Artigos

Oração e pandemia

Por Dom Manoel Ferreira dos Santos Junior, MSC, Bispo Diocesano de Registro

No Evangelho de Mateus, Jesus nos ensina: Pedi e recebereis; buscai e achareis; batei e a porta vos será aberta. Pois todo aquele que pede recebe; quem procura acha; e ao que bate, abre-se a porta. Quem de vós dará uma pedra ao filho que lhe pedir pão? Ou lhe dará uma cobra, se lhe pedir peixe? Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai Celeste dará coisas boas aos que lhe pedirem!” (7,7-11). Creio firmemente nesta orientação que Jesus passa aos seus discípulos de todos os tempos, sobretudo quando orienta a forma de pedir, pois Deus sabe de nossas necessidades.

Nestes últimos tempos, nossas comunidades rezam, constantemente, para que pandemia do Coronarus seja vencida. Em princípio, pedimos para que o vírus não chegasse até nosso povo, depois rezamos para que fosse descoberta, o quanto antes, a vacina, depois rezamos para que a vacina chegasse, o mais rápido possível, a todonosso povo.

Hoje, temos rezado pelas vítimas do Coronavírus e pela família daqueles que perderam os seus entes queridos. Às vezes, tenho a impressão de que continuamos a rezar de maneira errada: rezamos pelos efeitos e não pelas causas. No Brasil, tem uma expressão que nos ajuda a entender este enunciado: “não adianta chorar o leite derramado”. Em nossa impotência, acabamos fazendo este tipo de oração. Rezamos pelos mortos que se foram e não pela conversão daqueles que não protegem a vida.

Na minha humilde opinião, precisamos rezar pela conversão de coração e de mentalidadedaqueles que negam (negacionistas) a presença do vírus que mata o nosso povo. Quem acompanha o nosso país, sabe que muitas pessoas participam de festas e aglomerações apenas para desafiar o vírus: esse é o primeiro grupo que precisamos rezar pelaconversão.

O segundo grupo são os políticos que dirigem nosso país, os governantes que pensando somenteem seu pequeno grupo de apoiadores e em manobras políticas, não se esforçam e até dificultama aquisição da vacina para proteger a população. De nada adianta Deus iluminar os cientistas para descobrirem uma vacina eficaz, se nossos governantes não fazem sua parte em favor do povo.

A oração deve nos levar a compreender a vontade de Deus em nossas vidas e ao mesmo tempo, ao compromisso com a vida dos filhos amados de Deus. Não nos esqueçamos de rezar. Deus atende os nossos pedidos, mas rezemos certo e procuremos fazer o discernimento para que a nossa vontade esteja em sintonia com a vontade de Deus, que quer a vida de seu povo!

Lutemos pela vacina e nos coloquemos sempre a favor da vida!

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.