Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

40 Anos de diálogo entre católicos e anglicanos no Brasil

O caminho dos diálogos bilaterais religiosos e as Comissões de diálogo religioso são um dos grandes frutos do Concílio Ecumênico Vaticano II. Em 1964, São Paulo VI promulgou o Decreto Unitatis Redintegrato, que trata sobre o Ecumenismo e o reestabelecimento da unidade entre os cristãos. Dois anos mais tarde, em 1966, São Paulo VI e o Arcebispo da Cantuária, Dr. Michael Ramsey, firmaram um compromisso, que resultou na criação da Comissão Internacional Anglicano-Católica, ARCIC (sigla em inglês). Desta, por sua vez, nasceu a Comissão Nacional Anglicano-Católica Romana (CONAC), cuja sede está localizada na Casa da Reconciliação, em São Paulo.

Os diálogos e as comissões bilaterais são coordenados pelo Pontifício Conselho para Promoção da Unidade dos Cristãos e se dão entre duas Igrejas. Esse Pontifício Conselho é um organismo que pertence à Cúria romana. Foi criado como secretariado por São João XXIII, em 1960, e elevado à condição de conselho pontifício por São João Paulo II, em 1988. De acordo com o Vademecum Ecumênico, em linhas gerais, o trabalho do Pontifício Conselho é promover relações cada vez mais profundas com nossos irmãos e irmãs em Cristo, alicerçadas no diálogo de amor e da verdade, e esforços contínuos para superar as divisões doutrinais que nos impedem de partilhar a comunhão plena e visível, o respeito às diferenças.

Em 1982, no Brasil, com o apoio da ARCIC, aconteceram várias reuniões preparatórias entre anglicanos e católicos para formalizar o nascimento da CONAC. Os protagonistas da organização foram a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Sínodo da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil. A CONAC tem o compromisso de continuar esse diálogo entre essas duas igrejas, buscando crescer na oração, na unidade e na missão.

Por questões internas e por causa da crise sanitária da Covid-19, as atividades da CONAC ficaram suspensas por um período, mantendo contatos apenas de modo on-line. No entanto, em 2022, suas atividades foram retomadas com normalidade e de forma periódica.

Nesses 40 anos de diálogo, podemos destacar alguns passos que julgamos relevantes para a constituição da CONAC, como por exemplo, as reuniões que são realizadas, em forma de rodízio, na residência de um dos membros da Comissão ou nas dependências da igreja à qual ele pertence, seja ela anglicana ou católica. A pauta da reunião é sempre intercalada com momentos de oração, espiritualidade, estudo teológico de temas pertinentes às duas denominações. Normalmente se encerra com um almoço de confraternização, onde conversamos e refletimos sobre assuntos do cotidiano e da sociedade.

Outro passo muito importante, foram os encontros nacionais, ocorridos em três ocasiões, nos meses de março dos anos de 2001, 2003 e 2006, entre a Câmara Episcopal da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil – 19° Provincia da Comunhão Anglicana e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Nesses encontros, tivemos a oportunidades de estudar e aprofundar sobre os documentos, os livros e os temas atuais que concerniam aos anglicanos e católicos. Participaram bispos das duas denominações, assessores, peritos e membros da CONAC. Além disso, houve um encontro internacional em 2001, em Mississauga, Canadá, que contou com a participação de dois representantes da Comissão: Dom Glauco Soares de Lima (anglicano) e Dom Antônio Celso Queiroz (católico).

Vários artigos, livros e documentos internacionais da ARCIC foram traduzidos para o português e publicados por editoras nacionais. Entre eles estão os livros Eucaristia, Ministério e Ordenação, Autoridade na Igreja, Maria, Graça e Esperança em Cristo. Em nossa memória, muitas reflexões e histórias foram conservadas através da escrita, mas outras, infelizmente, não. A vida é assim, não conseguimos registrar tudo.

Nesses 40 anos, vários irmãos e irmãs ficaram marcados na história da Comissão pelas suas ações, dedicação ao diálogo e pelo testemunho de vida e hoje alguns já se encontram na eternidade, vivendo a comunhão plena.

Atualmente, a Comissão enfrenta outros desafios, havendo um longo caminho a se percorrer, recordando as palavras do decreto Unitatis Redintegratio nº 5: “todos na Igreja devem se interessar pelo trabalho de unidade, tanto leigos como pastores. Esse trabalho atinge cada um em particular, conforme sua capacidade, seja na vida cristã diária, seja nas pesquisas da teologia e da história”.

Os membros que fazem parte atualmente da CONAC:

Pela Igreja Anglicana: bispo Cézar Fernandes Alves (Diocese Anglicana de São Paulo), reverenda Carmen Kawano (pároca da Paróquia Anglicana da Ressurreição), reverendo Josué Flores (pároco da Paróquia  de Todos os Santos na cidade de Santos) Christina Winnischofer (leiga);

Pela Igreja Católica Romana, participam dom Manoel Ferreira dos Santos Júnior, MSC (bispo diocesano de Registro-SP), cônego José Bizon (diretor da Casa da Reconciliação), padre Renê José de Sousa (da Diocese de São Carlos) e irmã Maria das Graças Rodrigues (do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora).

No dia 18 de dezembro de 2022, às 16h, rezaremos as vésperas, de forma ecumênica, entre as Igrejas na Igreja de Santa Cruz das Almas, praça da Liberdade, em São Paulo. Venha rezar conosco.

 

Dom Manoel Ferreira dos Santos Junior, MSC – Bispo Diocesano de Registro

Cônego José Bizon – Diretor da Casa da Reconciliação