Notícias

Iniciada a 5ª Semana Social Brasileira em Brasília

SSB02092013a_reduzida
“O Estado que privilegia o capital em detrimento da vida não é o Estado que queremos”, disse dom Raymundo

O Centro Cultural de Brasília acolhe o Seminário final da 5ª Semana Social Brasileira (SSB), cujo lançamento ocorreu em agosto de 2011. Delegados de todos os regionais do Brasil estão reunidos para debater “O Estado que temos e o Estado que queremos – Estado para que e para quem?”. Teve início nesta segunda-feira, 2 de setembro, as 15h30, com um resgate das 4 Semanas Sociais Brasileiras realizadas, as dificuldades e os frutos colhidos.

Padre Nelito Dornelas, coordenador da 5ª SSB abriu os trabalhos convidando para compor a mesa o Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis, presidente da CNBB, dom Guilherme Werlang, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz da CNBB, a secretária executiva do Conselho Nacional da Pastoral dos Pescadores Nacional, Maria José Pacheco; a diretora executiva nacional da Cáritas Brasileira, Cristina dos Anjos; representante dos Movimentos Sociais, Roberto Malvezzi; a secretária geral da Conic, Pastora Romi Benker; e o representante dos regionais da CNBB, Frederico Santana.

No discurso de abertura, dom Raymundo falou da necessidade de reforma política, melhor distribuição de renda e maior abertura social. “O Estado que privilegia o capital em detrimento da vida não é o Estado que queremos”, disse. Em seguida, falou dom Guilherme, agradecendo a confiança depositada pela presidência da CNBB para que a Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz conduzisse o processo da 5ª Semana. “Foi um processo longo, que começou antes da aprovação da 49ª Assembleia dos Bispos do Brasil, mas que contou com muita participação de agentes de pastorais e movimentos sociais”, falou o bispo. “A Igreja não existe para si mesma mas para o mundo, para a sociedade. É enviada e é missionária, na sua fundação e na sua essência. Por isso, é missão da Igreja discutir o Estado que temos e o Estado que queremos”, completou dom Guilherme.

DSC08853_reduzidaNa reunião das macro-regiões, a Região Sudeste contou com a participação dos delegados do Regional Sul 1 e dos coordenadores de pastorais sociais que participaram do Seminário das Pastorais Sociais, que antecedeu o Seminário da 5ª Semana. Foram apresentados como destaque eventos realizados nas Arquidioceses de São Paulo, Botucatu e Campinas, e nas dioceses de Osasco, Jundiaí, Santo Amaro, Campo Limpo, São José dos Campos, e pelas pastorais e movimentos sociais. Destaque-se o plano de Gestão e Controle Social para o desenvolvimento rural em Botucatu, a Câmara dos Vereadores Virtuais em Salto, e o debate sobre o Executivo, Legislativo e Judiciário na Arquidiocese de São Paulo.

A apresentação dos debates dos regionais foi feita de forma dinâmica e criativa, através de música, dança, poesia e jogral. No encerramento dos trabalhos do dia, foi apresentado um documentário em vídeo sobre as manifestações de rua em junho, na cidade de Fortaleza, Ceará, debatendo as manifestações com e sem vandalismo.

A 5ª SSB prossegue nesta terça-feira com a primeira rodada de socialização, em forma de testemunhos, a partir dos impactados pelo Estado que temos. À tarde, evento na sede da CNBB, com debate sobre a Reforma Política e lançamento da Coalizão Democrática pela Reforma Política e Eleições Limpas.

De Brasília, Especial para o Regional Sul 1, diácono Carlos Dias Pascoal

 

 

 

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.