Notícias

Confira os principais assuntos discutidos na reunião do Conselho Permanente da CNBB

presidênciaEm sua primeira reunião do ano, realizada em Brasília (DF) , terminada nesta quinta-feira (7), o Conselho Permanente da CNBB tratou de uma série de temas: 

Tema central da 51ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil

Na manhã desta quinta-feira, 07 de março, durante a reunião do Conselho Permanente da CNBB em Brasília (DF), o arcebispo de Manaus (AM), dom Sérgio Eduardo Castriani, apresentou o andamento dos trabalhos da comissão que prepara o tema central da 51ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil. “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia” será o principal assunto do encontro do episcopado brasileiro, no próximo mês de abril em Aparecida (SP).
De acordo com dom Sérgio, o encontro que a comissão preparatória realiza nesta quinta e sexta-feira, na sede da CNBB, vai definir a metodologia de reflexão. “A nossa proposta é de que seja apresentado um texto para estudos durante a Assembleia Geral, para que haja um tempo maior para reflexão, enriquecido com as experiências de paróquias em diferentes lugares do país”, sugeriu o arcebispo. Desta forma, o texto final só seria aprovado pelo episcopado na Assembleia de 2014.
O secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, encaminhou a proposta que foi aprovada pelos membros do Conselho Permanente. “A renovação pastoral passa pela paróquia. Queremos que haja um maior envolvimento dos Regionais e das paróquias nesta reflexão”, arrematou dom Sérgio.

Visita do Núncio Apostólico na CNBB

Dom Giovanni D’Aniello, Núncio Apostólico no Brasil, presidiu a celebração da Eucaristia e dirigiu uma palavra no início dos trabalhos da reunião do Conselho Permanente na manhã desta quarta-feira, dia 6 de março.

O Núncio lembrou a preparação para a 51a assembleia geral da CNBB que será realizada de 10 a 19 de abril próximos, destacando duas situações marcantes: será um encontro dentro do “Ano da Fé”, instituído pelo Papa emérito Bento XVI, e já, possivelmente, com a presença do novo Pontífice.

Na palavra pronunciada aos bispos no auditório dom Helder Câmara, dom D’Aniello também frisou a importância do enfrentamento dos desafios que se apresentam para a Igreja. “Os desafios não nos são desconhecidos”, disse o Núncio. Esses desafios estão diante dos olhos e são assumidos pelos pastores em estreita colaboração com o clero, religiosos e leigos. Entre esses desafios, o Núncio lembrou os jovens que olham para a Igreja procurando encontrar o que o mundo não é capaz de mostrar.

Dom D’Aniello recordou, por fim, a crise espiritual que o mundo todo atravessa nos dias atuais e lembrou que é compromisso da Igreja “ajudar os homens a ver a verdadeira estrela que nos indica o caminho, Jesus”.

Conjuntura social e política

O secretário executivo da Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP) da CNBB, professor Pedro Gontijo, apresentou ao Conselho Permanente da Conferência um amplo painel das questões significativas da atual realidade social e política no Brasil e no mundo.

A primeira parte da análise mostrou o quadro internacional e destacou que “o estabelecimento de uma área de comércio entre os Estados Unidos e a União Europeia se apresenta como possibilidade de superação da crise financeira de 2008, ao tempo que baliza para o risco de um aprofundamento do projeto de globalização baseado no neoliberalismo”. Percebe-se também, disse Gontijo, que o quadro geral da realidade mundial aponta para “frustrações acerca de novas dinâmicas que a chamada primavera árabe foi (in)capaz de estabelecer no mundo árabe”. O professor também abordou a repercussão na mídia da renúncia do Papa Bento XVI e, no âmbito de análise mais geral, destacou “a preocupação com a reparação para as famílias vítimas da explosão nuclear ocorrida há quase dois anos em Fukushima, no Japão”.

