Artigos

Congresso Eucarístico de Belém: Partilha na Amazônia missionária

“Cristo Senhor, ao reconhecer-te no partir do pão, faze arder nossos corações para que, do altar da Eucaristia, nasça um novo ardor missionário em nossa Pátria”. Com essas palavras da oração do 17º Congresso Eucarístico Nacional, é mencionado o propósito específico desse Congresso Eucarístico, que se realiza em Belém, PA., de 15 a 21 de agosto. “Eucaristia e partilha na Amazônia missionária” é o tema do Congresso.

Neste ano, comemora-se o 4º centenário do início da evangelização da Amazônia, que está ligada à fundação da cidade de “Santa Maria de Belém do Grão–Pará”, em 1616, na foz do rio Amazonas. É a atual cidade de Belém, porta de entrada da Amazônia profunda, alcançada pelos seus imensos rios. Ali intercede por todos os povos amazônicos a Senhora de Nazaré, para que conheçam seu filho Jesus, o bendito fruto de seu ventre.
Belém, na língua hebraica, significa “casa do pão”. Em Belém de Judá nasceu Jesus Cristo, “pão para a vida do mundo. Durante o Congresso Eucarístico, a capital do Pará será a casa do “Pão da Vida” para toda a Amazônia e o Brasil inteiro, que se dirige para lá em peregrinação ou, talvez, une-se ao redor do Pão da Eucaristia através das muitas transmissões midiáticas que dali partem para todas as direções.

Os Congressos Eucarísticos Nacionais acontecem, em média, a cada 6 anos e ajudam a destacar a centralidade da Eucaristia para a vida da Igreja: para a mesa eucarística se orienta, como a seu objetivo, toda a vida e ação da Igreja e dos cristãos; e, dessa mesa, vem todo vigor e dinamismo da vida cristã e eclesial. Isso nunca deve ser esquecido, pois é o mesmo que dizer: Jesus Cristo é o centro da vida da Igreja e do cristão.

A Eucaristia é o Sacramento de Jesus Cristo, que reúne seus discípulos e os instrui com sua palavra, nutre-os com seu corpo e sangue e os envia em missão, para que testemunhem a força do Evangelho na sua vida diária. É o Sacramento do sacrifício de Jesus sobre a cruz, onde ele foi “carne entregue” pela vida do mundo e “sangue derramado” para o perdão dos pecados. É também o Sacramento e a “epifania da Igreja”. Na celebração da Eucaristia aparece, melhor do que em qualquer outra circunstância, o que é a Igreja: é Jesus Cristo, com seus discípulos, anunciando e testemunhando os bens de Deus para o homem e o mundo.

Cada Congresso Eucarístico possui um tema, que orienta as reflexões teológicas, as catequeses, as celebrações e as ações decorrentes do evento. Desta vez, a “partilha missionária na Amazônia” lembra que essa região imensa é um bem de Deus. Bem pouco povoada, mas ambicionada pelas suas riquezas naturais e ameaçada de depredação e destruição, merece a atenção de todo o Brasil e do mundo. A presença missionária da Igreja Católica na Amazônia aconteceu desde que as primeiras incursões de europeus ali aconteceram, ainda no início do século 17.

Durante muito tempo, as estações missionárias, ao longo dos rios, eram centros irradiadores de evangelização, de educação e assistência aos povos nativos da Região. Foram sobretudo os missionários, vindos de vários países da Europa e América do Norte que deram o suporte humano e material necessário à presença da Igreja nas terras
amazônicas. Atualmente, porém, isso acontece em menor escala e se faz necessário que a própria Igreja Brasil assuma essa responsabilidade missionária.

Por esse motivo, a referência à partilha é um apelo à generosidade e ao ardor missionário da Igreja de todo o Brasil. Algo bonito já se faz através da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que possui a Comissão Episcopal para a Amazônia com a finalidade de promover a solidariedade para com a Igreja presente na Amazônia; as dioceses do Brasil inteiro enviam algo de suas entradas financeiras mensais para um fundo, que beneficia as dioceses da Amazônia.

No entanto, isso ainda não é suficiente. A Eucaristia leva à partilha dos bens espirituais e materiais para gerar mais fraternidade e para tornar possível a realização da missão da Igreja. Em relação à Amazônia, isso é uma emergência. “Renova hoje, Senhor, com a força da Eucaristia, o vigor missionário em nossos povos”, pede-se na oração do Congresso Eucarístico de Belém, que é uma boa ocasião para aprofundar a partilha missionária do Brasil todo em relação à Amazônia.

Cardeal Odilo P. Scherer
Arcebispo de São Paulo.

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.