Pastorais e Organismos

34ª Romaria dos Trabalhadores e das trabalhadoras acontecerá junto com o Grito dos Excluídos

A Romaria ocorre em conjunto com o Grito dos excluídos que está em sua  27ª edição e tem como tema: “Na luta por participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho e renda já!”

Com o tema “Com Maria, rezamos e lutamos por saúde, trabalho e moradia”, a 34ª edição da Romaria das trabalhadoras e trabalhadores terá programação virtual no próximo dia 07 de setembro.

A romaria junta a força da religiosidade popular com as reivindicações da luta do povo trabalhador. Há 34 anos, vem reunindo, anualmente, milhares de pessoas que partem de várias localidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais, chegando ao Santuário Nacional de Aparecida. Neste ano, por conta da pandemia de COVID 19 não ocorrerá de forma presencial. A Romaria acontecerá pelas redes sociais, onde todos são convidados a publicar mensagens pedindo “saúde”, “trabalho”  e  “moradia”, em seus perfis.

Caminhada também é construção

Toda Romaria recorda o povo de Deus no livro do êxodo, que caminhou em busca do essencial para sobreviver. Por exemplo: “Moisés fez Israel partir do Mar Vermelho, e eles se dirigiram para o deserto de Sur. Caminharam três dias no deserto e não encontraram água” (Ex 15,22).  “Toda a comunidade de Israel partiu de Elim e chegou ao deserto de Sin, entre Elim e o Sinai, no dia quinze do segundo mês após a saída do Egito” (Ex 16,1). A experiência de Israel que saindo da dura servidão no Egito, percorre o deserto rumo a Terra Prometida, é muito significativo para o homem e mulher de fé, que também caminha na esperança de um mundo mais justo, como explicita Antonia Carrara, da Pastoral Operário do estado de São Paulo e da coordenação da Romaria dos Trabalhadores: “romaria também significa as caminhadas do dia a dia, em que além de pedirmos forças a Deus e Nossa Senhora, também vamos fazendo a nossa parte e construindo o mundo que desejamos. Nossa romaria propõe que não fiquemos somente na realização de promessas e pedidos individuais, mas que possamos buscar o milagre coletivo, a união na luta, a participação e a solidariedade!”

A romaria das trabalhadoras e trabalhadores apresenta uma simbologia que denuncia e anuncia: Denuncia a exploração e a discriminação, pois os pescadores que encontraram a imagem de Nossa Senhora Aparecida eram trabalhadores muito explorados pelos senhores da época (1717) e por serem negros e discriminados, seu sofrimento aumentava. E isto acontece ainda hoje, mas com direitos já conquistados pela classe trabalhadora e por lutas e consciências antirracistas.  Anuncia a esperança e incentiva a perseverança. Nossa Senhora, a Padroeira do Brasil, mulher negra, o que reforça além de tudo, a luta das mulheres.

A Romaria dos Trabalhadores e das trabalhadoras é promovida anualmente pela Pastoral Operária e conta com a participação das Pastorais, movimentos sociais, ONG’s e outras entidades da sociedade civil organizada.

Faça o download do Tríduo preparatório da Romaria

Da Redação, Com informações da P.O.

 

 

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.