Comissões Episcopais Pastorais

Fórum das Pastorais Sociais faz avaliação da 5ª SSB e Grito dos Excluídos

18.09.13 - CNBB-SUL 1 008_reduzida
Incentivo ao Fórum: “Há necessidade de maior apoio da Igreja para as pastorais e movimentos sociais, para que tenham condição de exercerem o seu papel profético, inclusivo e evangélico”

O Fórum das Pastorais Sociais, realizado nesta quarta-feira, 18 de setembro, na sede da CNBB Regional Sul 1 (Bela Vista, SP), fez importante avaliação dos Seminários da 5ª Semana Social Brasileira realizados no Regional Sul 1 em 2012 e 2013 e do evento nacional da 5ª SSB realizado em Brasília, DF, nos dias 2 a 5 de setembro de 2013. Na mesma reunião, além dos comunicados, foi feita avaliação do Grito dos Excluídos 2013.

Na reflexão sobre a 5ª Semana Social Brasileira, os delegados destacaram a forte presença da base, de lideranças leigas e religiosas que mostraram o Brasil real, não aquele mostrado na grande mídia, muitas vezes camufladas. Também há necessidade de maior apoio da Igreja para as pastorais e movimentos sociais, para que tenham condição de exercerem o seu papel profético, inclusivo e evangélico junto aos excluídos e ameaçados e continuem a luta “por um Estado que queremos, a serviço da nação”. “Precisamos de um Estado que não esteja atrelado ao capitalismo, que não seja refém do agro negócio, que atenda os interesses do povo”, disseram os delegados.

A 5ª Semana Social Brasileira definiu como um dos objetivos a luta por uma Constituinte exclusiva para a reforma política, reflexão também feita na Plenária Nacional dos Movimentos Sociais, que reuniu em São Paulo nos dias 14 e 15 de setembro agentes sociais de 19 Estados e 68 movimentos sociais, e que defenderá essa bandeira já a partir de 15 de novembro deste ano, com informações e formações preparatórias a um Plebiscito Popular, definido para a Semana da Pátria de 2014.

Quanto ao Grito dos Excluídos no dia 7 de setembro, a assembleia do Fórum das Pastorais Sociais do Regional Sul 1 avaliou que houve menor participação de agentes das pastorais e movimentos sociais, tanto nas celebrações, como nas manifestações. Várias Dioceses deixaram de realizar o Grito dos Excluídos, mas o resultado foi muito bom, pois houve crescimento no sentido de “ler” os sinais do tempo que vivemos. Destaque maior para o Grito Nacional, celebrado no Santuário Nacional de Aparecida, juntamente com a Romaria dos Trabalhadores, com o Santuário completamente lotado. “A caminhada a partir do Porto Itaguassú movimentou muita gente e mostrou que o povo está mais consciente politicamente e desejoso de mudanças”.

A plenária do Fórum também aprovou o calendário para 2014, que será enviado para apreciação do presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz, dom Maurício Grotto de Camargo, arcebispo de Botucatú, e em seguida, para a diretoria do Regional. Foram propostas as seguintes datas: reuniões da equipe de coordenação na terceira quarta-feira de cada mês, no período de fevereiro a dezembro, na sede do Regional; Fórum das Pastorais Sociais do Regional Sul 1 no dia 14 de maio, as 9h, na sede do Regional; Seminário das Pastorais Sociais do Regional Sul 1 nos dias 25 a 27 de julho, em local a ser definido; Fórum das Pastorais Sociais do Regional Sul 1 no dia 17 de setembro, as 9h, na sede do Regional.

Participaram do Fórum: Sueli Camargo (Pastoral do Menor/SP); Valter Cequetti (Pastoral da Pessoa com Deficiência/SP); José Efigênio de Paula (Pastoral Operária/Santo Amaro); Frei João Xerri, O.P. (CRB/SP); Irmã Leonízia Izabel da Silva (CRB/SP) Reinaldo B. Oliveira (Pastoral Fé e Política/Jundiai); Ari Alberti (Pastoral dos Migrantes e Grito dos Excluídos); Irmã Rosa Maria Barbosa, O.P. (JUPIC/CRB-SP); José Ilson Moreira (Pastorais Sociais/Arquidiocese de Aparecida); Irmã Maria Aparecida Claus (Pastoral do Menor/SP); Lucília Vicente Fonseca (Pastorais Sociais-Pastoral da AIDS/Diocese de Santos); Márcio Cândido (Pastorais Sociais/Diocese de Mogi das Cruzes); Andrelina Vieira Quinto (Comissão Pastoral da Terra); Claudio Nascimento (Assembleia Popular) e diácono José Carlos Pascoal (Comissão Regional dos Diáconos e moderador do Fórum das Pastorais Sociais do Regional).

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.