ACN CNBB Destaques Especial

Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos

Cristãos na região destruída de Ghouta Oriental, Síria, rezam em frente ao ícone de Nossa Senhora das Dores. (Crédito: ACN)

O Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos, celebrado nesta quinta-feira, dia 6 de agosto, é promovido pela Fundação Pontifícia ACN Brasil (Ajuda à Igreja que Sofre), e recebe o apoio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Este ano, devido à atual pandemia da Covid-19, a sexta edição Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos será totalmente on-line.

Em comunicado, a Fundação alerta que “os cristãos continuam sendo o grupo religioso mais perseguido no mundo. De fato, 80% das pessoas que sofrem perseguições por conta da fé são cristãs; 327 milhões de cristãos vivem em países onde há perseguição religiosa; 178 milhões de cristãos estão em países onde são discriminados por motivos religiosos. Com isso, se conclui que 1 em cada 5 cristãos no mundo, vive em países onde há perseguição ou discriminação religiosa.

Após um período de genocídio nos últimos anos, a perseguição aos cristãos nos principais países do Oriente Médio, como por exemplo a Síria e o Iraque, diminuiu muito. Apesar disso, o impacto deste genocídio – continuação dos fluxos migratórios, crises de segurança, pobreza extrema e retomada econômica lenta – indica que pode ser muito tarde para que algumas comunidades cristãs do Oriente Médio se recuperem. De acordo com as fontes consultadas pela ACN, os cristãos no Iraque temem novas intervenções do grupo Estado Islâmico, além de outros grupos extremistas que continuam na região.

Ainda de acordo com o comunicado, na África os cristãos estão ameaçados por extremistas islâmicos que procuram eliminar a Igreja, seja pelo uso da força, ou por meios desonestos, incluindo subornar pessoas para que mudem de religião. A região do Sahel parece ter sido a nova escolha para se estabelecer um califado islâmico. Em países como Burkina Faso, o grupo terrorista Boko Haram usa novas estratégias e intensifica o terror, com crescente crueldade contra a população.

No sudeste da África, em Moçambique, três igrejas católicas foram atacadas recentemente por terroristas que agora se dizem afiliados ao grupo Estado Islâmico. O último ataque foi em junho deste ano. Essa onde de terror já gerou centenas de mortes e mais de 200 mil deslocados.

No mundo, os principais perseguidores dos cristãos são o extremismo islâmico, o nacionalismo populista e os regimes autoritários.

O Dia de Oração

O Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos teve início em 2015 e, desde então, ocorre em agosto, em referência à noite de 6 de agosto de 2014, quando cerca de 100 mil cristãos tiveram de abandonar suas casas na Planície de Nínive, no Iraque, expulsos pelos extremistas do grupo Estado Islâmico. Eles fugiram somente com as roupas do corpo, sem água ou comida, e desamparados, enfrentaram longas jornadas. Assim que recebeu as primeiras informações na manhã do dia 7 de agosto, a ACN mobilizou os benfeitores e iniciou campanhas e projetos para socorrer materialmente e espiritualmente aqueles cristãos perseguidos e refugiados.

Com este Dia de Oração, uma iniciativa da ACN com o apoio da CNBB, as pessoas passaram a ter mais informações sobre a feroz perseguição a muitos seguidores de Jesus Cristo e souberam que, em determinadas partes do mundo, uma pessoa pode morrer simplesmente por usar um crucifixo no pescoço.

Sobre a ACN (Ajuda à Igreja que Sofre)

A ACN (Ajuda à Igreja que Sofre) é uma Fundação Pontifícia que auxilia a Igreja por meio de informações, orações e projetos de ajuda a pessoas ou grupos que sofrem perseguição e opressão religiosa e social ou que estejam em necessidade. Fundada no Natal de 1947, a ACN tornou-se uma Fundação Pontifícia da Igreja em 2011. Todos os anos, a instituição atende mais de 5.000 pedidos de ajuda de bispos e superiores religiosos em cerca de 140 países, incluindo: formação de seminaristas, impressão de Bíblias e literatura religiosa – incluindo a Bíblia da Criança da ACN com mais de 51 milhões de exemplares impressos em mais de 180 línguas; apoia padres e religiosos em missões e situações críticas; construção e restauração de igrejas e demais instalações eclesiais; programas religiosos de comunicação; e ajuda aos refugiados e vítimas de conflitos.

Regional Sul 1, com informações da Fundação Pontifícia ACN Brasil (Ajuda à Igreja que Sofre).

Palavra do Presidente

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.