Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Na manhã de domingo, 24, dia em que a Igreja celebrou a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, a Diocese de Registro realizou sua primeira Celebração da Unidade, presidida por seu bispo, Dom Manoel Ferreira dos Santos Júnior, MSC. Estiveram presentes, o Bispo emérito, Dom José Luiz Bertanha, SVD, padres, religiosos, religiosas, seminaristas e cerca de dois mil e quinhentos fiéis advindos das 15 cidades do Vale do Ribeira que compõe a Diocese com território de 14.000 km² de extensão.
O início da concentração foi marcado por duas procissões, que partiram de pontos de encontro distintos (Paróquia Nossa Senhora Aparecida e Prefeitura Municipal de Registro), rumo ao Ginásio de Esportes Dr. Mário Covas, onde, por volta das 10h, teve início a Celebração Eucarística.
Ao iniciar sua homilia, Dom Manoel dirigiu palavras de agradecimento e saudação a todos os presentes: “Nós temos muito para celebrar hoje, o nosso encontro de unidade, das nossas paróquias, à luz da Eucaristia, como diz a música ‘A Eucaristia nos faz Igreja, comunidade amor’. Aqui estamos reunidos com muito amor, com muita fé. Obrigado pela presença de vocês, obrigado às Paróquias que vieram de longe e de perto e contribuíram para que esse momento fosse um momento tão sagrado na vida de nossa Diocese”.
Refletindo sobre a liturgia proposta para a Solenidade, o prelado refletiu que “nas dores da cruz, nas dores da morte, nos chamam atenção três falas. Os chefes diziam ‘Salvou a tantos, salve a si mesmo!’; os soldados diziam “Salve a si mesmo!”, o mau ladrão dizia ‘Se és o Filho de Deus, salve a si mesmo’. Talvez o ‘Salve a si mesmo’ fosse a forma mais egoísta de pensar. É aquilo que às vezes nós queremos: salvar a si mesmo. Quando pensamos na política, ‘salve a si mesmo’, na nossa missão, ‘salve a si mesmo’. Jesus naquele contexto de dor, ouve uma voz ‘Senhor, lembre-se de mim, quando estiveres no teu reinado’. Quando estamos com dor, não conseguimos pensar nos outros, queremos sarar a nós mesmos e Jesus faz uma grande prova de entrega, olha para o lado e diz ‘hoje estarás comigo no Paraíso!’. Celebrar Cristo Rei é justamente isso, saber que Ele não é um rei de poder, mas o rei da entrega, o rei da salvação”.
No Brasil, a Solenidade de Cristo Rei é também marcada pela comemoração do Dia do Leigo. Aos mais de 2.500 fiéis presentes na celebração, o Bispo Diocesano dirigiu palavras de encorajamento: “Parabéns, leigos e leigas! Todas as suas obras, suas expressões, iniciativas apostólicas, a vida de família e conjugal, o trabalho cotidiano, o descanso, o espírito de corpo e até as contrariedades, que vocês experimentam, experimentam na busca da santidade, no encontro com Deus. Vocês oferecem o sacrifício vivo de louvor a Deus, para a Salvação do Mundo”.
Continuando, definiu em poucas palavras a missão dos leigos na Igreja: “Por isso o leigo deve ser atuante dentro da Igreja, mas também deve ser atuante na vida da sociedade. Que nossos leigos se comprometam cada vez mais com a política, para levar sempre boas notícias às pessoas, para ajudar os nossos irmãos. Somos missionários, sobretudo nossos leigos nas ruas, nas casas, nos hospitais, nas escolas, nos trabalhos do dia a dia. Que vocês sejam cada vez mais comprometidos com o Evangelho e com a evangelização das pessoas”.
Às autoridades civis presentes na celebração, dom Manoel recordou que “rezamos para que os valores cristãos estejam presentes em nossas cidades e extensivamente em nossa Diocese. Rezamos para que as nossas lideranças, eleitas por nós, defendam nosso povo, amem o nosso povo, a começar pelos mais pobres, por aqueles que vivem nas periferias de nossas cidades, aqueles que necessitam da nossa ajuda e do nosso amor”.
Texto: Rubens da Cruz / Fotos: Carlos Morais Jr