Em segundo lugar, a análise de conjuntura tratou do cenário da América Latina que “vive tempos de busca de novos modelos de existência com autonomia política com relação aos EUA. As experiências de governos totalitários e de avanço do neoliberalismo em décadas passadas fizeram emergir forças locais que faziam oposição ou divergiam das políticas hegemônicas”. O professor Gontijo recordou que “mais que analisar as situações de cada país são apresentados alguns aspectos que ilustram a conjuntura latino-americana na Bolívia, na Argentina, no Uruguai, na Venezuela, no Equador e as repercussões da passagem pelo Brasil da blogueira cubana Yoani Sánchez”.

“No cenário nacional, abordam-se as indefinições da economia brasileira e mundial e suas repercussões nos vários países, que no Brasil produziu um ‘pibinho’”. Gontijo também apresentou análise “do significado do anúncio da presidente Dilma do fim da extrema pobreza no país e seus desafios”. E, no final dessa parte da análise, abordou a antecipação do calendário eleitoral de 2014. E conclui-se com a apreciação da delicada situação do Congresso Nacional frente à decisão do STF sobre a ordem de votação dos mais de três mil vetos presidenciais.

O trabalho da equipe especial que faz análise de conjuntura, na apresentação do professor Pedro Gontijo, mostrou também que “no âmbito dos movimentos sociais são analisadas as ofensivas contra o povo Guarani-Kaiowá no Mato Grosso do Sul, que resultaram no assassinato de um jovem indígena por um fazendeiro da região”. A análise também considerou os “significados da inauguração de um laticínio oriundo de Assentamento de reforma agrária realizada no Paraná e as reivindicações das mulheres ocorridas durante a realização do I Encontro Nacional do Movimento das Mulheres Camponesas, ocorrido em Brasília no mês de fevereiro último”.

No final da apresentação da análise de conjuntura, padre Geraldo Martins, assessor de política da CNBB apresentou alguns destaques sobre notícias do Congresso: “a tramitação do Estatuto da Juventude, a preocupação com a proposta de alteração da lei sobre o Sistema Nacional de Política sobre Drogas; e o andamento do projeto de Reforma Política e o perigo da redução da maioridade penal”.

Depois do debate dos bispos, sem que tenha autoridade de texto oficial da Conferência, mas uma contribuição da CBJP, o texto da análise de conjuntura será disponibilizado no site da CNBB.

Conjuntura da Juventude Brasileira

Na tarde da terça-feira, 5 de março, os Bispos do Conselho Permanente da CNBB debateram, na sede da entidade em Brasília (DF), a conjuntura da juventude brasileira. A coordenação da reflexão foi realizada pelo Setor Universidades da Comissão Episcopal Pastoral para a Educação e Cultura.

O tema foi apresentado por assessores da pastoral da juventude na diocese de Curitiba e pastoralistas do Grupo Marista. O educador de pastoral marista, Rodrigo de Andrade, destacou, entre outros dados, a realidade da juventude no Brasil, com ênfase ao cenário educacional: 1,5 milhão de jovens da região nordeste são analfabetos; 48% dos jovens entre 15 e 17 anos estão no Ensino Médio, e apenas 13% dos que tem entre 18 e 24 anos frequentam a educação superior. O especialista chamou atenção para a necessidade de ações concretas que visem à qualificação da juventude e as oportunidades no mercado de trabalho. Além disso, enfatizou a urgência de políticas públicas para o enfrentamento da violência e recordou o alto índice de homicídios de jovens.

Glaucio Luiz Mota, especialista em juventude e assessor de pastoral da Rede Marista de Solidariedade, ressaltou o engajamento dos jovens nas comunidades paroquiais. Diferente do cenário apresentado pela mídia, grande parte da juventude se diz cristã. Por outro lado, ele acredita que é preciso, também, que essa juventude de alguma forma, “se engaje em movimentos políticos que possam contribuir para uma maior articulação e presença nos jovens na sociedade civil”.

Também apresentaram o papel do Conselho Nacional da Juventude, que tem como meta de trabalho, a formulação de políticas públicas. “Precisamos incentivar nossa juventude para a participação dos movimentos nos Conselhos local, estadual e Nacional, para um maior engajamento dos jovens na política de nosso País”, afirmou Glaucio.

