Notícias

Diário de Missão – Primeiras Impressões

Padre Adriano Ferreira Rodrigues, da Diocese de Jundiaí, SP, em missão, na Diocese de Pemba, em Moçambique, África pelo Projeto além-fronteiras assumido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), do Regional Sul 1, envia, pela primeira vez, suas primeiras noticias do continente africano.

 06 de Fevereiro de 2018. Paço Episcopal da Diocese de Pemba, Moçambique,  África.

Nos reunimos com os padres diocesanos e religiosos e muitos missionários, para o Retiro Bimestral. Reunimo-nos pela manhã e ouvimos uma apresentação de Pe. Eriberto, um palotino paranaense, sobre o 5° capítulo da Evangelii Gaudium – Evangelizadores com Espírito. Depois de uma introdução e comentários, fizemos um tempo de meditação pessoal e voltamos para a partilha – muito frutuosa, por sinal. Não estávamos todos os padres, mas gostei muito de conhecer tantos outros. Encerramos com a celebração da Eucaristia e o almoço.
Um seminarista daqui, Bento, que muito tem me ajudado, ao registar meu número de telefone, nomeou-me Padre Narhorhe. Também as crianças de domingo, em Mieze, diziam algo semelhante. Fui batizado em Macua! Já tinha ouvido falar que, como os surdos, usam de alguma característica para dar um nome em sua própria língua. Já adivinharam? Narhorhe = barba. Tudo pela Missão!
07 de Fevereiro de 2018, Paço Episcopal da Diocese de Pemba, Moçambique, África.

Na hora do almoço, surpresa! Convite de Dom Luiz Fernando Lisboa, bispo da Diocese de Pemba: vamos a Metoro. Metoro é a sede da Paróquia Cristo Rei, comandada pelos passionistas, hoje Pe. Hélcio e Pe. Daniel, brasileiro e queniano. Foi a antiga Paróquia de Dom Luís Fernando antes do episcopado, e lá estão as Filhas de Jesus, uma congregação que já havia conhecido e, numa outra aldeia, as irmãs da Missão InterCongregacional da CRB, Conferência das Religiosas do Brasil. Já havia ouvido falar bastante dessa Missão, e isso aguçou ainda mais o interesse.
Fica a cerca de 90km de Pemba, no Distrito de Ancuabe. Ao chegar, chama a atenção a Igreja. Grande, alta… e de lona! Como o Bispo tinha assuntos a tratar com os padres, apenas conhecemos a casa, o pomar e saímos – Pe. Salvador e eu – para ir ao encontro das irmãs, que moram ao lado. Conhecemos a casa das irmãs e fomos para a escola que elas administram. Um enorme projeto social, que atende a mais de 1000 crianças, adolescentes e jovens. Conversamos com alunos, professores, visitamos toda a escola. Foi muito bom!

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.