Dedicação da Catedral Destaques Dioceses

Diocese de Santo André celebra os 62 anos da Dedicação da Catedral

A memória de um local sagrado e o espaço de portas abertas para receber os fiéis. Assim, a Igreja Mãe da Diocese de Santo André comemora 62 anos da Dedicação da Catedral Nossa Senhora do Carmo neste sábado (22/08), às 16h, em missa solene que será presidida pelo bispo diocesano, Dom Pedro Carlos Cipollini.

A celebração contará com a presença de fiéis e será transmitida pelas mídias diocesanas: (Facebook: https://bit.ly/35YfmwA e YouTube: https://bit.ly/2zHgOqU).

“Unamo-nos na Liturgia de nossas comunidades à nossa Igreja Mãe, presencialmente ou pela internet, fortalecendo nosso espírito diocesano de comunhão e testemunhando ao mundo que ‘somos pedras vivas deste edifício espiritual, para serdes um sacerdócio santo, a fim de oferecermos sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo.’ (1Pd 2,5), afirma Pe. Joel Nery, pároco da Catedral Nossa Senhora do Carmo.

Sobre a Dedicação da Catedral

A Catedral Nossa Senhora do Carmo foi solenemente dedicada pelo arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Jaime de Barros Cardeal Câmara, no dia 22 de agosto de 1958, quatro anos após a instalação da Diocese de Santo André, como lugar sagrado para o culto divino e celebração dos sacramentos na Diocese. No altar, como pede o rito, foram depositadas relíquias de São Sebastião e Santa Maria Goretti.

O atual pároco da Catedral Nossa Senhora do Carmo é o Vigário Episcopal para a Pastoral, Pe. Joel Nery

Por isso, a Diocese de Santo André comemora no dia 22 de agosto o aniversário da dedicação de sua Igreja Mãe, não obstante a Catedral ter como padroeira Nossa Senhora do Carmo, e neste dia o calendário litúrgico da Igreja dedicá-lo à memória de nossa Senhora Rainha.

É importante lembrar que “a igreja Catedral é a primeira entre os templos de uma diocese e também o centro de sua vida litúrgica” (CB, 44). Nela está a cátedra (cadeira), símbolo da função magisterial e pastoral do epíscopo no exercício de seu múnus de ensinar, santificar e governar. Por sua vez, este edifício sagrado é “sinal de unidade dos crentes naquela fé que o Bispo anuncia e zela como pastor do rebanho (CB, 42).

O significado teológico torna relevante a celebração anual do aniversário de dedicação da catedral diocesana, que na sede assume caráter de solenidade, ao passo que nas demais paróquias e comunidades da Diocese, é celebrada no grau de festa” (Diretório Diocesano de Liturgia, pág. 204)

História da igreja

A história da paróquia-catedral de Santo André tem suas raízes em 1912, quando a colônia italiana presente na região hoje conhecida como Grande ABC revela o desejo de erguer um templo em honra a Nossa Senhora do Carmo, título dado à Mãe de Deus, muito apreciado entre famílias napolitanas.

Em 1919, um terreno foi doado e a pedra fundamental foi lançada pelo Pe. Luiz Capra. A paróquia seria inaugurada no dia 25 de janeiro de 1940. Quanto à escolha da Paróquia Nossa Senhora do Carmo e Santo Antônio para a Sé Catedral deu-se pelo templo estar localizado no centro da cidade e facilitar o acesso do povo por meio do transporte público.

Este ato foi firmado na Bula Archidiocesis Sancti Pauli, que criou a Diocese, em 1954, além de estabelecer Nossa Senhora do Carmo como padroeira titular da Catedral e o Apóstolo Santo André, o padroeiro diocesano.

Que a Diocese de Santo André, por ocasião da celebração da dedicação de sua Catedral, receba as orações das demais Igrejas Particulares do regional paulista.

Com informações do Departamento de Comunicação da Diocese de Santo André. Créditos: Fotos Diocese de Santo Andre

 

Palavra do Presidente

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.