Comissões Episcopais Pastorais

Mutirão Ecumênico Sulão VII

reduzida_sulaoDurante os dias 18, 19 e 20/10, a cidade de Almirante Tamandaré, região metropolitana de Curitiba (PR), sediou o Mutirão Ecumênico 2013 Sulão VII sob o tema “Juventude: tolerância e solidariedade num mundo pluralista” e o lema “Os velhos terão sonhos e os jovens terão visões”, cuja inspiração vem da Palavra de Deus (Joel 3.1). O encontro reuniu representantes das quatro regionais Sul da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB): São Paulo (Sul 1), Paraná (Sul 2), Rio Grande do Sul (Sul 3) e Santa Catarina (Sul 4) a fim de ratificar que o ecumenismo religioso é uma estratégia fundamental na sociedade e que é possível viver num país tão pluralista igual o Brasil, com diálogo e respeito mútuo.

Com o objetivo de reunir agentes envolvidos no serviço e/ou a promoção ecumênica nos estados das quatro regionais, o mutirão foi uma grande oportunidade de convívio e reflexão entre igrejas cristãs, que trocaram experiências e aprofundaram a compreensão do ecumenismo e animaram-se a continuar a caminhada ecumênica dentro e fora do espaço eclesial. Estavam presentes representantes de diversas denominações cristãs: Igreja Católica Apostólica Romana – ICAR; Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil – IECLB; Igreja Episcopal Anglicana do Brasil – IEAB; Igreja Presbiteriana Unida do Brasil – IPU; além de representantes dos movimentos ecumênicos, destaque para o Movimento Focolares, e de religiões de matriz africana, o qual estava presente o Candomblé.

Todos, lideranças eclesiais e comunidade, estiveram unidos em fraterna união no planejamento e na organização do encontro. Dom Francisco Biasin, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo inter-religioso da CNBB acolheu e agradeceu todos os irmãos e irmãs que procuram, através do diálogo e do respeito, valorizar as diferenças que existem entre si e as fazem riquezas.

Segundo dom Biasin, as origens da CNBB são ecumênicas, pois quem sonhou, idealizou e começou a construir uma conferência de bispos católicos em todo o país na dimensão do ecumenismo, foi um grande profeta do ecumenismo, dom Hélder Câmara. A CNBB surgiu na véspera do Concílio Ecumênico Vaticano II. Dom Helder, em Roma, onde diversos bispos estavam reunidos, estimulou e organizou conferências com teólogos, pastores e demais representantes de igrejas, criando, assim, uma abertura, mentalidade, uma sensibilidade ecumênica, invejada por outras conferências episcopais. “Não deixemos este fogo apagar, pelo contrário, que em cada dia, nossas Igrejas cresçam realmente no espírito ecumênico, pois não é possível ser cristão, sem ser ecumênico”, afirmou dom Biasin.

Um conjunto de realidades sociais foi apresentado, as quais, algumas foram contempladas no mutirão, como a realidade do idoso (apresentada por Alceni Maria Schwartz) – Pastoral da Pessoa Idosa, da Igreja Católica Apostólica Romana – ICAR; da Juventude (apresentada por Daniel Souza – REJUR, da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil – IEAB); e a realidade da mulher (apresentada pela Dra. Damares Dias – OAB-SP). Tais realidades foram iluminadas, a partir da Palavra de Deus, para que todos reflitam sobre os temas e vejam o que de concreto pode ser feito e como aplicar no trabalho ecumênico de cada comunidade. Ao final do evento, o estado de Santa Catarina (Sul 4) foi anunciado como a sede do próximo Mutirão Ecumênico Sulão VIII, em 2015.

De Almirante Tamandaré, PR, Diego Monteiro da Arquidiocese de São Paulo. créditos das fotos: Mutirão Ecumênico Sulão VII

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.