Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

No último dia 5 de junho, dia em que a Igreja celebrou a Solenidade de Pentecostes, as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Sub-Região Pastoral de Botucatu, do Regional Sul 1 da CNBB, estiveram reunidas em Araçatuba para um encontro de reflexão sobre Fé e Democracia.

O encontro teve como tema “Vejam, eu vou criar um novo céu e uma nova terra” (Is 65) e foi assessorado por Izalene Tiene, integrante das CEBs, que exerceu trabalhos missionários na Amazônia e também foi prefeita da cidade de Campinas (SP).

Estiveram presentes aproximadamente 80 pessoas das CEBs das dioceses de Araçatuba, Assis, Lins, Marília e Presidente Prudente, além de pessoas de outras igrejas cristãs, religiões e movimentos sociais. Também participou do momento de reflexão o assessor eclesiástico Pe. Severino Leite Diniz, da Diocese de Lins.

Neste evento os participantes puderam receber a acolhida do bispo diocesano Dom Sergio Krzywy, do Pe. Fernando e dos membros das CEBs de Araçatuba.  Além dos membros católicos, participaram o Reverendo Paulo, da Igreja Anglicana, Eleandra da Religião do Candomblé, e outros irmãos de igrejas evangélicas e movimentos sociais.

O encontro foi permeado pelas temáticas extraídas de dois documentos bases: A mensagem dos Bispos ao povo Brasileiro que foi apresentada a partir da 59ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, e da Cartilha Encantar a Política. Nas discussões emergiram diversos temas pertinentes à vida da Igreja e da Sociedade como a universalidade do Amor cristão, o cuidado da casa comum, a amizade social, a ética na política e as Eleições de 2022.

É importante ressaltar que as exposições, partilhas e místicas conduziram os presentes à reflexão acerca da cultura do encontro, da democracia e da necessidade dos cristãos de se engajarem para a edificação de uma civilização justa e solidária, onde todos tenham a possibilidade de vida plena. Assim, recordou-se que a política é um gesto de amor para o cuidado da casa comum e deve ser acompanhada por todos.