Dia Mundial das Comunicações

Dom Dimas Lara Barbosa, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, fez um breve relato sobre o significado do 47o Dia Mundial das Comunicações, 12 de maio de 2013, que já recebeu do Papa emérito, Bento XVI, uma mensagem especial.

“Redes sociais: portais de verdade e de fé; novos espaços de evangelização” é o tema deste ano. Dom Dimas, na apresentação da Mensagem, recorda que Bento XVI considera que “o desenvolvimento das redes sociais estão contribuindo para a aparição de uma nova ágora, de uma praça pública e aberta onde as pessoas partilham ideias, informações, opiniões, e podem ainda ganhar vida novas relações e formas de comunidade”.

Dom Dimas também enviou uma carta a todas as dioceses do Brasil para informar e animar a celebração do Dia Mundial das Comunicações. Nesta carta se comunica que cada diocese vai receber um exemplar da Mensagem do Papa para ser enviado às comunidades de modo que se possa dar ênfase ao dia mundial de forma festiva e celebrativa e, desse modo, aprofundar uma verdadeira cultura de comunicação.

Projeto da celebração dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida

Durante a reunião do Conselho Permanente, na tarde desta quarta-feira, 06 de março, o bispo auxiliar de Aparecida (SP), dom Darci José Nicioli, apresentou aos bispos o projeto da celebração dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida. A proposta foi elaborada em conjunto pela Arquidiocese de Aparecida e Santuário Nacional, a pedido do cardeal Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida.

A programação, que já começou e deverá se estender até o ano de 2017, busca promover a evangelização e reavivar o sentimento de corpo eclesial no país, pela devoção à Nossa Senhora Aparecida, a partir do Santuário e das Igrejas Particulares. “Nosso povo tem grande devoção à Mãe de Deus. A oportunidade deste jubileu deve favorecer o agir missionário, o kerigma e o aprofundamento da fé”, afirmou dom Darci.

A temática das novenas oficiais da Padroeira do Brasil, entre 2012 e 2015, são os mistérios do rosário. Em 2016, a proposta é de que seja refletido “Os rostos do Brasil – O Brasil se encontra em Aparecida”. No ano de 2017, em sintonia com o Santuário de Fátima – que celebra os 100 anos das aparições de Maria – as cerimônias ganharão caráter internacional.

Também há o desejo de se realizar uma peregrinação com a imagem da padroeira do Brasil pelas capitais do país, e uma conferência teológica sobre Nossa Senhora em Aparecida, no ano de 2017. “300 anos de bênçãos: esse será o lema das comemorações!”, afirmou dom Darci. O projeto está aberto a sugestões e será oficialmente apresentado ao episcopado brasileiro na próxima Assembleia Geral dos Bispos, em abril.

Copa do Mundo e outros eventos esportivos na pauta do Conselho Permanente

Dom Guilherme Werlang, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, Justiça e Paz da CNBB, falou aos bispos que compõem o Conselho Permanente da CNBB sobre o significado da realização dos grandes eventos esportivos no Brasil para a vida do povo. A reflexão ocorreu na manhã desta quarta-feira, 06 de março.

No debate, a valorização do esporte como atividade de crescimento humano não impediu que sejam vistos graves desafios nesse ambiente dos grandes eventos esportivos: as deslocações de milhares de famílias para a realização das grandes obras e o risco do agravamento de problemas como tráfico de pessoas e o turismo sexual.

O aprofundamento do assunto mostrou que é preciso, na atuação das pastorais em todo o país, que a Igreja apoia e a colhe todos os participantes desses eventos, mas que seja feita sempre uma denúncia sobre a exploração.

O Conselho Permanente decidiu que será produzido um subsídio da CNBB, sob a responsabilidade de uma comissão nomeada pela presidência, para orientar as comunidades e, especialmente, as pastorais a respeito do esporte e dos movimentos em torno dos grandes eventos no Brasil.

