Destaques Dioceses

Dom Manoel: A Palavra nos aproxima de Deus, mas sobretudo, por ela, Deus se aproxima de nós

“Celebramos o Domingo da Palavra de Deus. Esta será uma oportunidade de meditar sobre a Palavra de Deus, para chamar nossa atenção: a Palavra de Deus deve ocupar o centro da vida da comunidade, deve ocupar o centro de nossa vida pessoal e da nossa família”, destacou Dom Manoel Ferreira dos Santos Júnior, mSC, Bispo de Registro, no início de sua homilia, neste domingo (26), na Paróquia São João Batista, em Cananéia.

Em 30 de setembro de 2019, o Papa Francisco, instituiu através do documento “Aperuit illis” o Domingo da Palavra de Deus. Hoje, pela primeira vez a Igreja celebrou este dia dedicado ao estudo e à difusão do Evangelho. A data será sempre celebrada no III Domingo do Tempo Comum, para fortalecer e recuperar a identidade cristã, através da familiaridade com a Bíblia.

Dom Manoel recordou que “o Papa Francisco chama nossa atenção, para que em casa, durante a semana, a cada dia, a gente tenha pelo menos uma frase do Evangelho, uma frase da Palavra de Deus para nos orientar, porque a Palavra de Deus é o próprio de Deus que nos fala, é a presença dele no meio de nós. Nós ouvimos a Palavra, meditamos e ela vai nos transformando, mesmo que a gente não perceba. Aquele que tem proximidade com a Palavra vai sendo transformado por Deus, sobretudo quando ela é proclamada aqui, na comunidade, na Mesa da Palavra”.

Luz para iluminar as trevas
Inspirado pelo tema da Liturgia da Palavra, Dom Manoel questionava os fiéis presentes na Igreja Matriz de Cananéia “Por que a Palavra? Porque a Palavra nos aproxima de Deus, mas sobretudo, por ela, Deus se aproxima de nós. O catolicismo é a religião de um Deus que vem ao nosso encontro, Deus que quer estar perto de nós. É o que ouvimos na primeira leitura e também no início do Evangelho: ‘o povo que andava nas trevas viu uma grande luz’. O que é essa luz? É o Cristo, é Jesus que veio para se aproximar de nós, para trazer Deus muito perto de nós”.

Ao observar onde Jesus começou a pregar, lembrou que “Jesus nasce em Belém, vive sua infância e adolescência em Nazaré, depois vai para Cafarnaum começar a sua missão. Cafarnaum é a terra dos pagãos. Não escolhe começar no Templo de Jerusalém, mas na periferia, na terra dos pagãos. Mais do que cumprir a profecia de Isaías, Jesus vem para os pecadores, para aqueles que vivem lá nas trevas, Ele vem como luz. Assim também podemos entender que Jesus vem para nossas trevas. Todos nós temos em nosso interior um espaço de trevas, que precisa ser iluminado por Cristo, através da sua Palavra. Cada um sabe qual é a sua área de trevas: tem gente que é a falta de perdão, outros é a forma de administrar seus bens, o dinheiro, outros a sexualidade, o orgulho, e assim por diante. São situações que precisam ser iluminadas, mudadas. Por isso, deixemos que Cristo, luz do mundo, venha habitar em nosso interior, nas regiões pagãs que existem dentro de cada um”, exortou.

“Pescadores de Homens”
Refletindo a partir do chamado que Jesus faz aos discípulos, o Bispo de Registro, lembrou que a linguagem utilizada por Jesus era aquela que os pescadores poderiam compreender: “Jesus vai dizer ‘venham comigo e eu farei de vocês pescadores de homens’. Na verdade, Cristo está dizendo ‘vocês vão tirar as pessoas do sofrimento, como apóstolos vão retirar as pessoas das profundezas, para encontrar o caminho”.

“Temos aqui em Cananéia um mar tão bonito, porém, no tempo de Jesus o mar era o lugar do medo, do desconhecido, achavam que o mar era habitação dos monstros, do mal. Por isso, ‘pescar os homens’ significa tirar as pessoas das trevas, para colocá-las no caminho da luz. Essa também é nossa missão: nós somos chamados para isso, não só eu como Bispo, mas todos nós batizados, somos chamados para recuperar nossos irmãos, para que encontrem o caminho da luz, o caminho de Deus”.

Dar espaço à Palavra de Deus
Dom Manoel encorajou os fiéis a lerem a Palavra de Deus constantemente: “devemos ter em casa a Bíblia, em lugar de destaque, num lugar de passagem para todos, sempre aberta, de forma que possamos sempre ler um trecho, ouvindo o que Deus quer nos dizer”. Segundo o Bispo, o advento das tecnologias também deve ser oportunidade para escutar Deus: “hoje, até no celular, temos a Bíblia. Hoje, todos gostamos de celular, por isso tenhamos ali também a Palavra de Deus, temos aplicativos que nos mostram as leituras do dia, por exemplo, e assim vamos meditando e compreendendo melhor a Palavra de Deus e nos aproximamos cada vez mais”.

Com informações da diocese de Registro

 

Palavra do Presidente

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.