Destaques Especial

Arquidioceses e dioceses paulistas se mobilizam para combater a pandemia do coronavírus

Famiglia Cristiana

Diante do crescente número de suspeitas de coronavírus no Brasil e no Estado de São Paulo, as Arquidioceses e Diocese do Estado de São Paulo vem orientando seus fiéis para evitar a disseminação do novo coronavírus.

O Regional Sul 1 da CNBB, que compreende o estado de São Paulo, divulgou um vídeo do presidente da entidade, Dom Pedro Luiz Stringhini, sobre a prevenção do coronavírus. No vídeo, o Presidente pede que sigamos as orientações do Ministério da Saúde, que recomenda: lavar bem as mãos, sobretudo o contato entre as pessoas e evitar aglomerações. Também orienta que os fiéis sigam as orientações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), como também, as orientações do bispo diocesano, em cada diocese.

No Santuário Nacional de Aparecida, as missas e demais celebrações abertas ao público foram suspensas, em consideração às orientações das autoridades para a prevenção do Covid-19.

Todas as celebrações da Casa da Mãe Aparecida também podem ser revistas no YouTube do Santuário de Aparecida. Esta é uma oportunidade para os devotos retomarem a liturgia diária e as reflexões das homilias dos missionários redentoristas.

A Arquidiocese de Campinas (SP) foi a primeira a suspender todas as missas em seu território, já no sábado, 14 de março. O intuito, claro, é evitar a aglomeração de pessoas e obedecer orientação da Secretaria Municipal de Saúde de Campinas.

No entanto, casamentos e batizados já agendados ainda não estão suspensos, mas a recomendação do Arcebispo, Dom João Inácio Müller, é que se tenha o menor número de convidados possível.

A Arquidiocese de São Paulo, na pessoa de seu Arcebispo, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, emitiu um comunicado recomendando a seus fiéis que sigam as orientações das autoridades sanitárias em relação à prevenção e aos cuidados da saúde dos doentes.

Recomenda-se manter as igrejas abertas, limpas, e bem ventiladas, para as celebrações e atividades religiosas.

Nas igrejas com grande afluência de fiéis, durante o período de maior risco de contágio, aumente-se, enquanto possível, o número de celebrações para evitar grandes aglomerações. Durante as celebrações, evite-se o contato físico, sobretudo, na saudação da paz e na oração do Pai-Nosso; a comunhão seja recebida, preferencialmente, na mão.

Os idosos e outras pessoas que fazem parte do grupo de risco para desenvolver formas graves da doença, podem acompanhar as celebrações da liturgia em suas casas, através dos meios de comunicação, até que seja superada a pandemia.

Recomenda-se que os ministros da Igreja estejam atentos à saúde de seus paroquianos e que os doentes não sejam abandonados, mas recebam a devida assistência e conforto religioso.

O arcebispo de Sorocaba, dom Julio Endi Akamine, emitiu também uma nota pastoral referente à prevenção ao Coronavírus. “Procuremos enfrentar esta pandemia com espírito cristão e com a força do Evangelho. Aproveitemos esse momento de sofrimento como um tempo de penitência e de conversão. A CF nos chama a cuidar dos caídos pelo caminho: que as medidas de contenção sejam assumidas como ato de amor e de cuidado. As restrições sejam assumidas como forma de um cuidado mais zeloso pela saúde dos outros principalmente das pessoas mais vulneráveis e fragilizadas. Procuremos cuidar com mais carinho de nossos idosos e doentes”, destacou dom Julio, em um dos trechos da nota.

Acompanhando o agravamento da situação do Coronavírus, no Brasil e no Estado de São Paulo, o arcebispo de Ribeirão Preto, dom Moacir Silva, também emitiu uma nota com orientações para combate ao Coronavírus.

“Esperamos que essas medidas não nos causem pânico, nem tampouco nos impeçam de viver a nossa Fé, junto de nossas comunidades, casas onde o Evangelho e a Eucaristia nos fortalecem a cada momento”,  destacou dom Moacir, a todos os homens e mulheres de boa vontade da Arquidiocese de Ribeirão Preto

No dia 16 de março, a Diocese de Mogi das Cruzes também emitiu uma nota com algumas recomendações. “Considerando que vários sacerdotes pediram orientações precisas a respeito das medidas profiláticas a adotar diante da eminência de uma grave epidemia, como vem sendo noticiado e afirmado pelas autoridades civis; Ressaltando sempre que é às estruturas de saúde e às autoridades constituídas a quem compete fornecer as orientações de profilaxia e cuidados sanitários; Resolvemos por bem, dirigir aos padres, diáconos, e demais agentes pastorais as recomendações …” afirma Dom Pedro Luiz Stringhini, em nota. 

O bispo de Santo André, Dom Pedro Carlos Cipolini, assinou um decreto que dispõe algumas práticas e recomendações.

