O bispo de Mogi das Cruzes (SP) e presidente do Regional Sul 1, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Pedro Luiz Stringhini, participou na última sexta-feira (21), do debate “Laudato Sì e Políticas Públicas de Sustentabilidade em São Paulo”. O evento foi promovido pela Pastoral da Ecologia e Meio Ambiente da Diocese de Campo Limpo (SP).
Além do presidente do Regional Sul 1, participaram do debate a deputada federal Luiza Erundina, o padre Darci Bortolini, o professor Francisco Bodião e a representante do Movimento Católico Global pelo Clima, Débora Diogo que conduziram as perguntas aos entrevistados.
Os convidados responderam as perguntas a respeito do impacto da Carta Encíclica do Papa Francisco, intitulada Laudato Si’ (em português: ‘Louvado sejas’; com o subtítulo: ‘sobre o cuidado da casa comum’) na vida cotidiana.
Dom Pedro reforçou que os movimentos populares das décadas de 1980 e 1990, não tinham ainda a preocupação ecológica e nem instrumentais teóricos motivadores, e a Laudato Si, veio preencher esta lacuna ao apresentar o conceito de ecologia integral, ou uma ecologia que abarca todos os seres vivos, assim como sua interdependência e importância no ecossistema .
O Padre Darci recordou ter conhecido Dom Pedro há 45 anos, quando ambos eram missionários na Amazônia num projeto de igrejas irmãs. A deputada Luísa Erundina reforçou a influência cristã em sua formação e na sua atuação política, e considera a Laudato Si uma profecia que chega às mãos de todos.
A mediação do debate ficou a cargo do membro da Pastoral da Ecologia e Meio Ambiente da Diocese de Campo Limpo (SP) , Diego Amorim, que além de agradecer aos presentes, reforçou a necessidade de aumentar a articulação das pastorais ambientais pelo Brasil e a nível do Regional Sul 1, entidade que tem um papel de protagonismo neste cenário.
O encontro pode ser visualizado clicando aqui.
Colaboração: Diego Amorim