Notícias

Entrevista com o padre Adeilson Rodrigues dos Santos

missionario

O padre Adeilson Rodrigues dos Santos (foto), da Diocese de Jundiaí (SP), será enviado no início de janeiro do próximo ano para uma missão em Roraima (RR) onde ficará por três anos trabalhando através do Projeto Missionário dos regionais Sul 1 e Norte 1 da CNBB. E, antes do embarque, concedeu esta entrevista ao jornal O VERBO.

O Verbo: Como nasceu o desejo de sair em missão?
Padre Adeilson: Sei que a igreja é missionária, mas nunca tinha pensado em sair, deixar o que considero seguro. Quando Dom Vicente convidou os padres para dar continuidade a missão assumida com a Diocese de Roraima, acendeu uma chama dentro do meu coração, rezei e pedi um sinal ao Senhor: ele é fiel e nos concede o que pedimos.  Diante da resposta só pude afirmar, aqui estou, envia-me!

O Verbo: No mês de agosto deste ano o senhor fez um curso de formação no Centro Cultural Missionário – CCM, em Brasília (DF), instituição mantida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e especializada na área da missiologia. Que aprendizado o senhor espera levar para a missão?

Padre Adeilson: O que levo para missão é o desejo de partilhar o que tenho recebido da Igreja, de Jesus Cristo. E também o que tem me ajudado é o diálogo com o nosso bispo Dom Vicente.

O Verbo: A partir do encontro, como o padre avalia os desafios da Missão na atualidade?
Padre Adeilson: A missão nunca mudou, ela continua a mesma, homens que necessitam de Cristo, e o Cristo que necessita dos homens para anunciá-lo.  Ele mesmo nos diz: “a colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para a sua colheita” (Mt 9, 37-38).

O Verbo: O padre já sabe para onde vai, e qual será a paróquia de atuação?

Padre Adeilson: Sim. Substituirei e darei continuidade ao trabalho que a nossa diocese assumiu com a Diocese de Roraima (RR). Assumirei duas paróquias, a Área Missionária Santo Isidoro, constituída por nove Comunidades, na cidade de Caroebe, e a outra, na cidade de São João da Baliza: Paróquia São João Batista e São Luís, formada por 12 comunidades.

O Verbo: Já conhece a realidade local para onde o senhor vai?
Padre Adeilson: Sim, o Bispo da Diocese de Roraima, Dom Mário Antônio da Silva, nos apresentou na última reunião geral do clero.

O Verbo: E quando o senhor viaja?
Padre Adeilson: Viajarei no dia 10 de janeiro de 2018.

O Verbo: O que você espera desta missão?

Padre Adeilson: A única coisa que espero é tornar o Cristo conhecido, levo a experiência de João “que cresça e eu diminua”.

O Verbo: Deixe uma mensagem para os nossos leitores.
Padre Adeilson: Aproveito a oportunidade para pedir a oração de todos, para que eu cumpra a vontade do Cristo, que me chama para ser um trabalhador de sua vinha e que eu não espere reconhecimento ou recompensa. Queridos leitores, Deus nos fez missionários, sua palavra se cumpre em nós, e Ele nos diz: “descerá sobre vós o meu espírito e ele vos dará força, e vós sereis minhas testemunhas” (cfr At 1,8). Sejam missionários na condição de casados, solteiros… Sejam, de fato, cristãos ou seja, outro Cristo.

Agradecemos o Jornal o VERBO pela autorização da reprodução desta entrevista.

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.