Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O isolamento social distanciou, por um período, os Catequistas de suas turmas, mas não só; também entre os voluntários não foi possível celebrar a vocação como era costume acontecer ano a ano. Nada disso, porém, interrompeu as atividades catequéticas: em especial, os encontros migraram para os meios digitais e novas habilidades foram desenvolvidas; tudo em prol do anúncio da Boa Nova de Jesus Cristo.

Superada essa fase, 28 de agosto de 2022 marcou o início de um novo tempo. Na Paróquia São Pedro e São Paulo, em São José do Rio Preto/SP, mais de 400 agentes se reuniram para rezar e agradecer pela vocação colocada a serviço e pela retomada das ações na modalidade presencial.

Formação

A programação do Dia Nacional do Catequista, na Diocese de São José do Rio Preto, contou com momento de formação dirigido pelo padre Roberto Bocalete, da Diocese de Votuporanga/SP. Entre tantos aspectos, o presbítero recordou que “Jesus era terapêutico” ao favorecer a libertação do povo como “remédio” eficaz para garantir um novo sentido para vida daqueles que padeciam com as consequências de uma opressão doentia.

O presbítero, sublinhando um processo de “adoecimento cultural” vigente, recordou a importância de uma Catequese que leva seus interlocutores a rezar. “Primeiro a Palavra é dirigida a mim, depois eu a anuncio ao outro. Eu tenho que saber rezar para ajudar o outro a rezar”, completou.

Ainda segundo o padre Bocalete, os encontros catequéticos precisam abrir espaço para o espontâneo que conduza ao orante. É preciso também, segundo ele, que a vocação esteja a serviço da missão; uma “Igreja em saída” que promova e valorize a cultura do encontro. “Encontrar o Senhor é uma alegria tão grande que desejamos contar para o outro. Quando esse anúncio é bem feito, ele toca. Nós não podemos aceitar as pessoas longe e desagregadas. O Ministério do Catequista é um serviço eclesial em prol da salvação: eu não me salvo sozinho”, garantiu o assessor.

Organização Diocesana

Ainda no contexto da programação incentivada pela coordenadora diocesana da Catequese, Irmã Rosângela Fontoura, e equipe, a Santa Missa se firmou como momento de envio. Durante a Celebração, o coordenador diocesano de pastoral, padre Luiz Caputo, confirmou o padre Edvaldo Rosário Calazans, que é, também, Vigário Geral da Diocese, como novo assessor eclesiástico do grupo. Seu antecessor, padre Carlos Ciol, foi reverenciado pela atuação até ali. “Quero estar com vocês na caminhada. Contem com as missas orações diárias”, garantiu o padre Calazans. Ao final da Celebração, e antes do almoço comunitário, o pároco local, padre Leandro Luís Bernardes, abençoou ícones que foram ofertados em gratidão e homenagem aos presentes.

Se o Dia Nacional do Catequista marcou a retomada das celebrações diocesanas presenciais do grupo, o encontro foi, igualmente, o reafirmar de certeza sublinhada pelo padre Bocalete: “permanecendo em Cristo, todos darão frutos”.

Texto e Fotos: André Botelho (Jornalista / Assessoria de Imprensa - Diocese de São José do Rio Preto)