrimentos, para servir com alegria na missão da Igreja junto ao povo de Deus. Como padre, já atuou no Amazonas, na Prelazia de Coari (hoje diocese).  Na ocasião, atuou na Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Codajás, através do Projeto Igrejas-Irmãs da Diocese de Mogi das Cruzes.

Depois, com o desejo de conhecer o Instituto Missionário Jesus dos Pobres, ficou por três anos servindo no sertão paraibano, na cidade de Cajazeiras, Paraíba. Esta será a sua terceira experiência missionária, e sua expectativa para atuar no Estado do Amazonas, na cidade de Coari, na catedral Diocesana de Sant’Ana e São Sebastião, é grande: “espero contribuir para a missão na Amazônia. Através da missão, no discernimento do Espírito Santo, protagonista desta ação em nossa vida, encontramos expressões e propostas para caminhar junto com o povo de Deus, nas ruas, nos rios, nas aldeias, nas periferias, nas florestas, e para sentir com esse povo suas dores, alimentando suas esperanças em Jesus Cristo, pois Ele é ‘o Caminho, a Verdade e a Vida’ (Jo 14,6)”.

Pe. Paulo: “O apelo missionário sempre esteve presente na minha vida de padre”

Pe. Paulo Henrique Oliveira, conhecido como Pe. Paulino, é do clero de Limeira e natural de Santa Barbara D’ Oeste (SP). O apelo missionário sempre esteve presente na sua vida de padre. Essa ideia foi amadurecendo, aumentou mais ainda depois da Conferencia de Aparecida (2007) e, ultimamente, com o Sínodo da Amazônia. “Tocou-me profundamente saber que muitos irmãos ficam meses sem a Eucaristia. Neste ano, Deus, em sua imensa misericórdia, preparou as condições favoráveis para que esse apelo se concretizasse”.

Apesar de ser a primeira experiência missionaria fora da Diocese, o padre sempre atuou nas periferias das cidades. Na diocese de Limeira, ele exerceu seu ministério na função de pároco em Araras, Porto Ferreira, Novo Odessa e Americana. Foi também Vigário e Administrador Paroquial em Limeira e Cordeirópolis. Colaborou também como Orientador Espiritual no Seminário de Filosofia e assessorou algumas pastorais.

“Para quem pensa em ser missionário ou missionária, a palavra é de incentivo e confiança em Deus para colocar-se inteiramente à disposição para servir onde for enviado, interagindo com irmãos e irmãs que lá estão. O Espirito Santo de Deus, protagonista da missão, age na docilidade, humildade e simplicidade”, afirma Pe. Paulo.

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.