Sem categoria

Cardeal Cláudio Hummes celebra 40 anos de Bispo

D.C.40 sorriso
Ao lado de Nelson Westrupp, bispo de Santo André, cardeal Claudio Hummes na celebração dos seus 40 anos de ordenação episcopal

“Já temos bastante discurso, o mundo carece de prática”, afirma cardeal.

Para comemorar seus 40 anos de ordenação episcopal, o arcebispo emérito de São Paulo, cardeal Cláudio Hummes retornou à Diocese de Santo André. A celebração religiosa aconteceu na noite de 25 de maio, na Catedral Nossa Senhora do Carmo, onde agradecido confidenciou: “Vocês me ensinaram a ser bispo. Fico muito feliz em celebrar aqui meus quarenta anos de bispo. Santo André ficou no meu coração. Me ajudou a compreender o que é uma diocese e a praticar o lema que escolhi para minha caminhada: ‘Vós sois todos irmãos’”.

O cardeal, assim como Papa Francisco, é oriundo da ordem franciscana. Ele também falou das lutas operárias e contra os crimes praticados pela ditadura: “Descobri que aqui era uma grande diocese de trabalhadores que lutavam pelos seus direitos, mas sempre com métodos pacíficos. O ano de 1979, quando teve aquela grande greve geral, foi decisivo na minha vida”, disse ao recordar o período em que permitiu que os sindicatos se reunissem nas paróquias da diocese para articular as ações.

Em outro momento, Dom Claudio reforçou que é sempre necessário ouvir o outro. “Tudo isso me ajudou a entender que tinha que ouvir o povo. Compreender aquilo que a população acha que é melhor para ela e não o que eu acho”, revelou, ao acrescentar que é esse exatamente um dos ensinamentos do Papa Francisco. “Já temos bastante discurso, mas o mundo carece de prática. O Papa ensina que é preciso caminhar até o povo e sorrir com sorriso de pai, que está ali para encorajar e não para cobrar”, completou.

Biografia

Filho de Pedro Adão Hummes e Maria Frank Hummes, Dom Cláudio nasceu em 8 de agosto de 1934, na cidade de Montenegro (RS). Foi ordenado sacerdote em 3 de agosto de 1958, em Divinópolis (MG), pertencendo à Ordem Franciscana dos Frades Menores.

Em 22 de março de 1975, foi nomeado bispo coadjutor de Santo André (SP) pelo Papa Paulo VI. No final do mesmo ano, em 29 de dezembro, assumiu como bispo diocesano de Santo André, onde ficou até ser nomeado pelo Papa João Paulo II, arcebispo de Fortaleza (CE), em 21 de julho de 1996.

Quase dois anos depois, em 15 de abril de 1998, Dom Cláudio foi nomeado 6º arcebispo metropolitano de São Paulo, tomando posse como 23 de maio. Foi criado Cardeal Presbítero com o Título de Santo Antônio de Pádua na Via Merulana em 21 de fevereiro de 2001, pelo Papa João Paulo II.

Dom Cláudio esteve à frente da Arquidiocese de São Paulo até 30 de outubro de 2006, quando ao Papa Bento XVI o nomeou prefeito da Congregação Para o Clero, no Vaticano. Em 7 de outubro de 2010, o Papa Bento XVI aceitou seu pedido de Renúncia por limite de idade.  De volta ao Brasil, Dom Cláudio é presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O Cardeal Hummes participou de dois Conclaves, que elegeram os papas Bento XVI (2005) e Francisco (2013). Ao completar 80 anos, em agosto de 2014, ele deixou de fazer parte do grupo dos cardeais eleitores em um futuro Conclave.

No seu episcopado, Dom Cláudio desempenhou diversas funções. Foi membro da Comissão Episcopal de Pastoral (CEP) da CNBB nos períodos de 1976 a 1978 e 1979 a 1982, e responsável pelos Setores Família e Cultura de 1995 a 1998. Foi Assistente Nacional da Pastoral Operária, de 1979 a 1990. Nesse período do regime militar, assumiu corajoso apoio ao movimento grevista dos metalúrgicos e abriu as portas das igrejas para as organizações sindicais impedidas pelo governo de reunirem-se legalmente. Foi eleito pelos bispos da CNBB delegado para o Sínodo dos Bispos sobre a Família, em 1980, para a Assembléia Especial do Sínodo dos Bispos para a América, em 1997, e para Sínodo dos Bispos de 2001, confirmado pelo Papa.

Lema: “Vós sois todos irmãos.”

Escritos de sua autoria

“Renovação das provas tradicionais da existência de Deus” por Maurice Blondel em l’Action (1893), Braga, 1964.

Co-autoria do livro “Fé e Compromisso Político”, Paulinas, 1982.

“Sempre Discípulos de Cristo – Retiro Espiritual do Papa e da Cúria Romana”, São Paulo, Paulus, 2002 (traduzido para o italiano)

“Diálogo com a cidade”. São Paulo, Paulus – 2005.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Diocese de Santo André. Foto: Humberto Pastore

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.