Notícias

Agentes de pastorais prestam homenagem a dom Paulo Evaristo Arns

para-site

Dom Paulo é lembrado como profeta, pastor dos pobres, cardeal da esperança

Cerca de 30 pessoas, representantes dos organismos, das pastorais, movimentos e colaboradores do Regional Sul 1 da CNBB se reuniram na manhã de ontem (14), juntamente com o secretário-adjunto, padre João Carlos Deschamps, para uma missa em homenagem ao cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, Arcebispo Emérito da Arquidiocese de São Paulo, morto na última quarta-feira, 14, aos 95 anos. A missa foi celebrada na capela da sede do episcopado paulista, na capital.

Durante a celebração eucarística, agentes falaram sobre o cardeal Dom Paulo Evaristo Arns.

Conselho Nacional do Laicato do Brasil – Regional Sul I

O Conselho Nacional do Laicato do Brasil – Regional Sul I expressa profunda consternação pela páscoa do irmão Paulo Evaristo Arns.

Em nota, o Conselho do Laicato disse que dom Paulo Evaristo Arns foi um pastor em servir incansavelmente os pobres, os amados com predileção, e de sua jornada em defesa inequívoca dos Direitos Humanos: ninguém conseguiu calar sua voz! Celebrar a morte de nossos profetas é mergulhar no mistério da Ressurreição do Senhor e atualizar nossa luta em defesa da vida. Unimo-nos a todos os homens e mulheres de boa vontade e de nossos corações brota um canto pascal carregado de esperança e certeza de que o testemunho de nosso pastor nos converterá à fidelidade do Reino.

Campanha da Fraternidade

Por meio de um artigo, intitulado “Dom Paulo, um cardeal que pensou o ‘Brasil que queremos’”, o secretário-executivo da Campanha da Fraternidade, da CNBB Regional Sul 1, padre Antonio Carlos Frizzo, também manifestou pesar à morte de Arns e ressaltou, “De Esperança em esperança foi o lema adotado por Dom Paulo Evaristo Arns. Como poucos, dom Paulo, como gostava de ser chamado, não apenas sonhou, mas soube mostrar o caminho para um mundo mais irmanado, mais próximo das causas dos pobres. A memória de dom Paulo ficará entre nós por muito tempo. Pois, soube ser mestre, exercer a autoridade e formar milhares de discípulos e discípulas que levam adiante seu projeto de um mundo cada vez melhor, mais justo e igualitário”.

Pastoral da Educação

O assessor do Setor Educação, da CNBB Regional Sul 1, Luiz Antônio de Souza Amaral, disse “no momento de tantas dificuldades e sofrimento que passa o povo brasileiro, lembrar-se das palavras de Dom Paulo, nosso sempre pastor que nos animava sempre a continuar de Esperança em Esperança, anime toda a Igreja no Brasil a lutar pela superação dessas dificuldades”.

Pastoral do Ensino Religioso

A vice-coordenadora da Pastoral do Ensino Religioso, professora Wilma Canonaco, também lamentou a morte do cardeal e lembrou que ele incentivou o Ensino Religioso nas escolas e, em especial, o Ensino Religioso na escola pública. Incentivou educadores, sob a coordenação do então padre Décio Pereira, a atuarem em suas salas de aula com a orientação pedagógica da profa. Maria José Dias Brosch. Professores de diversas denominações religiosas aderiram ao programa ecumênico que era oferecido. A esperança de Dom Paulo concretizou-se, o Ensino Religioso alcançou escolas públicas estaduais e municipais e, com estes educadores compromissados ele se encontrava anualmente, no mês dezembro, no auditório do Caetano de Campos, hoje dependências da Secretaria Estadual da Educação. A palavra de Dom Paulo era aguardada com ansiedade por todos, ela aquecia o coração e sustentava a missão daqueles educadores que sabiam que a relação com Deus é que dá sentido à vida.  “Ele nos deixou o exemplo e o caminho. Muito obrigado Dom Paulo Evaristo Arns, um santo herói de nossos dias”, disse profa. Wilma

Pastoral da Comunicação

O assessor da Pastoral da Comunicação, da CNBB Regional Sul 1, padre Marcos Vinicius Clementino, disse que a partida de Dom Paulo Evaristo Arns, o profeta da esperança, renova nossa confiança no bom uso dos meios de comunicação que desde o momento de sua morte repercutiu de forma positiva o papel deste grande pastor na história do Brasil. Segundo ele, de modo particular neste ano em que a mídia foi portadora de tantas decepções e contra valores e hoje são portadoras da esperança promovida pelo exemplo de luta e testemunho de Dom Paulo. Que possamos pedir a intercessão do profeta da esperança junto aos meios de comunicação para a promoção do bem da humanidade.

Comunidades Eclesiais de Base – CEBs

Por meio de nota, a Comunidades Eclesiais de Base – CEBs disse que “Dom Paulo encarnou na própria vida a opção evangélica pelos pequenos e marginalizados. Pregava uma Igreja povo de Deus em movimento, se despôs de palácios para ir ao encontro das periferias onde incentivou a formação das Comunidades Eclesiais de Base – CEBs”. A nota finaliza, “Obrigado Dom Paulo por ter sido este exemplo de homem e pastor comprometido com uma Igreja Libertadora e uma Sociedade mais justa e fraterna”.

Antes do fim da celebração, foi lida uma nota de pesar da Presidência pelo falecimento do cardeal Paulo Evaristo Arns.

A presidência recorda que a vida de Dom Paulo, foi “toda ela dedicada ao anúncio do Evangelho especialmente dos pobres”. E encerra a Nota: “De esperança em esperança, desejamos, um dia, nos reencontrar com ele quando nos reunirmos de novo no Reino dos Céus”.

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.