Notícias

Entrevista: Mais um missionário para Amazônia

reduzida

Pe. Osvaldo Vieira Costa concede entrevista antes de embarcar para a Amazônia – O Projeto Missionário entre o Regional Sul 1 da CNBB (Estado de São Paulo) e o Regional Norte 1 (Estado de Amazonas e Roraima), vem colaborando, desde 1994, com o envio de missionários(as) que doam, pelo menos, três anos de suas vidas para a missão na Igreja da Amazônia. A iniciativa já enviou mais de 70 missionários e missionárias entre padres, religiosas e leigas. Na última quarta-feira, 14 de agosto, o padre Osvaldo Vieira Costa (foto), embarcou rumo à Amazônia onde será missionário na Diocese de Alto Solimões (AM). Atualmente atuam pelo projeto 7 missionários e missionárias. Antes de preparar a bagagem, Pe. Osvaldo frequentou, no mês de junho, um curso de formação com enfoque na Amazônia no Centro Cultural Missionário (CCM) em Brasília (DF). O Regional Sul 1, conversou com o Pe. Osvaldo, antes do seu embarque. Confira a entrevista:

 

Quando surgiu a ideia de viajar para fazer missão na Amazônia? E como conheceu o Projeto Missionário do Regional Sul 1?
Foi um processo muito rápido. Depois do Encontro Regional de Presbíteros, (realizado em setembro do ano passado) em que eu recebi uma carta de Dom Edson Damian, (Bispo de São Gabriel da Cachoeira), logo já veio o desejo de ir para Amazônia. Foi um encantamento e um amor pela primeira vista quando eu conheci o projeto Missionário do Regional Sul 1, esse convenio das igrejas irmãs, logo me encantei e fico muito feliz em ir para lá. Então, depois desta carta onde ele apresentou um pouco da realidade, da dificuldade e da necessidade de sacerdotes na região, percebi que precisava fazer algo. Por isso eu disse: o Senhor me chama lá e porque não ir?

O senhor está indo para a Diocese de Alto Solimões. Que trabalho pretende fazer naquela Diocese?
Primeiro servir a diocese, ver com Dom Alcimar Caldas Magalhães, (Bispo de Alto Solimões), o que ele espera e deseja de nós, mas a prioridade é dar apoio ao Pe. Isaias Daniel, e ele (o Pe. Isaias) me apoiar também. O principal objetivo agora é escutar, observar e principalmente a promoção vocacional. Eu acho que a saída mais urgente hoje é por mais promoção de vocações.

Como é que o senhor definiria o missionário hoje?
Por incrível que pareça é o ver, o escutar e o agir.

No Documento de Aparecida muito se fala do “encontro com Jesus Cristo, da conversão, do discipulado, da comunhão e da missão”. O que de fato essas palavras-chaves significam para alguém que parte para missão, especificamente?
Tudo. Nisso está a chave de tudo. Primeiro a promoção através do contato, o estar com a pessoa. Segundo anunciar esse Cristo que já está presente na vida da pessoa e depois mostrar para ela que ela já segue Cristo, nas suas atitudes. Ela gera esse seguimento de Cristo. Naturalmente a pessoa vive já um cristianismo velado. Cristo está presente e já o conhece, mas não sabe de onde, como e quem é. E ai apresentar a pessoa um Cristo que encarnou um Cristo pessoal, um Cristo que caminha conosco. Essa é a chave do Discipulado: anunciar e fazer a pessoa reencontrar o Cristo.

Qual a mensagem que o senhor deixa para seus colegas padres que desejam ser missionário além da diocese?
Padre teu sacerdócio é muito rico que é de Cristo! Cristo é o único sacerdote e ele te chama. Coragem, vale a pena. Eu sei que é tanto difícil uma vida de renúncia, deixar tudo, pai, mãe, de certa forma os aconchegos da onde você está, mas com certeza a tua vocação vai além. Eu  digo porque eu estou começando deixar tudo para seguir o Cristo. É isso! Qualquer lugar que eu esteja serei padre, mas onde é necessário, isso é o mais urgente. Porque o meu sacerdócio e a minha vida, de vez enquanto tem que se colocar alguns desafios, porque isso ajuda a esclarecer essa riqueza que é ser padre na Igreja Católica.

reduzida3
Após missa de envio, entrevistado posa ao lado do cardeal Dom Odilo e membros do conselho missionário

Padre Osvaldo Vieira Costa – Natural de Euclides da Cunha (BA), 33 anos. Entrou para o Seminário Diocesano em Santo Amaro (SP) em 2002. Cursou Filosofia entre os anos 2002 – 2003 no Instituto São Boaventura de São Paulo (SP). Entre os anos de 2004 e 2007 cursou Teologia no Instituto São Boaventura. No final de 2007 foi ordenado padre.  A missa de envio, à Amazônia, do missionário padre Osvaldo Vieira Costa, então pároco na Paróquia Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, na Diocese de Santo Amaro (SP), foi celebrada na sede do Regional Sul 1 da CNBB, em São Paulo (SP), no último dia 05 de agosto.

De São Paulo, Renato Papis,  MTb/SP 61.012

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.