Artigos

A vida cristã e a Palavra de Deus

Reprodução Internet

Irmãos e Irmãs!

Transcorridos alguns meses da realização da 57ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB (01 a 10 de maio de 2019) retomamos um dos aspectos importantes das novas diretrizes, sobretudo, por ocasião do mês de setembro, mês da Bíblia, sem negligenciar outros aspectos não menos importantes tais como: a Missão, a Iniciação a Vida Cristã, a Liturgia…

Foram reavaliadas e renovadas as diretrizes anteriores. As novas (2019-2023), com seus desdobramentos recorrentes, apontam para a exigência de: “Evangelizar no Brasil cada vez mais urbano, pelo anúncio da Palavra de Deus, formando discípulos e discípulas de Jesus Cristo, em comunidades eclesiais missionárias, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, cuidando da casa comum e testemunhando o Reino de Deus rumo à plenitude”.

O novo texto das diretrizes é desenvolvido em quatro capítulos. 1º) O anúncio do Evangelho de Jesus Cristo que, ensinando nas cidades, povoados e sinagogas, apresenta o Reino de Deus, (cf. Mt 9, 35). 2º) O Olhar de Discípulos Missionários, semelhante ao olhar de Jesus (cf. Mt 9,36). 3º) A Igreja nas Casas, retomando a experiência das primeiras comunidades cristãs, compreende a Igreja como casa da comunidade, alimentada pelo ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, no partir do pão,  nas orações e na partilha dos bens, de modo que não houvesse necessitados entre eles (At 2, 42-47). 4º) A Igreja em Missão, na alegria e no testemunho (At 8, 8).

No capítulo terceiro – A Igreja nas Casas – estão os quatro pilares que, mais que urgências propostas por um determinado tempo, são fundamentos que sustentam a comunidade compreendida como casa, lugar do cultivo e da vivência do Reino de Deus, com relações de comunhão, de solidariedade e de partilha. Casa que nos remete às primeiras comunidades, cujo estilo de vida na alegria e na hospitalidade marcava o seguimento de Jesus, sempre aberta, inclusive para os pecadores e pagãos.

O primeiro pilar apresenta A PALAVRA com destaque para a Iniciação à Vida Cristã e Animação Bíblica da Vida e da Pastoral; o segundo pilar, o PÃO, aponta para a Liturgia e a Espiritualidade; o terceiro pilar, a CARIDADE, reforça a exigência do serviço à vida plena; o quarto pilar, a AÇÃO MISSIONÁRIA, faz referência à Igreja em estado permanente de missão.

Motiva-nos uma simples, mas oportuna reflexão sobre o pilar – a PALAVRA DE DEUS – uma vez que o mês de setembro, em nossas Paróquias e Comunidades dá a ela um destaque especial. Lembramos a caminhada da Igreja no Brasil com a proposta da Iniciação à Vida Cristã e Animação Bíblica da Vida e da Pastoral urgindo aproximar mais as pessoas e as comunidades da Leitura Orante da Palavra de Deus. Não basta ler ou estudar a Sagrada Escritura, pois, a “inteligência das Escrituras exige, mais do que o estudo, a intimidade com Cristo e a oração’. É indispensável, igualmente, uma Leitura Orante comunitária, que evite ‘o risco de uma abordagem individualista, tendo presente que a Palavra de Deus nos é dada precisamente para construir comunhão, para nos unir na verdade no nosso caminho para Deus. Sendo uma palavra que se dirigi a cada um pessoalmente, é também uma palavra que constrói comunidade, que constrói a Igreja. Por isso, o texto sagrado deve ser sempre abordado na comunhão eclesial’”(cf. VD, nº 86).

Nosso desejo é que em todos os âmbitos da Ação Evangelizadora diocesana, com os ministros ordenados, agentes pastorais, vida consagrada, seminaristas, cristãos leigos e leigas, agentes de pastorais específicas, movimentos eclesiais, associação de fiéis, novas comunidades e organismos eclesiais, as novas diretrizes sejam conhecidas, estudadas e aprofundadas, sobretudo na partilha e na oração.

Cremos, assim, poder colaborar na Evangelização do mundo urbano atual que, mais que um lugar geográfico, é uma mentalidade que atinge a todos. Mundo com sua grandeza e seus desafios, possibilidades e limites, riqueza e pobreza. Um mundo onde é possível um novo tempo com justiça e dignidade para todos

Recorremos à proteção da Virgem Maria, entre nós, a Senhora Aparecida, para com ela viver a alegria do Evangelho no discipulado e missionariedade, na certeza de que “se o Senhor não construir a casa, em vão trabalham os que a constroem; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia aquele que a guarda” (Sl 127/126, 1).

Por Dom Sérgio Aparecido Colombo, Bispo Diocesano de Bragança Paulista

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.