Comissões Episcopais Pastorais

Encontro reúne Padres Assessores Diocesanos da Comissão Bíblico-catequética

assessores_catequese_reduzido
Dom Vilson (esq.) com os assessores diocesanos de Catequese

Aconteceu de 20 a 22 de maio, o Encontro dos padres Assessores Diocesanos do Regional Sul 1 (São Paulo) da CNBB, em Araras, SP, na Casa de Encontros Retiros Emaús. Contou com a presença de 14 presbíteros, 5 leigas, 1 religiosa e o bispo referencial da Comissão Bíblico-Catequética : Dom Vilson Dias de Oliveira, DC.

Foi um momento de estudo, diálogo, trocas de experiências, estiveram presentes representantes de 15 dioceses do Estado de São Paulo. Teve como assessora a Irmã Aparecida Barbosa (Ir. Cidinha), ela trabalhou com o grupo a partir do tema: “Discípulos Missionários a partir de Mateus”, Tendo como instrumento além do Evangelho de Mateus o texto base que será usado no mês da Bíblia deste ano, tendo como lema: “Ide fazer discípulos e ensinai”. Ir Cidinha, falou a todos de forma clara, e a importância de cada um de nós assumirmos nossos compromissos com o Evangelho e quanto batizados: Trechos de suas falas:

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil nos convida a fazer o itinerário da fé no mês de Setembro com o Evangelho de Mateus. Se a grande meta é ajudar a quem evangeliza, e a outros que querem conhecer o evangelho de Mateus, então a linguagem da academia e da ciência cedem lugar àquela da Catequese e do Pastoreio. Também a escolha dos temas segue critérios bem matizados: O Discipulado; A Experiência de Fé; A Vida Comunitária. Não foi uma escolha tomada ao acaso. Tornar-se discípulo de Jesus Cristo é uma das ideias-força na reflexão pastoral dos últimos anos no Brasil. Ter fé, ou crer, em tempos de muita religiosidade superficial, parece uma questão relevante para uma catequese mais aprofundada.

O Evangelho de Mateus: e sua história: Todos os escritos suscitam significados e experiências. E quando se trata dos evangelhos, antes que fossem redigidos eles foram vividos, narrados, foram explicados, foram recordados. Nestes encontros lembravam realizações, palavras e experiências do tempo de Jesus de Nazaré. Os que tinham conhecido e visto Jesus contavam a outros que não o tinham conhecido, mas que aderiram à fé. Mediante a Palavra narrada, muitos tiveram acesso à pessoa de Jesus. A quais cristãos se destinava o texto? Afinal, naquela época ainda não se escreviam textos destinados a toda a Igreja. Alguns indícios presentes na redação, aos quais se juntam outras informações vindas da pesquisa histórica, sugerem que, inicialmente, a obra se destinava a cristãos da região da Galileia e também da Síria, possivelmente da cidade de Antioquia.

Ser discípulo de Jesus: Mateus é o evangelista que mais emprega a palavra discípulo. Por setenta vezes ele se serve do termo para se referir ao grupo mais próximo a Jesus. Ele tem grande predileção pelo tema. E suas últimas palavras, ao enviar em missão os “onze discípulos”, a ordem é esta: “Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações…” (Mt 28,19). O tema do discipulado unifica suas primeiras e últimas palavras. E este pensamento distribui-se regularmente por todas as partes do texto.Contudo, no tempo de Jesus o discípulo não era apenas um aprendiz; e o mestre já não era apenas modelo de pessoa para o discípulo. Sim, o mestre ensinava; também era modelo. E o discípulo “deixava-se ensinar”. Mas que isso, mestre e discípulo partilhavam a vida. “Deixar-se ensinar” é atitude típica do discípulo. E Mateus ilustra bem este traço. Entre os evangelistas, é ele quem mais o destaca. Por várias vezes a palavra do Senhor os faz passar da incompreensão para a compreensão. Os evangelistas, por sua vez, não querem apresentar Jesus apenas como um sábio, ou um líder religioso, um mestre de justiça, com admiráveis lições a seus seguidores e a outros mais. Eles pretendem mostrar Jesus como Filho de Deus e Salvador (Mt 14,30-32; 16,16). Se o evangelista tomasse um microfone e falasse às comunidades de hoje, seriam muito fortes as suas palavras sobre a urgência de ser missionário. Ele destacaria novamente as palavras do Senhor sobre a missão: “Fazei discípulos”.

Colaboração Vanilda Silveira – Secretária

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.