Em Assis (SP), o bispo diocesano, Dom Francisco Carlos da Silva e o vigário Episcopal para assuntos pastorais, emitiram um comunicado específico para sua diocese com 10 medidas a serem tomadas pelos padres e fieis da região como:

  1. Omitir a saudação da paz, bem como o costume de rezar a oração do Pai-Nosso de mãos dadas;
  2. Distribuir a Sagrada Comunhão Eucarística somente sob a espécie de pão, e na mão do fiel, e evitar levar a comunhão nas casas dos enfermos e idosos (analisar cada caso);
  3. Distribuir a Sagrada Comunhão aos doentes com particular atenção. Aos enfermos e aos idosos, grupo de risco, ficam desobrigados do compromisso cristão católico de participar das Missas semanais. Poderão permanecer em comunhão espiritual e unidos à comunidade de fé a partir das celebrações transmitidas pelos variados meios de comunicação católico disponível em território diocesano e nacional;
  4. Nas comunidades de fé e em outros ambientes eclesiais, redobrar os cuidados com a limpeza e facilitar para que os fiéis tenham acesso a álcool em gel se possível. Manter ventilados os locais onde acontecem as celebrações litúrgicas afim de que os locais de culto sejam mais arejados. Quando possível, solicitamos aos evangelizadores que organizam celebrações em espaços abertos, especialmente as que reúnem mais pessoas;
  5. Orientar os fiéis sobre as atitudes básicas que previnem o contagio seguindo as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e, em particular, as recomendações do Ministério da Saúde;
  6. No âmbito de nossas três regiões pastorais (Lins, Penápolis e Pirajuí), foranias, paróquias e outras instâncias eclesiais, suspender, por quinze dias, a realização de encontros, formações, assembleias, seminários e outros eventos que contribuam para aglomerar pessoas. Havendo possibilidade, remarcar atividades já previstas no calendário pastoral;
  7. Torna-se prudente suspender mutirão de confissões nas comunidades paroquiais e foranias. Solicitamos aos sacerdotes que dediquem horário especial, diário, para acolher os fiéis que buscam o Sacramento da Reconciliação, sobretudo neste tempo de Quaresma.
  8. Recomenda-se também suspender, em sintonia com as escolas municipais e estaduais dos municípios, toda a atividade no âmbito da catequese;
  9. Importante redobrar cautela para não compartilhar notícias falsas (Fake News). A mentira, além de prejudicar o enfrentamento e o combate da doença, gera pânico na comunidade, agravando a situação. Nesse sentido, oportuno é checar cada informação recebida pesquisando em outras referências fidedignas.
  1. Se possível, intensificar, nos modos possíveis, a promoção de momentos de oração e preces a Deus para que nos livre deste e de muitos males que atentam contra a vida na sociedade, fortalecendo os agentes e profissionais da saúde para que realizem tudo o que for necessário para superarmos a ameaça do Coronavírus e de outras enfermidades.

Na Diocese de Marília, o bispo diocesano de Marília, Dom Luiz Antonio Cipolini também emitiu comunicado aos fiéis com orientações para colaborar com os esforços da sociedade civil no combate à proliferação do novo Coronavírus (2019-nCoV).

Na Diocese de Presidente Prudente, o bispo diocesano, Dom Benedito Gonçalves dos Santos, também emitiu nota com recomendações na prevenção contra o coronavírus.

“A Diocese de Presidente Prudente, neste ano celebrando seu jubileu de Diamante, ciente de que a vida é dom e compromisso, em comunhão com as orientações da mensagem da CNBB, “Tempos de Esperança e Solidariedade”, de 14/03/2020, à qual recomenda atenção e consideração irrestrita dos especialistas de saúde e autoridades competentes, tendo em vista o complexo quadro gerado pela pandemia do  Coronavírus, ciente que as restrições não durarão para sempre, serve-se da presente para dar algumas orientações”.

Além disso, a Pastoral da Saúde da Diocese de Presidente Prudente suspendeu todas as visitas em hospitais, casas de repouso, enfermos e idosos em ruas residências, por um período determinado até a Páscoa do Senhor (12/04/2020). “A Pastoral da Saúde visa cuidar da vida e proteger a sua integridade da concepção até a morte natural. Tendo em vista que enfrentamos uma pandemia do Novo Corona Vírus segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), e salvaguardando a vida de nossos agentes, idosos e enfermos, que em sua maioria estão entre o grupo dos mais vulneráveis (acima de 60 anos).”, diz nota.

Dioceses como as de Santo Amaro, Jundiaí, Bragança Paulista, Araçatuba, Piracicaba, Jaboticabal e a maioria das arquidioceses e dioceses também divulgaram suas orientações para evitar a disseminação do novo coronavírus.

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.