Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

“A comunhão não fecha a Igreja em uma seita, isolada do mundo, mas nos lança em missão para partilhar com todos a alegria do Evangelho”, disse o arcebispo metropolitano de Sorocaba, Dom Julio Endi Akamine, sobre o encontro on-line do episcopado.
Na última semana, nos dias 9 e 10 de junho, os arcebispos e bispos do Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), juntamente com padres que estão à frente dos trabalhos pastorais e lideranças leigas de todo o Estado de São Paulo, estiveram reunidos para a realização remota da 83ª Assembleia.
O encontro anual do episcopado paulista, que acontece sempre após a Assembleia Geral da CNBB, teve como tema central “Sinodalidade, Comunhão e Missão” com a assessoria do bispo diocesano de Santo André, Dom Pedro Carlos Cipollini que, ao motivar a atividade pastoral conjunta, explicou que o processo sinodal exige um esforço de percorrer juntos o caminho do apostolado com a consciência que “o princípio de comunhão de todo o povo de Deus é necessário para a ação evangelizadora”.
“O que cria a mentalidade sinodal é a responsabilidade entre todos”, afirmou o bispo de Santo André ao conscientizar os participantes que a corresponsabilidade no trabalho eclesial e na sensibilização para a transformação social é o único meio para a superação do individualismo em vista da fraternidade universal, como insistentemente tem falado o Papa Francisco, lembrou Dom Julio Endi Akamine, SAC, arcebispo metropolitano de Sorocaba, em entrevista ao Regional Sul 1: “na Igreja todos escutam a todos para que todos escutem o Espírito Santo”.
Dom Júlio, que coordena pastoralmente a Sub-Região Sorocaba, ressaltou que a unidade refletida na Assembleia e o desejo de vivenciá-la entre os católicos “é fruto de uma comunhão de pensamento e da vontade da adesão de fé e de obediência à vontade de Deus” e completou: “a comunhão não fecha a Igreja em uma seita, isolada do mundo, mas nos lança em missão para partilhar com todos a alegria do Evangelho”.
CONECTADOS
Para conter a proliferação da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), a Presidência do Regional Sul optou por realizar a 83ª Assembleia dos Bispos na modalidade on-line. Assim, conectados numa rede de comunidades, as lideranças pastorais paulistas partilharam o dom do encontro, mesmo que distantes fisicamente.
“Ainda que em experiência virtual e tempo mais reduzido, o processo foi participativo e enriquecedor”, avaliou o administrador diocesano da Diocese de São Carlos, Dom Eduardo Malaspina, ao enfatizar que, on-line ou presencial, o encontro é fundamental para a experiência cristã.
Segundo o padre coordenador diocesano de pastoral em Lins, Edenilson Roberto Pinto, a iniciativa da Assembleia remota foi “positiva, dinâmica e com uma participação ótima em sua realização digital”. O sacerdote relatou que a Diocese de Lins está se organizando para a conscientização dos leigos sobre tudo o que foi pedido pelos bispos.
TRABALHOS
Além do tema central, a 83ª edição da Assembleia dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB também contemplou reflexões sobre a Palavra de Deus, enquanto base inspiradora das comunidades eclesiais, sobre a 6ª Semana Social Brasileira e sobre o projeto missionário na Diocese africana de Pemba.
A Assembleia também contou com a apresentação do Cardeal de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, Vice-Presidente do Conselho Episcopal Latino Americano e do Caribe (CELAM), acerca da Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe, uma iniciativa deste organismo para ouvir as comunidades, pastorais e organismos do povo de Deus, uma autêntica experiência de sinodalidade.
Sobre as reflexões do encontro, Fátima Aparecida Ferre, presidente do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB) no Regional, disse que “foi espetacular!” e afirmou que “os assuntos, as falas, a vontade da sinodalidade pontuam o caminho atual da Igreja que encaro com muita esperança e comprometimento”.
Também houve a apresentação de relatórios de algumas pastorais e de novas assessorias e coordenações de pastorais e organismos no Estado, que contarão com a cobertura jornalística do Regional nos próximos dias.
“Os temas abordados por nós recordaram a vida pastoral e nos enriqueceram com a representatividade da Igreja no Estado de São Paulo. Momento importante para o caminho sinodal da Igreja em sua missão evangelizadora”, concluiu o Presidente do Regional Sul 1, Dom Pedro Luiz Stringhini.
Texto e Foto Comunicação Regional Sul 1