6ª SSB Destaques Últimas

Live Rumo a 6ª Semana Social Brasileira

O Regional Sul 1 (que compreende as dioceses do Estado de São Paulo) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realizou neste último domingo 14 de junho, a 1ª de uma série de “lives”, com o  objetivo de provocar a dimensão formativa dos agentes pastorais e suscitar o engajamento na construção para 6ª Semana Social Brasileira no Regional Sul 1 da CNBB, como também,mobilizar a sociedade em vista da defesa da população e dos grupos que se encontram em situação de maior vulnerabilidade. Foram tratados os temas: Terra, teto, trabalho: a Doutrina Social da Igreja aplicada pelo Papa Francisco – Rumo a 6ª Semana Social Brasileira.

Padre Walter Merlugo Junior, Secretário Executivo e assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Sociotransformadora do Regional Sul 1 da CNBB, foi o  mediador do debate. Ele iniciou apresentando a equipe de trabalho e agradeceu pelo esforço para que a mensagem do Evangelho chegue aos agentes das pastorais sociais, organismos, lideranças e coletivos deste Regional, que comungam, partilham e se dedicam a construir o “Mutirão pela Vida”.

No momento da mística Luiane e Luiza Udovic Bassegio, da Juventude Scalabriniana/RS, cantaram, e em seguida saudaram a iniciativa, reforçando a necessidade dos jovens se engajarem nesse grande mutirão para pensar um mundo melhor para as gerações presente e futuras.

Padre Ari Antonio dos Reis, Pároco da Catedral de Passo Fundo, coordenador e professor do Instituto de Teologia e Pastoral (ITEPA), nas áreas de Pastoral, Ecumenismo, Diálogo Inter-religioso e Teologia da Revelação assessorou a “live”.Iniciou sua partilha relembrando a expressão usada pelo Papa Francisco: “nenhuma família sem casa, nenhum camponês sem-terra, nenhum trabalhador sem direitos, nenhuma pessoa sem a dignidade que provém do trabalho”. A partir dessa inspiração, disse que a construção da 6ª Semana Social Brasileira tem uma base simbólica extremamente significativa, ou seja, o tripé: terra, teto e trabalho, e suas diferentes correlações, fundamentos de uma experiência de vida digna, como propôs Jesus Cristo, que compreende uma profunda transformação social, política e econômica. A proposta é acolher as diferentes forças vivas da sociedade, hoje ameaçadas por projetos autoritários e antidemocráticos. O desafio é fazer do tripé um eixo para unificar as diferentes forças que sonham com um outro Brasil, esperança quem movimentou as semanas sociais anteriores.

Concluindo sua fala, Pe. Ari apresentou alguns desafios da partir do pensamento do Papa Francisco: uma economia à serviço dos povos; o princípio de que os seres humanos e a natureza não devem estar à serviço do dinheiro; não para o acumulo, mas para a administração da casa comum; a união dos povos no caminho da paz e da justiça como potencialização da democracia a partir do princípio de que os povos querem ser os construtores do seu próprio destino e querem caminhar para a paz e a justiça que implica no respeito à soberania dos povos; defender como princípio de fé a mãe terra: a casa comum está sendo saqueada,não defender a mãe terra é um pecado grave de omissão.

Luiz Bassegio, coordenador do Grito dos Excluídos/as Continental, em sua partilha, afirmou que o cenário atual, da crise democrática, da crise social e da crise ambiental, estão ainda mais evidenciado pela pandemia, e pode significar um forte potencial para mobilizações em defesa dos interesses da humanidade e da natureza.

Dom Reginaldo Andrietta, Bispo de Jales/SP e assessor da Pastoral do Mundo do Trabalho da CNBB e no Regional Sul 1, reforçou a importância das reflexões que nos motivam a fortalecer vínculos e ações em favor da vida. Colocou que a Pastoral da Saúde no Brasil, tem um papel decisivo na vida pública, lembrando que toda a ação da Igreja precisa ter incidência política em favor do conjunto da sociedade. Disse ainda que o Papa Francisco, no iniciou de seu Pontificado, afirmou que “a necessidade de resolver as causas estruturais da pobreza extrema, não pode esperar.” O Bispo conclui afirmando que a 6ª Semana Social Brasileira é uma oportunidade de aprendizado para todos e todas em prol de um Brasil verdadeiramente cristão no sentido de viver a solidariedade e o cuidado para com a vida e a criação.

Conforme dados do site, até o fechamento deste artigo, 3.378 visualizações foram registradas. Foi expressivo o número de agentes e coordenadores da Pastoral da Saúde do Estado de São Paulo, que participaram ativamente no “chat” da “live”.

Quem perdeu a live, pode assistir agora.

Pastoral da Saúde

Posted by PASTORAL DA SAÚDE REGIONAL SUL 1 on Sunday, June 14, 2020

 

Palavra do Presidente

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.