Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
No aeroporto, casal teve que usar máscaras e passou por medição de temperatura. Foto: Arquivo pessoal

Renato Papis
Home Office
Rosani e César pretendiam ficar dois anos no país, mas a missão foi interronpida por conta do coronavírus. O casal faz parte do grupo de brasileiros repatriados pelo Itamaraty, por meio da embaixada em Maputo.
 A chegada da epidemia de Covid-19 no norte de Moçambique mudou a rotina da Missão do Regional Sul 1 da CNBB, na diocese de Pemba.
Diante desta situação, o bispo da diocese, ao norte de Moçambique, Dom Fernando Lisboa, seguindo as recomendações da Embaixada Brasileira na capital de Moçambique, em Maputo,  orientou os missionários que desejarem, e que estão em grupo de risco, que voltassem ao Brasil.
Assim, Rosane e César Campos aceitaram a repatriação e retornaram ao país.
Eles chegaram ao Brasil na noite desta sexta-feira (24) e desembarcaram no aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. O casal embarcou no avião que saiu de Maputo, e fez escala na cidade de Luanda, África, onde embarcaram mais passageiros.
O casal estava na região norte de Moçambique desde agosto do ano passado com o objetivo de colaborar com o projeto batizado  “Missão África-Pemba”, mantido pelo Regional Sul 1 da CNBB, na diocese de Pemba.
Casal em quarentena domiciliária
 Ao chegar, no Brasil, o casal recebeu as instruções sanitárias necessárias e vai cumprir a quarentena obrigatória, na sua residência, no litoral paulista.
Presença do Regional Sul 1 na Diocese de Pemba
O Regional Sul 1 da CNBB, mantém uma Missão na Diocese de Pemba. Ao todo, um grupo de brasileiros entre padres, religiosos(as) e leigos(as) participam do projeto “Missão África-Pemba”, nas aldeias de Nangade, Mazeze e Metoro.