6ª SSB Live Últimas

Live: Construindo caminhos para a Economia de Francisco e Clara

Jovem escolhido para o evento com o Papa Francisco e que ajuda na articulação da 6ª SSB no estado de São Paulo esteve na Live

O Regional Sul 1 da CNBB deu continuidade a uma série de lives formativas para os agentes de pastoral. O tema foi a Economia de Francisco e Clara. Convocada pelo Papa Francisco em 1º de maio de 2019, é um chamado a um pacto global para discussão de novas economias diante do colapso causado pela economia capitalista neoliberal.

A desigualdade norteou o diálogo com Eduardo Brasileiro, um jovem selecionado para o evento com o Papa e articulador do Regional Sul 1 da CNBB para a 6ª Semana Social Brasileira (SSB) e o economista Evilásio Salvador, professor de Política Social e Serviço Social da UNB (Universidade de Brasília).

A live que aconteceu na noite do último domingo, 12, foi mediada pelo secretario executivo do Regional Sul 1 da CNBB, Pe. Walter Merlugo Júnior. A live contou ainda com a presença do bispo auxiliar da arquidiocese de São Paulo e secretário da entidade, Dom Luiz Carlos Dias.

Para Eduardo Brasileiro, a Economia de Francisco e Clara é um chamado a re-almar a economia por meio de iniciativas comunitárias, paroquiais, de movimentos sociais até grandes políticas econômicas, a fim de um grande pacto global para superação das desigualdades no mundo. “A espiritualidade que forja o bem viver presente nas comunidades que partilham e cooperam uma nova cultura voltada para a vida no centro e não o lucro. Essa é a base a ser construídas por todos cristãos, como um chamado a conversão integral (Laudato Si)”, disse Eduardo.

Já o outro conferencista, o economista Evilásio Salvador, destacou que “o papa Francisco fez uma proposta ousada de tenta posicionar a Igreja Católica na vanguarda de um debate urgente e necessário sobre o neoliberalismo. Um modelo econômico que tem concentrado renda e riqueza em proporções inéditas na História. E, porque baseado numa cultura de consumo e descarte, tem apontado para uma trajetória de esgotamento talvez irreversível dos recursos naturais como a água, a terra e biodiversidade, comprometendo o bem-estar das futuras gerações e de todas as formas de vida existentes no planeta”.

O economista disse, ainda, que a “economia de Clara e Francisco tem 3 eixos fundamentais que é o direito de todos a terra, ao teto ao trabalho (os 3 Ts da economia de Francisco). Aqui sem dúvidas, em um país como Brasil isso passa centralmente pelo combate as desigualdades e pela garantia dos direitos sociais. Não há justiça e direitos sociais, sem combater as desigualdades e garantir o financiamento dos direitos sociais, sobretudo, aqueles consagrados na Constituição de 1988, no seu artigo 6º: São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados.”.

Se você perdeu a live, ainda pode assistir ela no nosso canal:

A Economia de Clara e Francisco

Live rumo à 6ª Semana Social BrasileiraConstruindo novos caminhos…A Economia de Clara e Francisco

Posted by PASTORAL DA SAÚDE REGIONAL SUL 1 on Sunday, July 12, 2020

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.