Notícias

Comunicadores católicos devem acompanhar e orientar as novas gerações

10645_bannerO “trabalho de comunicadores católicos devem se tornar levedura que fermenta a mídia em ambiente com valores e imagens de construtores da paz do Evangelho para inspirar a próxima geração”, disse o presidente do Departamento de Comunicação e Conselho de Imprensa Episcopado Latino-americano, CELAM Bispo Adalberto Martinez.

A mensagem foi expressa através de um de vídeo na qual ele saudou os participantes do Congresso e Assembléia SIGNIS 2014, que se realiza em Roma, sobre o tema “Mídia para uma Cultura de Paz:. Criar imagens com a nova geração”

Segundo ele, os Bispos da América Latina e do Caribe se unam ao pensamento do papa Francisco para os participantes do Congresso SIGNIS observou que “os comunicadores católicos são confrontados com o aumento da frequência o desafio de apresentar a sabedoria, a verdade ea beleza do Evangelho em uma linguagem capaz de tocar os corações e mentes” especialmente as crianças e jovens da geração digital.

Monsenhor Martinez constatou que em “diferentes partes do mundo, há conflito, confronto de interesses e posições ideológicas dos jogos de poder, tendo em meio a um conjunto de cidadãos que aspira a viver em paz, a democracia, uma sociedade sem discriminação, a solidariedade, o respeito à dignidade e aos direitos humanos fundamentais”, e citou as situações dramáticas “povos que vivem na Venezuela, Ucrânia, Síria, entre outros pontos de conflito no mundo, com saldos fatais em vidas humanas”.

A partir desses países, chegam imagens de dor e luto, o que nos leva a desejar fortemente para estar de volta em breve a calma, diálogo, reconciliação e de paz “, disse ele.

Assim também advertiu que através de imagens de mídia de outros tipos de violência que ocorrem na “vida doméstica cotidiana, com o conteúdo que agridem a dignidade das pessoas, a partir da manipulação da verdade, a beleza e a dignidade são transmitidos o corpo humano a serviço do consumismo e eu desfigurar as pessoas e forjar falsas imagens ou distorcidas, com maior incidência na percepção de crianças e jovens em nossa sociedade”.

Diante dessa realidade, considerou que o trabalho dos comunicadores católicos devem incidir “os meios de comunicação com valores e imagens de construtores da paz do Evangelho para inspirar a próxima geração” e “acompanhar e orientar as novas gerações processo em sua busca da verdade, a beleza, a verdadeira imagem da pessoa humana criada à imagem e semelhança de Deus “.

Clique aqui para ler a Mensagem completa.

Texto e foto do site Signis Brasil

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.