Notícias

Diocese de Mogi das Cruzes celebra Missa de encerramento da Festa em memória da beata Esperança de Jesus

08fev2018_ (37) Foto Jorge SousaO processo de canonização da “Serva de Deus”, está em andamento, aguardando a definição oficial da Igreja

Cerca de 800 pessoas participaram da Missa Solene da Festa Litúrgica da beata Esperança de Jesus, presidida pelo arcebispo metropolitano de São Paulo, o cardeal Odilo Pedro Scherer, no dia 08 de fevereiro, no Santuário Cristo Amor Misericordioso, em Mogi das Cruzes (SP). A celebração foi concelebrada pelo bispo diocesano de Mogi das Cruzes, Dom Pedro Luiz Stringhini, e sacerdotes da Congregação dos Filhos do Amor Misericordioso (FAM), e da Diocese.

A comunidade acolheu com grande alegria ao cardeal no encerramento da festa da beata espanhola que fundou duas Congregações: as Servas do Amor Misericordioso (SAM), em 1930, em Madri, na Espanha, e os Filhos do Amor Misericordioso (FAM), em 1951, em Roma, que chegaram ao Brasil, em Mogi das Cruzes (SP), no final da década de 1970.

Durante a homilia da missa dedicada à Apóstola do Amor Misericordioso, como era conhecida a beata Esperança de Jesus, Dom Odilo Pedro Scherer destacou a importância da misericórdia na vida da Igreja. “Me alegro muito de estar aqui com vocês celebrando neste Santuário, tão significativo, dedicado ao Amor Misericordioso, na festa de Madre Esperança, porque a misericórdia é o coração da Igreja, é dimensão fundamental na vida cristã. Quem confiou na misericórdia de Deus e ficou desiludido? Assim como no Ano Santo da Misericórdia, que foi muito oportuno para a vida da Igreja, não podemos nos esquecer de que Deus é Amor Misericordioso, que se manifestou para nós através de Jesus Cristo, o filho de Deus, que se humilhou até a morte, morte na cruz, porque Deus ama até o fim, porque o Seu Amor Misericordioso não tem limite”.

As celebrações tiveram início no dia 04 de fevereiro, e a celebração presidida pelo arcebispo de São Paulo deu fim às festividades. “Foi uma grande graça ter o cardeal aqui conosco para encerrar a Festa de Madre Esperança, uma alegria de ele poder vir celebrar neste Santuário tão importante para a nossa família religiosa que busca, com o testemunho da Madre, divulgar o Amor Misericordioso de Deus”, afirmou o Pe. Sérgio Henrique Rodrigues, FAM, delegado da Congregação no Brasil. O religioso recordou ainda que o convite surgiu após encontrar o cardeal durante Congresso Continental da Misericórdia nas Américas (ACCOM), em junho de 2017, em Aparecida (SP).

A Festa da beata Esperança de Jesus foi organizada pela Paróquia Imaculado Coração de Maria e a Família do Amor Misericordioso, formada pelas Congregações das Servas do Amor Misericordioso (SAM) e dos Filhos do Amor Misericordioso (FAM) e a Associação dos Leigos do Amor Misericordioso (ALAM).

Nascida na Espanha, em 30 de setembro de 1893, a Beata, que se chamava María Josefa Alhama Valera, e era a mais velha de nove irmãos de uma humilde família, ingressou, em 1915, no convento das Filhas do Calvário, em Villena, na Espanha. Depois, esta Congregação foi agregada ao Instituto das Missionárias Claretianas em 1920. Deixou o Instituto, para na noite de Natal de 1930, fundar em Madri, na Espanha, a Congregação das Servas do Amor Misericordioso (SAM). Já na Itália, em Roma, no dia 15 de agosto de 1951, criou a Congregação dos Filhos do Amor Misericordioso (FAM). Em 1953, deu início ao projeto para a construção do Santuário do Amor Misericordioso, no distrito de Collevalenza, em Todi (IT), um moderno complexo religioso, que recebeu a visita do então Papa João Paulo II, em 1981 e todos os anos, recebe milhares de peregrinos. Consagrou e dedicou toda a vida ao Senhor e à missão de divulgá-lo a todas as pessoas, como um Pai bondoso e uma terna Mãe. Após uma vida entregue ao serviço de Deus, dos sacerdotes e dos mais necessitados, morre no Santuário do Amor Misericordioso, em 08 de fevereiro de 1983.

Em 2002, no dia 23 de abril, a Igreja, depois de reconhecer as virtudes heroicas, declarou-a venerável. Foi beatificada em 31 de maio de 2014, no Santuário do Amor Misericordioso, em Collevalenza, na Itália. Atualmente, o processo de canonização está em andamento.

As Congregações das Servas e dos Filhos do Amor Misericordioso chegaram ao Brasil no final da década de 1970, e atualmente, além da Diocese das Cruzes, estão presentes em Bacabal no Maranhão (onde o bispo diocesano, Dom Armando Martin Gutierrez, é Filho do Amor Misericordioso e trabalhou na Paróquia Imaculado Coração de Maria, no bairro do Jardim Universo, em Mogi das Cruzes), e em Juiz de Fora (MG).

Entre as preocupações das duas Congregações estão a assistência aos mais necessitados, por isso, realiza trabalhos em hospitais, asilos, creches e escolas carentes, seguindo o carisma da fundadora de fazer tudo por amor e de mostrar a misericórdia de Deus a todos os povos.

Em Mogi das Cruzes, a Família do Amor Misericordioso é responsável pela administração de várias entidades sociais, como creches e escolas de formações, entre eles o Instituto Anna de Moura no Jardim Santa Teresa e o Centro Familiar Maria Medianeira, na Vila Nova União.

(Com informações de Luciana Martins, da Diocese de Mogi das Cruzes). Fotos Diocese de Mogi das Cruzes

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.