Subsídio “Hora da Família”

Dom João Carlos Petrini, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e Família com a colaboração do assessor padre Waldimir Porreca, apresentou ao Conselho Permanente o livreto que é usado para animar a pastoral família o ano todo e, em particular, a Semana da Família em todo o Brasil.

O tema deste ano é a “transmissão e educação da fé na família cristã” considerando, especialmente, a responsabilidade dos pais. A reflexão também leva em conta o “Ano da Fé”, instituído pelo Papa emérito, Bento XVI, a Campanha da Fraternidade e a Jornada Mundial da Juventude a ser realizada no final do mês de julho, no Rio de Janeiro.

O livreto tem sete encontros, sete celebrações, cantos, instruções sobre associação de famílias, a organização da própria comissão da CNBB. Os temas compreendem o papel dos pais; os desafios que se apresentam; os valores que permanecem; educação pela presença; a presença dos pais com fortaleza e docilidade; iniciação cristã, como educação para a felicidade e, por último, a elaboração de projeto de vida pessoal e familiar.

Nas celebrações propostas, há sugestões para: dia das mães, dia dos pais, dia dos avós, ocasião de bodas e ocasiões para lembrar a necessidade da penitência e da reconciliação. No subsídio, a Comissão apresenta o plano de ação de todo o ano de 2013.

A “Hora da Família” é distribuído pela SECREN, secretaria nacional da pastoral familiar, e pode ser encontrado nos regionais da CNBB e nas livrarias católicas. O livreto custa R$ 3,00 ( três reais).

Balanço da Reunião do Conselho Permanente da CNBB

Um encontro muito importante, pois realiza a preparação próxima para a Assembleia Geral (AG) dos Bispos, que será realizada em abril. “E o tema central da AG mexe muito com todos nós ‘comunidade de comunidades: uma nova paróquia’”, recorda o presidente em exercício da CNBB, dom José Belisário da Silva.
Entre diversos temas tratados, os bispos ouviram uma análise da conjuntura da juventude brasileira, como recorda dom Belisário. “Nós tivemos a oportunidade de ouvir dois jovens sobre esse assunto, e percebi que ao contrário do quadro negativo que muitas vezes existe por aí, fico com a impressão de um quadro positivo, especialmente na valorização que os jovens dão à família”.
Foi aprovada pelo Conselho Permanente uma carta do episcopado brasileiro sobre a discussão do novo marco regulatório da Mineração, cuja proposta o governo federal deverá enviar ainda este mês para o Congresso Nacional. ”Estamos mandando uma carta à presidente Dilma Roussef e a todos os interessados sobre as nossas preocupações sobre esse assunto, especialmente na questão do meio ambiente e com as pessoas atingidas por esta atividade econômica”, explicou dom Belisário.

Outros assuntos

Padre Francisco de Assis Wloch, subsecretário Adjunto de Pastoral, na primeira hora do encontro, tratou do modo como a Conferência acompanha a implementação das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil. Passando cada regional, ele mostrou planos de pastorais que foram reformulados e destacou o esforço das dioceses em aplicar as Diretrizes em suas realidades particulares. Padre Wloch lembrou que o próximo ano já será um período para avaliação do processo de andamento de aplicação das Diretrizes. Dom Leonardo recordou que enriqueceria mais ainda se mais dioceses enviassem seus planos para a subsecretaria de pastoral.

Ainda na primeira parte da manhã desta terça-feira, foi apresentado ao Conselho Permanente um piloto do novo formato do programa de TV “Igreja no Brasil” que foi brilhantemente produzido e distribuído pela pastoral da comunicação da arquidiocese de Salvador e que passa, a partir do próximo mês de abril, a ser produzido pela assessoria de imprensa da CNBB. Os bispos realçaram a importância da participação dos regionais enviando material em vídeo para a pauta do programa.

A reunião aconteceu em Brasília na manhã desta terça-feira, 5 de março e contou com a participação dos bispos que presidem as comissões pastorais e os regionais da CNBB.

Fonte/Foto: Site da CNBB
 

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.