Notícias

Arcebispo de Campinas, Dom Airton José dos Santos é transferido para Mariana (MG)

O Santo Padre, o Papa Francisco, aceitando a renúncia de Dom Geraldo Lyrio Rocha, nomeou na manhã de hoje, dia 25 de abril de 2018, Dom Airton José dos Santos como novo Arcebispo de Mariana, MG, transferindo-o da Arquidiocese de Campinas.

Dom Airton é mineiro, nascido em Bom Repouso, na Arquidiocese de Pouso Alegre, aos 25 de junho de 1956. Cursou Filosofia na Faculdade do Ipiranga e Teologia na Faculdade Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo. Tem mestrado em Direito Canônico obtido na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma.

Pertencente ao Clero de Santo André – SP, Dom Airton foi ordenado Bispo Auxiliar dessa diocese, aos 02 de março de 2002. Em 2004, foi nomeado Bispo de Mogi das Cruzes – SP. Tomou posse como Arcebispo de Campinas – SP, aos 15 de fevereiro de 2012. Exerce as funções de Grão-Chanceler da PUC-Campinas. Entre outras atribuições, foi Secretário do Regional Sul 1 da CNBB (São Paulo) e atualmente é Presidente do mesmo Regional. Foi também membro da Comissão Episcopal para os Tribunais Eclesiásticos de Segunda Instância.

Dom Geraldo exercerá a função de Administrador Apostólico até a posse canônica de Dom Airton, no próximo dia 23 de junho.

Dom Leonardo Steiner, secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), enviou saudação em nome da entidade ao novo arcebispo de Mariana (MG).

Confira, abaixo, a saudação na íntegra:

Saudação da CNBB a dom Airton José dos Santos

Brasília, 25 de abril de 2018

Prezado Irmão, dom Airton José dos Santos.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) envia saudação ao senhor pela sua nomeação, publicada nesta quarta-feira, 25 de abril, pelo Papa Francisco, como novo arcebispo de Mariana (MG).

A missão que o senhor já cumpriu como bispo auxiliar em Santo André (SP), como bispo de Mogi das Cruzes (SP) e como arcebispo metropolitano de Campinas (SP) o conduz a um sereno abraço ao pastoreio da arquidiocese de Mariana (MG).

Saudamos sua nomeação com as palavras do Santo Padre, Papa Francisco, pronunciadas em encontro com Irmãos bispos no mês de setembro de 2016, em Roma: “Não tenhais medo de propor a misericórdia como resumo daquilo que Deus oferece ao mundo, porque o coração do homem não pode aspirar a nada de maior. Se isto não fosse suficiente para ‘dobrar o que é rígido, aquecer o que é gélido, endireitar o que está desviado’, o que mais teria poder sobre o homem? Então, estaríamos desesperadamente condenados à impotência. Teriam, porventura, os nossos temores o poder de contrastar os muros e abrir passagens? Por acaso as nossas inseguranças e desconfianças são capazes de suscitar docilidade e consolação na solidão e no abandono? Como ensinou o meu venerado e sábio Predecessor, é ‘a misericórdia que põe um limite ao mal. É nela que se expressa a natureza muito peculiar de Deus, a sua santidade, o poder da verdade e do amor’. Ela é ‘o modo como Deus se opõe ao poder das trevas com o seu poder totalmente diverso e divino’, precisamente ‘o poder da misericórdia’ (Bento XVI, Homilia, 15 de abril de 2007)”.

Em Cristo,

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB

Com informações da CNBB, Arquidiocese de Mariana.

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.